Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 23 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Notícia da edição impressa de 11/04/2019.
Alterada em 11/04 às 03h00min
COMENTAR | CORRIGIR

Frases e personagens

Otávio do Rêgo Barros

Otávio do Rêgo Barros


VALTER CAMPANATO/AGÊNCIA BRASIL/JC
"Dos quase 30 mil documentos analisados para o chamado 'revogaço', o governo federal decidiu revogar efetivamente 250 decretos de caráter normativo. A revisão contemplou decretos editados entre 1889 e 2019. A primeira fase da ação será formalizada nesta quinta-feira, quando do evento que marca os 100 dias da gestão do presidente Jair Bolsonaro." Otávio do Rêgo Barros, porta-voz da presidência da República.
"Dos quase 30 mil documentos analisados para o chamado 'revogaço', o governo federal decidiu revogar efetivamente 250 decretos de caráter normativo. A revisão contemplou decretos editados entre 1889 e 2019. A primeira fase da ação será formalizada nesta quinta-feira, quando do evento que marca os 100 dias da gestão do presidente Jair Bolsonaro." Otávio do Rêgo Barros, porta-voz da presidência da República.
"O governo pretende criar ainda neste ano o Imposto Único Federal, com a união de três a cinco impostos. Com o imposto único, contribuições e impostos serão todos compartilhados com estados e municípios." Paulo Guedes, ministro da Economia.
"Praticamente todos os municípios de pequeno e médio porte vivem hoje exclusivamente para o custeio e não têm recursos para investimento, porque o bolo dos recursos fica no governo federal." Marcelo Nilo (PSB-BA), deputado federal.
"Nós estamos acompanhando postos de saúde sendo fechados; unidades de atendimento básico para garantir a saúde da população sem condições de funcionar; prefeitos que não estão conseguindo manter o pagamento dos funcionários de hospitais, escolas, creches e centros de assistência à saúde; e obras que não se realizam." Daniel Almeida (PCdoB-BA), deputado federal.
"Foi um lamentável incidente a morte do músico Evaldo dos Santos Rosa, 51 anos, em decorrência de uma operação do Exército, em Guadalupe, Rio de Janeiro. O carro de Evaldo foi atingido por mais de 80 tiros de fuzil, disparados pelos militares. Vamos apurar o caso e cortar na própria carne." General Fernando Azevedo, ministro da Defesa.
"O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, é o maior responsável pela falha na articulação política. E o escritor Olavo de Carvalho é chato pra cacete e deveria ter seu espaço reduzido por Bolsonaro. Tudo o que vem do Olavo de Carvalho tem que tirar do governo." Alexandre Frota (PSL-SP), deputado federal.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia