Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 30 de dezembro de 2019.

Jornal do Comércio

Notícia da edição impressa de 30/12/2019.
Alterada em 30/12 às 03h00min
COMENTAR | CORRIGIR

Acabando (mesmo)

Pedindo nova licença dos textos de reflexão e/ou provocação...
Pedindo nova licença dos textos de reflexão e/ou provocação...
Tradicionalmente, a coluna Intervalo publica, ao final de cada ano, algumas edições especiais com um panorama dos últimos 12 meses no mercado publicitário gaúcho.
Veja alguns balanços dos empresários da Propaganda gaúcha (Parte 2!):

Ano desafiador e exigente

Luciano Vignoli, sócio-diretor da e21
Luciano Vignoli, sócio-diretor da e21
/COLETIVA.NET/DIVULGAÇÃO/JC
Em um ano que começou "terrível para a economia", a e21 o finda comemorando a atração de clientes e projetos, e a consolidação da sua oferta de serviços de marketing. "Com projetos novos e clientes em rediscussão e ampliação do escopo de trabalho, estamos mais enxutos, mais inteligentes e trabalhando muito bem. Construindo um 2020 consistente", disse Luciano Vignoli, diretor-presidente da agência. Não foi um ano fácil, fazendo com que os resultados empatassem com 2018, mas, segundo ele, foi desafiador, exigente, criativo e intenso. Para crescer 20% no ano que vem, ele não descarta alguma aquisição, nem a contratação de novos colaboradores. "Vamos seguir investindo e ampliando nossa atuação", garantiu.

Excelente é a palavra

Lucas Feltes, 
sócio-diretor da WT.AG
Lucas Feltes, sócio-diretor da WT.AG
/Luciano Barreto/Divulgação/JC
O ano da WT.AG, de Novo Hamburgo, foi marcado por melhora nos processos e na qualidade dos serviços. Com isso, foi possível tornar o modelo de negócios Digital First, unindo branding e performance, de acordo com os sócios Dudu Rodrigues, Lucas Feltes e Sarah Feltes. "Os esforços fizeram com que ampliássemos as entregas para os clientes de nossa base. No segundo semestre de 2019, conquistamos contas e, praticamente, crescemos em todos os clientes", destacou Feltes. Um dos destaques do ano, segundo ele, foi a abertura da sede da agência em São Paulo, além da estruturação do time de performance. Para 2020, o sócio acredita em desafios macroeconômicos, mas aposta na atuação da sua agência, que está em plena expansão.

W3Haus

Tiago Ritter, sócio-diretor da W3Haus
Tiago Ritter, sócio-diretor da W3Haus
/COLETIVA.NET/DIVULGAÇÃO/JC
A W3haus fortaleceu a cultura de unir visões que são complementares em favor de coisas novas. Assim é resumido o ano pelo sócio-fundador e CEO Tiago Ritter, que explicou que a ideia vai ao encontro do modelo de operação baseado em times de trabalho multidisciplinar, estruturados a partir dos desafios dos clientes. E, assim, a agência deve continuar em 2020, desenvolvendo o ecossistema e verticalizando em outras unidades de negócio. No que se refere às conquistas de 2019, ele lembrou do lançamento da marca Haus, que se caracteriza como a nova holding do ecossistema de empresas. "Diante de um cenário de instabilidade econômica e retração, considero um ótimo resultado", registrou o sócio.

Começo promissor

Com quatro meses de atuação, a Do It - Marcas e Negócios, comandada pelos sócios Cesar Paz, Cristiano Fragoso e Liana Bazanela, avalia seu começo como sendo promissor. Entre os primeiros trabalhos do trio está o desenho de atuação em rede das empresas do Ecosys, onde a agência está instalada; a estratégia de transformação digital do Canal Rural; e a orquestração e estratégia do Salão ARP 2019. "A Do It faz muito sentido para quem está buscando envolvimento e proximidade de especialistas", destacou Fragoso, adiantando que novos projetos serão divulgados a partir de janeiro próximo. Para 2020, o trio quer aprimorar a metodologia e as entregas. O foco será sempre "resolutivo e atuante nos projetos para marcas".

Muito trabalho

Rodrigo Rey, sócio-diretor da Conjunto
Rodrigo Rey, sócio-diretor da Conjunto
/COLETIVA.NET/DIVULGAÇÃO/JC
"Este foi um ano de muito, mas muito trabalho." Com essa frase, o sócio-diretor da Conjunto, Rodrigo Rey, avalia 2019. Segundo ele, apesar da agência ter enfrentado uma série de desafios, os últimos 12 meses se encerram com sentimento de missão cumprida e bastante êxito. Para o publicitário, a grande conquista foi realmente a superação e a prova de resiliência da equipe, que entregou muito do que propaganda ao longo do período. Para 2020, ele e os sócios Marcelo Aimi e Guido Zimmermann imaginam um momento ainda mais complicado, porém com a expectativa de melhora no cenário econômico. Além disso, entendem o novo ciclo como uma grande oportunidade para que revejam conceitos e formatos da agência.

De NH para o mundo

Juliano Hennemann, 
sócio-diretor da SPR
A expectativa também é muito boa, pois a empresa deve incrementar a atuação fora do RS
Everaldo Oliveira/Divulgação/JC
Com investimentos em prospecção nos Estados Unidos e na Europa, a SPR encerra o ano com trabalhos de grande relevância e muito interessantes em sua jornada internacional. Com sede em Novo Hamburgo, Juliano Hennemann (acima) também vê com bons olhos a aproximação da agência com o meio acadêmico, onde pôde circular bastante em 2019 com palestras diversas. Entre as principais conquistas deste ano, ele salientou marcas como Canoas Shopping, Senar-RS, Artecola, Feipet, Festimalha, Gaúcha TecPar e Segware. Já para o próximo ano, a expectativa também é muito boa, pois a empresa deve incrementar a atuação fora do Rio Grande do Sul e do Brasil. "A economia deve aquecer, e, com isso, a performance de clientes incrementará negócios."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia