Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 20 de dezembro de 2019.

Jornal do Comércio

Notícia da edição impressa de 20/12/2019.
Alterada em 20/12 às 03h00min
COMENTAR | CORRIGIR

Frases & Personagens

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, durante audiência pública na Comissão de Assuntos Economicos do Senado.

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, durante audiência pública na Comissão de Assuntos Economicos do Senado.


/MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL/JC
"A dinâmica do câmbio no Brasil mudou em relação ao passado. A pressão cambial agora é diferente na inflação. Quando o câmbio piorava, as expectativas com o Brasil pioravam. Desta vez foi diferente. O câmbio se desvalorizou com a percepção de melhora do País, com a bolsa batendo recorde e a redução do prêmio de risco." Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central.
"A dinâmica do câmbio no Brasil mudou em relação ao passado. A pressão cambial agora é diferente na inflação. Quando o câmbio piorava, as expectativas com o Brasil pioravam. Desta vez foi diferente. O câmbio se desvalorizou com a percepção de melhora do País, com a bolsa batendo recorde e a redução do prêmio de risco." Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central.
"A pressão atual no câmbio é causada pelo movimento de pré-pagamento de dívidas das empresas no exterior." Também Roberto Campos Neto.
"O setor elétrico brasileiro demandará investimentos em torno de R$ 450 bilhões até 2029, em novas plantas de geração e transmissão de energia. Os investimentos são necessários, pois o crescimento estimado em geração energética é de 35% e, em transmissão, de 39%." Bento Albuquerque, ministro das Minas e Energia.
"O projeto do Executivo de alteração do plano de carreira dos professores achata o salário dos professores estaduais." Sebastião Melo (MDB), deputado estadual.
"Não é problema meu." Jair Bolsonaro, presidente, sobre Caso Queiroz.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia