Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 10 de junho de 2019.
Dia da Língua Portuguesa.

Jornal do Comércio

Colunas

CORRIGIR
Osni Machado

Empresários & Cia

Gestão

Edição impressa de 10/06/2019. Alterada em 10/06 às 03h00min

Moinho do Nordeste chega aos 73 anos

Plentz, diretor de mercado, e Cunha, diretor-presidente

Plentz, diretor de mercado, e Cunha, diretor-presidente


/LUIZA PRADO/JC
O Moinho do Nordeste, uma das maiores moageiras de trigo do Brasil, chega aos 73 anos, com uma produção ao redor de 300 mil toneladas por ano e um mix de cerca de 100 produtos, abastecendo os mercados do Sul e Sudeste. A empresa prevê manter em 2019, o faturamento de R$ 370 milhões, cifra obtida no ano anterior.
Seguindo as metas de seu planejamento estratégico, o Moinho do Nordeste, terminou agora um ciclo de 10 anos, com investimento de aproximadamente R$ 100 milhões em suas duas fábricas, uma em Antônio Prado, no Rio Grande do Sul e outra em Pinhais, no Paraná.
O próximo passo, de acordo com Valdomiro Bocchese da Cunha, diretor-presidente do Moinho do Nordeste, será ampliar os departamentos de vendas e de marketing, bem como, estimular o consumo dos produtos via ações de campanha. Outra iniciativa, foi o investimento em embalagens sustentáveis, reafirmando o compromisso da companhia com o meio ambiente. Estas embalagens recebem o selo "I'm green" de sustentabilidade.
O Moinho do Nordeste produz farinhas e misturas para pães e bolos e também lançou novas misturas integrais para bolos nos sabores cacau e aveia, coco e linhaça e cravo e canela. A empresa está, igualmente, expandindo a distribuição de seus produtos para o mercado consumidor da Região Sudeste, especialmente no estado de São Paulo. Hoje ela tem forte atuação junto a consumidores finais, varejistas e indústrias de todos os portes no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e no Paraná.
Alessandro Carvalho Plentz diretor de mercado do Moinho do Nordeste, acrescenta que a empresa organiza uma campanha, que tem como lema "Inovar para Inspirar". O objetivo é oferecer um portfólio com solução que melhor se encaixa nas necessidades de cada cliente, seja para uso doméstico, comercial ou industrial. A ação também procura exercer forte engajamento social, promovendo visitas às fábricas; e realizando cursos e treinamento abertos.
Com base nos investimentos feitos, o Moinho do Nordeste, destinou R$ 50 milhões na unidade de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Lá, a produção tornou-se 100% automatizada, posicionando a fábrica paranaense entre as mais modernas do Brasil.
A unidade paranaense processa 600 toneladas de trigo por dia e alavanca entrada do grupo gaúcho no mercado paulista. Também foram construídos três novos silos o que resultou no aumento de 75% a capacidade de armazenagem, que agora é de 15.800 toneladas.
Já na matriz da empresa, em Antônio Prado, são processadas 520 toneladas de trigo por dia. O grupo emprega 348 trabalhadores, sendo 137 na fábrica paranaense.
 
CORRIGIR