Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Dia Mundial dos Meios de Comunicação.

Jornal do Comércio

27/05/2019 - 18h11min.
Alterada em 27/05 às 18h23min
COMENTAR | CORRIGIR

Fapergs destina R$ 21 milhões em editais para inovação

Dellagostin diz que inovação vai ajudar Estado a superar crise econômica

Dellagostin diz que inovação vai ajudar Estado a superar crise econômica


MARCO QUINTANA/JC
O futuro se faz com pesquisa, e para fazer pesquisa é preciso recursos. Por isso, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul (Fapergs) anunciou na segunda-feira (27) a liberação de R$ 21 milhões para editais que vão estimular a inovação e a formação de startups no Estado.
São quatro editais: o Programa Pesquisador Gaúcho (PqG), a Cooperação Fapergs/Fapesp, o Programa Doutor Empreendedor (PDEmp) e o Programa Centelha. Cerca de R$ 15 milhões são de recursos do orçamento da Fapergs e o restante de parceiros.
Os editais trazem novidades, como uma iniciativa inédita em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), unindo dois estados com produção tecnológica inovadora da mais alta qualidade e focado em áreas estratégicas, e ações para incentivar a criação de startups lideradas por doutores. “A inovação vai nos levar a um novo patamar e permitir avanços significativos para a nossa economia. Com mais investimentos, poderemos dar um passo importante e, assim, tentar superar dificuldades financeiras do Estado”, destacou o diretor-presidente da Fapergs, Odir Antônio Dellagostin.
Aproveitando a presença de representantes do comunidade científica gaúcha para o lançamento dos editais ontem no Palácio Piratini, ele apresentou dados que mostram que o Rio Grande do Sul é mais produtivo em produção científica que a média brasileira. O Estado é o quarto no ranking do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil e também o quarto na formação de doutores, o que mostra uma correlação importante. “Temos a maior densidade doutores no País – são 123 doutores por 100 mil habitantes”, ressaltou.
O secretário de Inovação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, Luís Lamb, comenta que os editais estão em linha com o modelo de desenvolvimento proposto para o Estado. “A expectativa é estimular que o conhecimento e a inovação se transformem em riqueza e desenvolvimento tecnológico, levando à evolução da matriz econômica gaúcha a partir da inovação”, analisa.
Para o gerente de Fomento à Integração entre Ciências Aplicadas e as Áreas de Inovação da Agência Brasileira de Inovação (Finep), Marcelo Nicolas Camargo, inovação não deve ser um custo para o País, e sim um investimento. “Temos uma altíssima perda de produtividade brasileira nos últimos 20 anos. Reverter isso passa pelo aumento da taxa de inovação dos nossos produtos e serviços. Precisamos fazer que à pesquisa básica se torne aplicada, e o acesso aos crédito ainda é um impasse geral”, ressalta.

Editais lançados pela Fapergs

Programa Pesquisador Gaúcho (PqG): destinado a todas as áreas de conhecimento. Conta com investimento de R$ 10 milhões e tem como meta atender até 300 projetos.
Cooperação Fapergs/Fapesp: vai apoiar projetos que envolvem a participação de equipes de São Paulo e do Rio Grande do Sul. O edital prevê o aporte de até R$ 2 milhões por parte da Fapergs e até R$ 4 milhões pela Fapesp. Haverá alinhamento dos projetos às tecnologias portadoras de futuro identificadas como prioritárias para o Estado.
Programa Doutor Empreendedor (PDEmp): É uma ação da Fapergs voltada à transformação do conhecimento gerado nas Instituições de Ciência e Tecnologia (ICTs) em valor para a sociedade. O edital contará com a parceria do CNPq e do Sebrae-RS. O valor total será de R$ 3,39 milhões e a perspectiva é apoiar 20 propostas de criação de empresas de base tecnológica por doutores.
Programa Centelha é um programa do governo federal, implementado por meio de parceria com a Finep/Fapergs que busca apoiar a criação de startups de base tecnológica. Os parceiros estaduais deste programa são Badesul, Sebrae-RS e Reginp. O Centelha conta com o aporte de R$ 1,1 milhão da Finep e de R$ 735 mil da Fapergs. O recurso possibilitará o apoio de até 50 startups.

Depoimentos 

“Temos um compromisso com a pesquisa, a inovação e a educação para aumentar a produtividade do nosso Estado. Mas, não há esforço possível para aportar recursos nesta área que não passe pela recuperação fiscal. Tenho esperança na Assembleia Legislativa para conseguirmos encaminhar as mudanças estruturantes para o Rio Grande do Sul e, com isso, poder destinar mais investimentos para essas áreas”.  Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul
“O nosso papel é fomentar a pesquisa e a inovação que levem ao desenvolvimento do Estado. Um dos caminhos é apoiar as empresas nascentes com ideias inovadoras e que um dia poderão se tornar importantes para o Rio Grande do Sul. Vamos fazer parte do Comitê Técnico do Centelha, ajudando a selecionar as empresas e acompanhando e apoiando o seu desenvolvimento”. Jeanette Halmenschlager Lontra, diretora presidente do Badesul
“O Sebrae-RS enxerga na inovação um caminho para que as pequenas e micro empresas possam superar esse momento de dificuldade pelo qual passa o Rio Grande do Sul e o Brasil. Vamos dar amparo para as empresas estarem capacitadas para participar da economia moderna, pois achamos que fora disso não haverá futuro”. André Vanoni de Godoy, diretor superintendente do Sebrae-RS
"O Centelha é uma grande oportunidade para os ambientes de inovação ao Rio Grande do Sul que fomentam, junto à base de estudantes o desenvolvimento de novos negócios. Esse programa vai trabalhar, a jornada da ideia até a transformação em um negócio inovador". Carlos Eduardo Aranha, presidente Rede Gaúcha de Ambientes de Inovação (Reginp)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia

Patrícia Knebel

Ecossistemas de inovação, tendências globais para os negócios, marketing digital, as tecnologias que são os pilares da transformação digital (como mobilidade, Internet das Coisas e Big Data) e todas as novidades que impactam o comportamento dos consumidores e o futuro das empresas e das cidades estão na coluna Mercado Digital. Estou feliz por você estar aqui.