Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 30 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre, segunda-feira, 30 de março de 2020.
Notícia da edição impressa de 30/03/2020.
Alterada em 29/03 às 21h25min
COMENTAR | CORRIGIR

Novo respirador pulmonar

Já saiu o protótipo de respirador pulmonar, desenvolvido por um grupo de 45 pesquisadores brasileiros - médicos, enfermeiros, anestesistas, engenheiros - em tempo integral, cada um na sua casa, a ser produzido em larga escala por impressoras 3D a um custo mais barato. Segundo um dos coordenadores do projeto, o anestesista Diógenes de Oliveira Silva, a ideia é descentralizar sua produção para parques já instalados, como da indústria automobilística e de aviação. É um respirador fácil de ser usado, portátil, e que não precisa de energia elétrica. Ele não substitui os respiradores mais robustos para pacientes mais graves. É para os primeiros atendimentos fora da UTI, para transportar pacientes dentro de hospitais, entre cidades pequenas até locais de melhores recursos médicos, daí porque é conhecido como ventilador de entrada.
Já saiu o protótipo de respirador pulmonar, desenvolvido por um grupo de 45 pesquisadores brasileiros - médicos, enfermeiros, anestesistas, engenheiros - em tempo integral, cada um na sua casa, a ser produzido em larga escala por impressoras 3D a um custo mais barato. Segundo um dos coordenadores do projeto, o anestesista Diógenes de Oliveira Silva, a ideia é descentralizar sua produção para parques já instalados, como da indústria automobilística e de aviação. É um respirador fácil de ser usado, portátil, e que não precisa de energia elétrica. Ele não substitui os respiradores mais robustos para pacientes mais graves. É para os primeiros atendimentos fora da UTI, para transportar pacientes dentro de hospitais, entre cidades pequenas até locais de melhores recursos médicos, daí porque é conhecido como ventilador de entrada.

Produção em escala

A proposta é sua fabricação em larga escala, em qualquer parte do mundo. Uma vez testado e aprovado, vai ser disponibilizado na internet open source para ser baixado, melhorado e produzido por outros grupos. Ele teve como inspiração respiradores tipo cebolinha do Takaoka da década de 1950. O projeto deverá estar pronto até esta quarta após testes na Unicamp, Politécnica da USP, Mackenzie e laboratório do hospital Einstein.

Controle das finanças

O Sebrae RS coloca à disposição das micro e pequenas empresas planilhas excel para controle das finanças, impactadas pela crise do coronavírus, identificando todas as despesas e avaliando a possibilidade de redução de custos ou renegociação de prazos. A ferramenta "controle de fluxo de caixa" pode ser acessada de graça no site.

Doação de máscaras

A Girando Sol, de Arroio do Meio, entregou semana passada 26 mil máscaras e produtos de limpeza para instituições da região do Alto Taquari na mobilização contra o coronavírus. A doação contemplou 22 entidades, a maior parte asilos e hospitais, e o material foi retirado na sede da empresa.

Um brasileiro na Coreia do Sul

O professor Luiz Felipe Maldaner, da Unisinos, que morou durante mais de 5 anos em Seul para instalar um escritório do Banco do Brasil, do qual é funcionário aposentado, falou com um amigo brasileiro, Soleiman Dias, que mora lá há 20 anos e é diretor de uma escola internacional. Observação de Dias: "Graças a Deus aqui está tudo sob controle. Os números estão baixando depois de um mês de subida. Nada parou completamente mas o povo, como você bem sabe, é muito controlado e não existem mais aglomerações. É incrível como isso se deu aqui, um país extremamente super populoso. E nada faltou nos supermercados, além de uma espetacular estrutura médica para quem precisou. Incrível Coreia."
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia