Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 25 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre, quarta-feira, 25 de março de 2020.
25/03/2020 - 19h11min.
Alterada em 25/03 às 19h12min
COMENTAR | CORRIGIR

Reginp mobiliza ambientes de inovação para apoiar projetos

 Artur Gibbon, presidente da Reginp, destaca potencial do ecossistema gaúcho

Artur Gibbon, presidente da Reginp, destaca potencial do ecossistema gaúcho


Reginp/Divulgação/JC
A Rede Gaúcha de Ambientes de Inovação (Reginp) iniciou uma ação coordenada para identificar os ambientes de inovação gaúchos que estão usando os seus laboratórios de prototipagem para a fabricação em 3D de escudos faciais e outros equipamentos de proteção como máscaras de álcool em gel.
A Rede Gaúcha de Ambientes de Inovação (Reginp) iniciou uma ação coordenada para identificar os ambientes de inovação gaúchos que estão usando os seus laboratórios de prototipagem para a fabricação em 3D de escudos faciais e outros equipamentos de proteção como máscaras de álcool em gel.
A iniciativa foi estimulada pelo trabalho que vem sendo feito pelo Tecnopuc Fablab, que essa semana iniciou a produção de 200 unidades de um escudo facial de proteção em 3D para ser usado por profissionais da saúde que estão trabalhando no combate ao Covid-19.
O primeiro lote foi direcionado para o Hospital São Lucas (HSL), que faz parte do ecossistema da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), mas a ideia é atender outros hospitais do Estado. Para que isso seja possível, porém, será preciso um trabalho conjunto para reunir impressoras 3D e matérias-primas.
O líder do Instituto Ideia, do Tecnopuc, Eduardo Giugliani, conta que a capacidade de produção do Fablab será de 300 a 400 escudos faciais por semana quando todas as impressoras 3D previstas estiverem a pleno vapor. Estão disponíveis hoje cerca de 10 impressoras, mas a meta é engajar empresas a participarem para que seja possível chegar entre 20 a 35 impressoras 3D. O hub de fabricação e logística está no Idea, no Tecnopuc.
“Existe um gargalo que é o da oferta de matéria-prima para a produção dos escudos. Os estoques no mercado são baixos, mas vamos tentar contornar isso”, diz. São dois materiais usados na produção: o PETG (rolo de filamento que vai na impressora) e uma folha transparente que também pode ser de PEGT ou acetato.
O presidente da Reginp e diretor do Parque Tecnológico da Furg, o Oceantec, Artur Gibbon, acredita que a conexão de todos os ambientes do Estado vai ajudar nesse e em outros projetos. “Um material que falte para uma localidade, pode estar disponível em outra cidade”, comenta.
Em pouco tempo ele conta que foi possível identificar diversos ambientes universitários e de inovação que estão com projetos que se conectam ou que se complementam com o que está sendo feito no Tecnopuc. Isso inclui cidades como Santo Ângelo, Santa Rosa, Rio Grande, Pelotas, Lajeado, São Leopoldo, Bagé, Passo Fundo e Santa Maria. “Momentos como esse mostram a importância de termos ambientes de inovação espalhados por todo Estado”, analisa Gibbon.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
Patrícia Knebel
Patrícia Knebel
Ecossistemas de inovação, tendências globais para os negócios, marketing digital, as tecnologias que são os pilares da transformação digital (como mobilidade, Internet das Coisas e Big Data) e todas as novidades que impactam o comportamento dos consumidores e o futuro das empresas e das cidades estão na coluna Mercado Digital. Estou feliz por você estar aqui.