Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 06 de fevereiro de 2020.
Dia do Agente de Defesa Ambiental.

Jornal do Comércio

Notícia da edição impressa de 06/02/2020.
Alterada em 06/02 às 03h00min
COMENTAR | CORRIGIR

Frases & Personagens

MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL/JC
"O BNDES não tem pressa para vender a carteira do BNDES-Par. Temos três anos para fazê-lo. Vamos colocar os ativos à venda na medida em que o mercado for absorvendo. Se o mercado for mais rápido, fazemos mais célere. Se não, vamos tirar a mão. Cada ativo que a gente coloca é um teste." Gustavo Montezano, presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
"O BNDES não tem pressa para vender a carteira do BNDES-Par. Temos três anos para fazê-lo. Vamos colocar os ativos à venda na medida em que o mercado for absorvendo. Se o mercado for mais rápido, fazemos mais célere. Se não, vamos tirar a mão. Cada ativo que a gente coloca é um teste." Gustavo Montezano, presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
"Parte dos recursos que o BNDES deve obter com a venda de R$ 115 bilhões em ações de empresas na bolsa será destinado a fomentar a indústria de fundos. Queremos ter 5, 10, 15 fundos de crédito privado no País para alocar em infraestrutura de longo prazo e ser cotistas deles. O mesmo vale para pequenas e médias empresas." Também Gustavo Montezano.
"O Congresso começa o ano legislativo com pautas improrrogáveis. Entre elas, a reforma tributária. É preciso fornecer amparo ao empreendedorismo e simplificar a vida de todos." Davi Alcolumbre (DEM), presidente do Senado.
"As prioridades deste novo ano legislativo são a reforma tributária e o ajuste das contas públicas. O momento que o País atravessa é de grave crise fiscal e nos remete a um caminho: o da responsabilidade fiscal." Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara Federal.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia