Porto Alegre, terça-feira, 24 de novembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 24 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mercado Digital

- Publicada em 16h58min, 23/11/2020. Atualizada em 13h52min, 24/11/2020.

IMED vai criar fundo de investimento em edtechs

Empresas da aliança empresarial da região Norte terão laboratórios de inovação

Empresas da aliança empresarial da região Norte terão laboratórios de inovação


Mola Arquitetura/Divulgação/JC
Dentro da perspectiva de que as instituições de ensino também devem começar a tomar risco na sua relação com as startups, a IMED decidiu montar um fundo de investimentos para aportar recursos nas edtechs, as startups de educação.
Dentro da perspectiva de que as instituições de ensino também devem começar a tomar risco na sua relação com as startups, a IMED decidiu montar um fundo de investimentos para aportar recursos nas edtechs, as startups de educação.
De acordo com o presidente da IMED, Eduardo Capellari, o valor mínimo inicial será de R$ 2 milhões. A fase ainda é de estruturação jurídica. “Vamos montar esse veículo de investimentos, prevendo parcerias com empresas da cadeia de educação, mas também com produtos complementares. O mundo da educação está mudando e a melhor forma de inovar é investir em startups com soluções já disponíveis no mercado. Queremos conectar, de verdade, a academia com o mundo empresarial”, explica.
A decisão vem na esteira da recém anunciada aliança entre a IMED e mais oito empresas para a criação de um ecossistema de inovação na região Norte do Rio Grande do Sul. São elas a BSBios, Coprel, Cotrijal, Farmácias São João, Grupo Grazziotin, Hospital Ortopédico, Metasa e a Oniz Distribuidora. Juntas, essas empresas faturam mais de R$ 15 bilhões e geram cerca de 21 mil empregos diretos. A sede será no campus da IMED, em Passo Fundo, e as companhias poderão instalar lá seus laboratórios de inovação. 
O foco é incentivar a inovação e geração de novos negócios baseados nos pilares de empreendedorismo e geração de oportunidades do Vale do Silício, nos Estados Unidos. “Se já temos as empresas mais fortes de cada segmento na região, agora, unidas com a academia, não há barreiras para fixar um polo de inovação, com altíssima capacidade para impactar a matriz produtiva regional e a economia do RS”, comenta Capellari.
Para o gerente executivo de Planejamento Estratégico das Farmácias São João, André Menegazzo, o objetivo da aliança é construir sinergias que possam contribuir com o desenvolvimento da região Norte. “Buscamos, na interação e na cooperação destas grandes empresas, ideias, iniciativas, planos de ação e atividades conjuntas que possam impactar positivamente a região, contribuindo dessa maneira com a comunidade onde estão presentes”, destaca.
Comentários CORRIGIR TEXTO