Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 29 de junho de 2020.
Dia da Telefonista.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 29 de junho de 2020.
Notícia da edição impressa de 29/06/2020.
Alterada em 28/06 às 23h08min
CORRIGIR

O produto não é ruim, é caro!

{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2019/10/14/206x137/1_marcia_dessen-8871117.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5da4d85e7a859', 'cd_midia':8871117, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2019/10/14/marcia_dessen-8871117.jpg', 'ds_midia': 'Opinião Econômica - Marcia Dessen', 'ds_midia_credi': 'ARQUIVO FOLHAPRESS/ARTE JC', 'ds_midia_titlo': 'Opinião Econômica - Marcia Dessen', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '533', 'align': 'Left'}
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2019/10/14/206x137/1_marcia_dessen-8871117.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5da4d85e7a859', 'cd_midia':8871117, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2019/10/14/marcia_dessen-8871117.jpg', 'ds_midia': 'Opinião Econômica - Marcia Dessen', 'ds_midia_credi': 'ARQUIVO FOLHAPRESS/ARTE JC', 'ds_midia_titlo': 'Opinião Econômica - Marcia Dessen', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '533', 'align': 'Left'}
Planejadora financeira CFP ("Certified Financial Planner"), autora de "Finanças Pessoais: o que fazer com meu dinheiro"
Como a rentabilidade pode ser negativa, mesmo em um investimento sem risco de mercado? Quando o custo para investir for maior do que os rendimentos proporcionados pela aplicação.
Com a Selic de 2,25% ao ano e, a reboque, a taxa do CDI acompanhando o ritmo, as aplicações financeiras que cobram taxa de administração, como fundos de investimentos e planos de previdência, podem proporcionar retorno negativo para investidores pouco atentos, que aceitam pagar mais do que ganham.
Troquei mensagens com leitores para esclarecer erro de entendimento a respeito do custo de investir. Muitos não dão muita importância ao custo porque acreditam que a base sobre a qual incide a taxa de administração é a rentabilidade do fundo.
Não, caro leitor, a taxa incide sobre todo o capital investido. Ao pagar taxa de administração de 2% ao ano, por exemplo, 20% do seu capital (e não do seu rendimento) será entregue ao administrador em dez anos.
Um fundo que oferece rentabilidade de 2% ao ano e cobra taxa de administração de 2% anuais resultará em retorno zero para o cotista. Se a taxa de administração for maior, o retorno do fundo será negativo. E esse dinheiro não volta, não depende de recuperação do mercado.
"Ah, mas, se não houver rentabilidade, a taxa não será cobrada", pondera um leitor. Outro erro de entendimento, derivado do primeiro. A taxa se refere à prestação de serviço da administração e gestão do fundo e será cobrada independentemente do desempenho.
Nessa hipótese, de rentabilidade negativa, não haverá Imposto de Renda, porque não houve renda. Mas a taxa de administração já foi paga. Aliás, foi ela que gerou a rentabilidade negativa no exemplo que supõe ausência de risco de mercado, como um fundo DI.
Acha que o alerta é destinado a pouca gente? Infelizmente, não, existem muitos fundos de investimento e planos de previdência que cobram taxas muito elevadas, principalmente de investidores com baixo poder de barganha, sem milhares de reais para investir.
Muita atenção também ao investir em fundos que cobram taxa de performance, esta, sim, calculada sobre a rentabilidade excedente ao parâmetro definido.
A famosa dobradinha 2 com 20 -2% de taxa de administração mais 20% de taxa de performance sobre o que exceder o CDI-, principal benchmark adotado pelo mercado, precisa ser revista.
Convenhamos que bater o CDI, em patamar tão baixo, nem chega a ser um desafio. Hora de redefinir a meta a ser batida, adotando um novo benchmark, ou aumentando o tamanho da meta para 120% do CDI, por exemplo.
Qual é a saída para pequenos investidores? Uma alternativa é investir em produtos que não cobram taxa de administração, como CDB, LCI e LCA, além da poupança.
Aliás, como o CDI caiu bastante, aumentou o percentual dessa taxa oferecida aos investidores. Os CDBs têm sido oferecidos a 100%, e a LCI ou a LCA, isentas de IR, pagam por volta de 94%.
Se a opção for a de manter a aplicação em fundos, não espere que a instituição financeira ofereça um mais barato.
Faça a sua pesquisa, ve- rifique o valor mínimo de aplicação exigido em produ- tos com taxa de administração mais baixa e solicite portabilidade, se previdência, ou resgate e mude de fundo. Sua rentabilidade aumentará em razão da redução do custo de investir.
Cuide do seu dinheiro, ninguém fará isso melhor do que você mesmo.
Comentários