Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 20 de junho de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Frases e Personagens

Notícia da edição impressa de 20/06/2018. Alterada em 20/06 às 01h00min

Frases e personagens

Esteves Colnago

Esteves Colnago


WILSON DIAS/AGÊNCIA BRASIL/JC
"A ausência de reformas, como a da Previdência, vai colocar o próximo governo em uma camisa de força que vai limitar sensivelmente os chamados gastos discricionários, que são aqueles que o poder público tem liberdade para fazer. São aquelas despesas sobre as quais o governo não tem controle, chamadas de obrigatórias e que incluem a Previdência, que estão subindo acima da inflação, deixando menos espaço para os gastos que o governo pode manejar." Esteves Colnago, ministro do Planejamento.
"Conheço muito bem o simulador para o novo cálculo do IPTU. Foi apresentado quando trabalhei no governo. Tenho certeza que será rejeitado, quando apresentado." Claudio Janta (SDD), vereador.
"Há certos aspectos benéficos do projeto do IPTU. Na Restinga, por exemplo, somente 502 casas teriam aumento do IPTU, enquanto 700 seriam isentas. Já no bairro Leopoldina, a isenção seria para três em cada quatro residências. Se for isso tudo que o prefeito Marchezan fala, a cidade inteira será a favor." Também Claudio Janta.
"Mesmo após extensa conversa com o prefeito Nelson Marchezan Jr. (PSDB), na qual lhe foi explicada a crítica situação econômica, fiscal e orçamentária do município, não foi suficiente para votar contra os servidores públicos. Entendo, mas, por princípio, não posso votar contra. Cresci vendo meus pais, que são servidores públicos, lutando por direitos. Não se pode mudar a regra no meio do jogo." Rodrigo Maroni (Podemos), vereador.
"A China está em guerra comercial com os Estados Unidos. Pequim terá de adotar medidas abrangentes se Washington prosseguir com o plano de tarifar em 10% o montante de até US$ 400 bilhões de mercadorias compradas do País." Nota do Ministério do Comércio da China.
"Os Estados Unidos violaram as leis do mercado, não entenderam a lógica de desenvolvimento do mundo, prejudicam empresas e a população não apenas de ambos os países como do mundo todo." Também nota do Ministério do Comércio da China.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia