Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 12 de maio de 2022.
Dia da Enfermagem.
Porto Alegre,
quinta-feira, 12 de maio de 2022.
12/05/2022 - 16h59min.
Alterada em 12/05 às 16h59min

O sofrimento que humaniza

Dom Aparecido Donizeti, bispo auxiliar da Arquidiocese de Porto Alegre
Dom Aparecido Donizeti, bispo auxiliar da Arquidiocese de Porto Alegre
O sofrimento é um elemento que faz parte da historia humana e todos, em maior ou menor proporção, passam por algum tipo de sofrimento na vida. E não são poucas as situações que geram e favorecem sofrimento sobre a pessoa humana. O que fazer diante de um sofrimento e como lidar com o mesmo será sempre a questão mais importante.
As causas que favorecem ou geram sofrimentos são muitas. Existem os que são provenientes de escolhas que o próprio indivíduo faz, mas também existem aqueles que são sofrimentos provenientes de fatores externos à pessoa. Aqui vale lembrar que escolhas não adequadas feitas por uma pessoa podem deixar consequências serias pra toda a vida. Sabe-se da importância de uma alimentação equilibrada e acompanhada de uma rotina de exercícios físicos; sabe-se da importância de “tomar sol”, ingerir quantidade adequada de agua, de horários regulares para dormir e se levantar; sabe-se da importância de não alimentar sentimentos ruins como raiva, ressentimento ou ódio no coração; sabe-se da importância de não consumir drogas ilícitas e consumir moderadamente as chamadas licitas, etc. Mas muitas vezes isso não é levado a serio e o corpo acaba padecendo e sofrendo as consequências.
Somam-se a isso os fatores externos favorecendo múltiplos sofrimentos ao ser humano, tais como: as várias formas de violência presente na família, no campo e na cidade; o descaso de muitos governos que não priorizam a saúde, o trabalho, a moradia e a educação digna para todos; os variados tipos de acidentes domésticos e no transito; o uso indiscriminado de agrotóxicos nos alimentos; a própria ação e reação da natureza que, uma vez agredida pelas mãos humanas por meio de queimadas e desmatamentos, acaba em seu desequilíbrio deixando muitas marcas de sofrimentos; e, enfim, as guerras absurdas e desumanas movidas por interesses mesquinhos e egoístas deixando tantos órfãos e outros tantos sofrimentos a humanidade. De fato, são tantas situações que geram sofrimento.
Mas o que fazer diante disso tudo? Parece que o segredo está em saber acolher como fato e saber lidar com tudo que surge, buscando superar o que é possível ou suportar aquilo que não se pode mudar. Diante de um sofrimento, seja qual for à causa, uma pessoa pode ficar na lamentação constante ou assumi-lo como oportunidade de amadurecimento, pode se acomodar diante do mesmo ou fazer algo para superar e mudar o que é possível. Como diz o dito popular: “tem pessoa que em cada oportunidade de vida vê sempre uma dificuldade, mas tem aquele que em cada dificuldade sabe ver uma oportunidade nova”. Torna-se fundamental, portanto, aprender a ver o sofrimento como oportunidade para se humanizar mais, crescer na compreensão e aceitação do outro, para ser mais humilde e proativa, e, oxalá, torne a pessoa mais aberta e dócil ao Deus Criador que manifestou plenamente seu amor em seu Filho Jesus quando este aceitou sofrer e morrer numa cruz pela salvação de todos.
É aqui que, precisamente, temos algo de grande importância para toda a humanidade. São muitas as pessoas que deixaram testemunhos e muitos, ainda hoje, continuam a testemunhar com a própria vida a alegria de ter acolhido Jesus Cristo como Senhor da própria vida. A fé em Jesus Cristo e seu seguimento na vivencia dos valores do evangelho é a razão pela qual, em todos os tempos e lugares, homens e mulheres são capazes de lidar com sofrimentos diversos e encontram em meio aos mesmos uma fortaleza, uma paz e alegria capaz de contagiar tantos outros. São muitos exemplos que se tem nas paginas da Sagrada Escritura, sobretudo na experiência vivida pelos primeiros cristãos e, também na historia que se segue até nossos dias.
Assim sendo, todo aquele que faz uma experiência de fé pessoal com Jesus Cristo e busca configurar sua vida possa dar testemunho de como lidar adequadamente com as mais variadas possíveis formas de sofrimento. Que diante do sofrimento cada qual se humanize mais ainda e torne a humanidade também mais humana e solidária. Como diz o livro de Provérbios: “como a prata é testada ao fogo e o ouro, no crisol, assim o Senhor prova os corações” (Pr. 17,3). Acima de tudo, que a fé e o seguimento a Jesus Cristo gere compromisso e empenho na construção de um mundo mais justo, fraterno e solidário para todos.
Comentários CORRIGIR TEXTO