Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 30 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre, segunda-feira, 30 de março de 2020.
Notícia da edição impressa de 30/03/2020.
Alterada em 30/03 às 03h00min
COMENTAR | CORRIGIR

Um esforço maior

O coranavírus ainda é uma realidade latente no dia a dia - seja em isolamento, quarentena, distanciamento social, ou qualquer outro termo que se destine a definir o cenário estranho, para dizer o mínimo. Como já era de se esperar, a pandemia é apenas a causa, pois agora todos começam a discutir - e, claro, a discorrer teses e mais teses sobre - as consequências disso tudo. A certeza é de que, a exemplo de outras crises econômicas que o Brasil enfrentou, a Comunicação é fortemente atingida. Afinal, para muitos empresários, ela ainda é só custo, e não investimento. Então, o que mais se ouve no mercado publicitário é que as equipes, ainda que em formato home office, estão trabalhando muito mais. Se não por ter clientes altamente envolvidos com o coronavírus, é por buscarem incansavelmente maneiras e propostas para se tornarem indispensáveis aos seus. Ora, olhando exclusivamente para esta última frase, não parece de todo ruim.
O coranavírus ainda é uma realidade latente no dia a dia - seja em isolamento, quarentena, distanciamento social, ou qualquer outro termo que se destine a definir o cenário estranho, para dizer o mínimo. Como já era de se esperar, a pandemia é apenas a causa, pois agora todos começam a discutir - e, claro, a discorrer teses e mais teses sobre - as consequências disso tudo. A certeza é de que, a exemplo de outras crises econômicas que o Brasil enfrentou, a Comunicação é fortemente atingida. Afinal, para muitos empresários, ela ainda é só custo, e não investimento. Então, o que mais se ouve no mercado publicitário é que as equipes, ainda que em formato home office, estão trabalhando muito mais. Se não por ter clientes altamente envolvidos com o coronavírus, é por buscarem incansavelmente maneiras e propostas para se tornarem indispensáveis aos seus. Ora, olhando exclusivamente para esta última frase, não parece de todo ruim.

Mais para frente

Innovation Weekend está adiado
Innovation Weekend está adiado
/COLETIVA.NET/DIVULGAÇÃO/JC
A exemplo de diversos outros grandes eventos de Comunicação, o Innovation Weekend, previsto para acontecer entre 10 e 12 de julho, em Gramado, está adiado - ainda sem previsão de nova data. Segundo os organizadores, neste momento, o tema 'O Amanhã', ganha mais relevância. O foco dos responsáveis pelo festival, agora, é seguir as determinações e orientações das autoridades públicas. "Cada um de nós deve ser sua contribuição para que se restabeleça um ambiente saudável e seguro o mais breve possível", esclarece o comunicado.

Meta de 100%

Entidades do mercado publicitário gaúcho provocaram seus profissionais: "... vamos alcançar a meta de 100% home office em suas equipes". A manifestação divulgada recentemente é assinada pelo Sindicato das Agências de Propaganda do Rio Grande do Sul (Sinapro-RS), e pelas Associação Riograndense de Propaganda (ARP) e Associação Brasileira das Agências de Propaganda do Rio Grande do Sul (Abap-RS). A mensagem foi direcionada para agências de propaganda, digitais, escritórios de serviços de design e afins. E o objetivo das entidades foi simples: a maior preocupação de todos deve ser a preservação da saúde.

Parceiros

A Padrinho Agência de Conteúdo, com o objetivo de contribuir com a divulgação de informações importantes e corretas no combate à pandemia do coronavírus, liberou, de forma gratuita, uma série de podcasts que versam sobre a doença, falando, especialmente, sobre cuidados e prevenção. No primeiro dia, três episódios foram lançados. Alexandra Zanela, diretora de Relacionamento e Mercado da Padrinho, cita que alcançar o público de locais mais distantes, com menor acesso aos meios de comunicação tradicionais é um dos intuitos. "Seguiremos produzindo material jornalístico, com informações corretas, pois acreditamos no compromisso que temos com os fatos e com a democratização e acesso à informação", defende Alexandra.

Perfil

Coluna Intervalo Legenda Ricardo Garay Crédito Divulgação coletiva.net
Coluna Intervalo Legenda Ricardo Garay
COLETIVA.NET/DIVULGAÇÃO/JC
A banda 'Mercado Livre' era para ser uma diversão adolescente, sem pretensão alguma de, futuramente, ser uma fonte de renda. Porém, o então baterista Ricardo Garay viu diante de seus olhos o projeto estudantil tomar forma e conseguir o que muitas bandas de garagem desejavam: viver de música. O que começou com uma tentativa de criar um jingle para um curso pré-vestibular, hoje é uma produtora com quase 40 anos de mercado. O sócio-fundador da Jinga deixou a bateria de lado e hoje é compositor de músicas conhecidas, até mesmo, fora da propaganda. E, sim, músicas. Ele não gosta de chamar as letras que escreve de jingles. Conheça mais dessa história e seu personagem no Perfil de Coletiva.net.

Quem não pode

Setor gráfico funciona parcialmente
Setor gráfico funciona parcialmente
/COLETIVA.NET/DIVULGAÇÃO/JC
Ainda que muitas empresas de Comunicação tenham adaptado suas rotinas para o formato de home office, algumas não têm essa opção. É o caso do setor gráfico, no qual os funcionários não podem levar enormes máquinas de impressão para a sua sala de casa. Roque Noschang é presidente da Associação Brasileira da Indústria Gráfica (Abigraf-RS) e do Sindicato da Indústria Gráfica no Rio Grande do Sul (Sindigraf-RS) e diretor da Gráfica Triângullo, no Litoral Norte. Ele salienta que o decreto da Capital, emitido pela prefeitura de Porto Alegre, diz que as gráficas podem continuar trabalhando, pois sem impressos nada funciona. Por outro lado, orienta que, aqueles gráficos que não trabalham com produtos e serviços de primeira necessidade devem, sim, fechar suas indústrias, para ficarem em casa e, assim, preservar a vida.

Agências

E21 cria para Massey Ferguson
E21 cria para Massey Ferguson
/COLETIVA.NET/DIVULGAÇÃO/JC
  • E21 criou e produziu uma ação para a Massey Ferguson. Na peça, é valorizada a esperança que, segundo a campanha, vem justamente do trabalho do homem do campo. O vídeo, que foi produzido em um curto espaço de tempo, apresenta ativações em social media e faz uma convocação: "O agro não para".
  • BATUCA está revendo todos os planejamentos de seus clientes. Alguns voltaram sua comunicação totalmente para o coronavírus, como é o caso da Unimed Nordeste-RS, o Sicredi e a Moinho do Nordeste, que trabalha com farinhas, misturas e pré-misturas.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
Márcia Christofoli
Márcia Christofoli
Notícias sobre meios de comunicação, agências de publicidade e as mudanças no mercado do Rio Grande do Sul estão na coluna Intervalo, publicada todas as segundas-feiras.