Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 30 de dezembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 30 de dezembro de 2020.

Alterada em 30/12 às 16h54min

Esperança e desafios para 2021

Por Dom Jaime Spengler, arcebispo metropolitano de Porto Alegre e primeiro vice-presidente da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB)
Por Dom Jaime Spengler, arcebispo metropolitano de Porto Alegre e primeiro vice-presidente da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB)
O ano de 2021 traz esperanças, afinal, uma vacina para fazer frente ao novo coronavírus deve chegar em breve; traz também desafios, pois a crise econômica que estamos vivendo, consequência da crise sanitária, produz angústia e dor.
Na verdade, a crise econômica atual é desdobramento da crise de 2008, a qual abriu definitivamente um período de mudança de época, com o sistema capitalista apresentando fortes sinais do seu esgotamento: crise ambiental – mudanças climáticas e aquecimento global; crises econômicas prolongadas e extrema financeirização da dinâmica econômica e da riqueza; mudanças profundas nos processos produtivos (revolução técnico-científica) e seus impactos na organização do mercado de trabalho, na geopolítica mundial, principalmente com a reconfiguração de papéis entre as economias chinesa, americana e da União Europeia. Estamos presenciando um desmonte dos pactos e instituições construídos após a segunda grande guerra e um recrudescimento da desigualdade social, que se alastra em diversos cantos do planeta e se reflete em precariedade das condições de trabalho, fome, doenças, guerras e migrações forçadas dos pobres da terra.
Junto com a crise econômica, social e ambiental/sanitária, o mundo conheceu também uma crise política composta de uma profunda falta de referências globais em termos de ideias e programas para superação dos desafios em que a humanidade se encontra, como também, uma onda de crescimento de correntes políticas conservadoras e autoritárias, que preocupa. Nessa crise de modelos, o Papa Francisco tem sido uma fundamental voz na resistência aos retrocessos nos direitos humanos e ambientais, como também fonte de inspiração humanística, quando vocaliza os principais problemas do planeta e indica caminhos para sua superação.
Precisamos nos empenhar para buscar saídas para a construção de um novo mundo. Urge avaliar criteriosamente os sinais produzidos pela economia neoliberal e dar a suficiente atenção às tendências de setores da atividade política que querem calar os diferentes segmentos sociais e enfraquecer a democracia.
Construir programas comuns e construir frentes políticas sólidas se torna um imperativo para todas as pessoas de boa vontade e dos setores da sociedade compromissados com o bem comum, a paz e a justiça social.
Catedral Metropolitana celebra Missa da Solenidade Mãe de Deus no dia 1º de janeiro - Excepcionalmente, a Missa da Solenidade Mãe de Deus do dia 1º de janeiro de 2021 não será realizada no Santuário Mãe de Deus. A Catedral Metropolitana sediará a celebração eucarística, às 10h. Dom Jaime Spengler presidirá a santa missa.
A importância de celebrar em família a Solenidade de Santa Maria Mãe de Deus e da Epifania do Senhor - Estão disponíveis para download os roteiros para a celebração em casa das duas primeiras solenidades do ano: Santa Maria Mãe de Deus e Epifania do Senhor. O material é oferecido pela Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). A Solenidade de Santa Maria Mãe de Deus é no dia primeiro de janeiro. Já a Solenidade da Epifania do Senhor é no primeiro domingo do ano, dia três de janeiro. Roteiros:
1) Acesse Santa Maria Mãe de Deus em https://bit.ly/380Xnbs.
2) Acesse Epifania do Senhor em https://bit.ly/38KCJv.
Papa celebra as vésperas de Ano Novo nesta quinta-feira (31), na Basílica de São Pedro - Nesta quinta-feira, 31 de dezembro, o Papa Francisco preside na Basílica Vaticana, às 13h – horário de Brasília, às Vésperas e o canto do Te Deum em Ação de Graças pelo ano de 2020, que foi marcado pela pandemia da Covid-19 que paralisou o mundo e matou milhares de pessoas. Já na sexta-feira, dia 1° de janeiro, Francisco preside às 6h – horário de Brasília, a solenidade de Maria Santíssima Mãe de Deus e 54º Dia Mundial da Paz 2021, que traz como tema: “A cultura do cuidado como percurso de paz”. Todas as missas serão transmitidas pelo Vatican News, com comentários em português. O texto que faz referência a pandemia e pontua que a Covid-19 agravou outras crises, como a climática, a alimentar, a econômica e a da migração. “O ano de 2020 ficou marcado pela grande crise sanitária da covid-19, que se transformou num fenômeno plurissetorial e global, agravando fortemente outras crises interrelacionadas como a climática, alimentar, econômica e migratória, e provocando grandes sofrimentos e incómodos”, escreve o papa na mensagem. Francisco lembrou ainda no texto das pessoas que perderam familiares ou entes queridos, os que ficaram sem trabalho, fez um agradecimento especial aos que trabalham em hospitais e centros de saúde e fez um apelo às autoridades para que as vacinas sejam acessíveis a todos. Toda a mensagem do Pontífice, enfim, é estruturada para afirmar o princípio de que não há paz sem a cultura do cuidado. O Dia Mundial da Paz foi instituído em 1968 pelo Papa Paulo VI (1897-1978) e é celebrado no primeiro dia do novo ano.
Comentários CORRIGIR TEXTO
Dom Jaime Spengler
Dom Jaime Spengler
A Arquidiocese de Porto Alegre renova sua tradicional coluna no Jornal do Comércio, antes intitulada "A Voz do Pastor", e passa a chamá-la "Olhar da Fé", com publicação exclusiva na versão online do veículo. Todas as quintas-feiras, Dom Jaime Spengler, arcebispo de Porto Alegre, ou um dos bispos auxiliares trarão a visão do sagrado sobre temas importantes para a sociedade.