Porto Alegre, quinta-feira, 05 de maio de 2022.
Dia Nacional das Comunicações.
Porto Alegre,
quinta-feira, 05 de maio de 2022.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Minuto Varejo

- Publicada em 05/05/2022 às 00h38min.

Colombo fecha loja em Porto Alegre alegando falta de segurança

Filial tem faixa com descontos de até 40%; funcionários devem ser alocados em outras lojas da rede

Filial tem faixa com descontos de até 40%; funcionários devem ser alocados em outras lojas da rede


PATRICIA COMUNELLO/ESPECIAL/JC
Atualização às 14h15min de 05/05/2022 - Falta de segurança é o principal motivo que fez a rede Colombo decidir fechar uma das suas lojas em Porto Alegre, informou o grupo à coluna. A filial na avenida Protásio Alves, próximo ao Centro, encerra a operação neste sábado (7), após oito anos no local.  
Atualização às 14h15min de 05/05/2022 - Falta de segurança é o principal motivo que fez a rede Colombo decidir fechar uma das suas lojas em Porto Alegre, informou o grupo à coluna. A filial na avenida Protásio Alves, próximo ao Centro, encerra a operação neste sábado (7), após oito anos no local.  
A falta de segurança foi apontada pela rede como principal razão para a decisão de encerrar a operação.
A medida chamou a atenção devido a uma faixa colocada na entrada do estabelecimento, situado na na área com fluxo intenso na avenida que é uma das principais ligações da Zona Leste ao Centro de Porto Alegre.
O "limpa loja", como está na faixa, prevê descontos de até 40% os itens disponíveis na filial no limite dos bairros Rio Branco e Bom Fim, na Capital. A região tem forte fluxo, influenciado pela existência de hospitais, além do HCPA tem o HPS, universidade e serviços.
Enquanto toma a a medida na Capital, a rede segue abrindo unidades no interior. Nessa quarta-feira (4), foi em Capão do Leão. Nesta sexta-feira (6), vai abrir filial em Butiá. A intenção, segundo a direção, é abrir 30 novos pontos entre as bandeira de eletromóveis, móveis e concessão de crédito em 2022.
"Foi a segurança fator determinante. Infelizmente, estamos vivendo este momento", explica o grupo. Desde janeiro, teriam sido pelo menos 10 episódios, entre furtos, arrombamentos e o caso mais violento, em janeiro, quanto a equipe da loja foi surpreendida por assaltantes logo ao chegar para se preparar para a abertura. Homens ingressaram, agrediram funcionários e levaram produtos. 
"Houve agressão física. Todos ficaram muito abalados e traumatizados. Nossa preocupação é com as pessoas. Nossas equipes são mais importantes que manter a loja ali. É triste", lamenta uma fonte da rede, ao explicar o ambiente que levou à decisão. Os seis empregados vão atuar em outras lojas. 
A rede diz que levou a situação de violência e medo às autoridades de segurança pública e observa que não é um problema restrito à região onde fica a filial que será fechada. Os bairros Azenha e Centro também vivem situações de insegurança. A coluna mostrou a incidência de arrombamentos e furtos na Azenha, principalmente no fim de 2021.
"Precisamos que sejam tomadas algumas medidas. Não só em uma região, mas em toda a Capital. Quem sabe conseguimos sensibilizar os responsáveis, trazendo o tema à tona", reforça a fonte ligada ao grupo.
A Colombo é uma das redes de eletromóveis mais conhecidas e mais emblemáticas entre os gaúchos.
O Bom Fim historicamente tem comércio forte, protagonizou a saída e fechamento de antigos ocupantes antes mesmo da crise sanitária, quando entrantes de alimentação e serviços passaram a se multiplicar. O trecho onde ainda fica a Colombo tem imóveis fechados, um deles ao lado da loja, onde era uma agência da CVC (turismo). 
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO