Porto Alegre, sexta-feira, 02 de outubro de 2020.
Dia Internacional do Notário.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 02 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mercado Digital

- Publicada em 18h41min, 01/10/2020. Atualizada em 12h01min, 02/10/2020.

Para Sinosbyte, mineração de dados pode ajudar indústria a prever resultados

Engel explica que foram analisados dados abertos de 80 indústrias de transformação

Engel explica que foram analisados dados abertos de 80 indústrias de transformação


Sinosbyte/Divulgação/JC
A análise dos dados contábeis traz insights importantes para a saúde financeira das empresas, mas nem todos são tão óbvios como pode parecer. E foi para tentar avançar neste modelo que a Sinosbyte, que atua como integradora de soluções para SAP, criou um projeto piloto em que utiliza a lógica do uso de algoritmos de análise preditiva.
A análise dos dados contábeis traz insights importantes para a saúde financeira das empresas, mas nem todos são tão óbvios como pode parecer. E foi para tentar avançar neste modelo que a Sinosbyte, que atua como integradora de soluções para SAP, criou um projeto piloto em que utiliza a lógica do uso de algoritmos de análise preditiva.
O foco do experimento foi o setor da indústria e, para isso, a empresa usou dados contábeis extraídos de companhias listadas na B3 - Bolsa do Brasil. O CEO da Sinosbyte, Luis Fernando Engel, explica que algoritmos de mineração foram usados para ver se era possível estabelecer um padrão de quando empresa terá lucro ou prejuízo, com base nos indicadores ali apresentados. “O balancete é um organismo vivo das empresas. Criamos padrões que conseguem aprender com o saldo das contas contábeis e detectar quais indicadores influenciam mais o resultado”, comenta.
Foram 80 indústrias de transformação analisadas, a partir de dados como nível de estoque, capital de giro, formação de preço de venda e de lucro para ajudar a companhia a entender se está investindo certo ou não. Dos estudos feitos, o indicador que mais influiu no resultado financeiro das operações foi o custo de produto vendido.
“Provamos que é possível usar a mineração de dados para identificar nichos subutilizados e detectar padrões que ajudam, por exemplo, uma empresa a usar estes insights para reverter um quadro de prejuízo ou aumentar o quadro de lucro”, diz.
Segundo o empreendedor, a indústria, seguramente, poderia se valer mais da mineração de dados como forma de melhorar sua performance, identificar padrões e, inclusive, extrair o máximo de informações diferenciadas de relatórios contábeis, com predição automatizada de períodos futuros.
A mineração de dados, ou data mining, já é uma realidade para o setor do comércio, principalmente o e-commerce. A maioria das empresas já se deu conta que, além de armazenar dados sobre os consumidores – informações cadastrais, registro de vendas, histórico do relacionamento – transformá-los em conhecimento estratégico é o diferencial. O desafio é interpretar todo esse volume de informações.
“O data mining tem condições de predizer resultados contábeis, projetar com mais exatidão lucro e prejuízo, embasar de forma mais precisa decisões organizacionais, além de auxiliar na interpretação de relatórios contábeis”, ressalta Engel.
Comentários CORRIGIR TEXTO