Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 05 de agosto de 2019.
Dia Nacional da Saúde/ Farmácia .

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Osni Machado

Empresários & Cia

Ensino Superior

Edição impressa de 05/08/2019. Alterada em 04/08 às 20h01min

Unisinos completa 50 anos voltada à educação do futuro

Reitor Marcelo Fernandes fala sobre o futuro da universidade

Reitor Marcelo Fernandes fala sobre o futuro da universidade


RODRIGO W. BRUM/DIVULGAÇÃO/JC
Com o slogan: "Desafie o amanhã", a Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) apresenta um novo reposicionamento para o futuro e também celebra os seus 50 anos. Um dos grandes objetivos da universidade é justamente ampliar o ensino e também a pesquisa e, deste modo, aproxima-se cada vez mais, de instituições de Ensino Superior e de tecnologia, em particular com à Coreia do Sul.
Com o slogan: "Desafie o amanhã", a Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) apresenta um novo reposicionamento para o futuro e também celebra os seus 50 anos. Um dos grandes objetivos da universidade é justamente ampliar o ensino e também a pesquisa e, deste modo, aproxima-se cada vez mais, de instituições de Ensino Superior e de tecnologia, em particular com à Coreia do Sul.
De acordo com o reitor da universidade, padre Marcelo Fernandes de Aquino, o grande passo foi dado há aproximadamente 15 anos, quando a Unisinos tomou como meta tornar-se uma instituição de Ensino Superior também voltada à tecnologia. Lembra que formam necessários recursos e pessoas capacitadas para empreende esta nova realidade. Diz ao longo do tempo, vem intensificando ações, que visam a integração de docentes e de estudantes pesquisadores junto as universidades coreanas, com objetivo de estudar e de aprender sobre os avanços tecnológicos.
O reitor detalha que a universidade, como parte de seus projetos, adotou a chamada "inflexão tecnológica", uma vez que, ela havia brotado de um ideal mais humanista, com a Faculdade de Filosofia, de Pedagogia, de Economia, Curso de História, e outros, com os quais já havia se consolidado.
"Vimos, porém, que a humanidade estava sendo muito impactada pela transformação da tecnociência. Deste modo, iniciamos, no passado, uma parceria com os coreanos para uma fábrica encapsulamento de chips. Isto colocou a universidade em um outro nível, fazendo com que muitos professores e alunos fossem fazer estágio em instituições coreanas", explica.
Ele salienta que a Unisinos passou a dominar áreas da ciência da Informática, com estudo de semicondutores, chips, microeletrônica, entre outros. E a universidade passou a ser referência nestes setores. "Na tecnociências, passamos a formar pessoas empreendedoras. A nossa visão, para 2025, é sermos reconhecidos como uma universidade global de pesquisa", salienta.
Ele explica que a Unisinos também passou por uma transformação de seu modelo organizacional estrutural. Hoje, segundo o reitor, a universidade apresenta um modelo bem mais flexível e moderno para atender as necessidades do mercado.
Segundo o reitor, existe um grande desafio da universidade Jesuíta com a sua tradição humanista trabalhar com esta nova realidade tecnocientífica. Ele comenta que a Física tem dado espaço para aquilo que hoje estão chamado de a ciência dos dados. "Quem tiver o conhecimento da questão arquitetônica dos dados (Informática), sairá na frente dos demais.
A Unisinos é uma das maiores universidades privadas do Brasil e conta com mais de 86 mil alunos diplomados.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia