Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 02 de julho de 2018.
Dia do Bombeiro Brasileiro.

Jornal do Comércio

Notícia da edição impressa de 02/07/2018.
Alterada em 02/07 às 01h00min
COMENTAR | CORRIGIR

Hong Kong-Zhuhai-Macau, nasce um ícone da engenharia

Estrutura ligará a província de Guangdong com Hong Kong e Macau

Estrutura ligará a província de Guangdong com Hong Kong e Macau


/THIAGO COPETTI/ESPECIAL/JC

Uma província que já tem um impressionante destaque industrial na China se sobressairá ainda mais, em breve, graças a uma grandiosa obra de engenharia geopolítica e econômica. Praticamente pronta para ser inaugurada, a ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau unirá essas grandes zonas econômicas do sul da China, fortalecendo mais a província litorânea de Guangdong.
Além da capital, Cantão (que tem 10 milhões de habitantes, quase o mesmo número de todo o Rio Grande do Sul), Guangdong conta com outras grandes cidades industriais, o que a leva a exibir números invejáveis: representa cerca de 12% total do Produto Interno Bruto do gigante asiático, a segunda maior economia do mundo. Ao responder por cerca de 12% do PIB chinês que em 2016 foi próximo de US$ 11,2 trilhões, de acordo com dados do Banco Mundial, Guangdong teria gerado cerca de US$ 1,34 milhão em riquezas ao país. Superior, portanto, ao PIB da Rússia no mesmo ano (US$ 1,2 trilhão) e equivalente a 74% do PIB brasileiro no período (US$ 1,79 trilhão).
“O PIB de nossa província supera o da Rússia, em uma área territorial muito inferior. Somos uma economia e uma região diferente em termos de investimentos estrangeiros recebidos e feitos no exterior. E vale lembrar que é de Cantão a maior parte dos chineses que emigra da China para a América Latina, levando riquezas para outros países”, destaca Luo Jun, diretor-geral do Escritório de Relações Internacionais da província de Guangdong, que tem mais de 100 milhões de habitantes, mais da metade da população brasileira.
Essa tradição, que dá a Guangdong a condição de ser uma grande janela para o Ocidente, diz Luo, terá um novo e imponente símbolo. A maior ponte já construída sobre o mar fará a ligação, ainda em 2018, da província com Hong Kong e Macau, principais cidades do rico estuário do Rio da Pérola. Com 55 quilômetros, a ponte unirá a província com as duas antigas colônias inglesa e portuguesa formando um novo grande cinturão de riqueza. A ideia principal é reduzir as viagens de barca entre as cidades de quatro horas para cerca de 30 minutos. A obra também simboliza a integração plena de Hong Kong e Macau à China, país ao qual foram devolvidas pelos antigos dominadores no final dos anos 1990.
A ponte já é um ícone da integração e será devidamente celebrada antes do final do ano, garantem as autoridades locais. E percorrer a obra é a prova do sucesso da empreitada que, apenas em um dos momentos de pico de construção, reuniu mais de 10 mil trabalhadores sobre o mar ao mesmo tempo. A obra em si, descontado o tempo de projeto, levou apenas oito anos para chegar ao atual estágio: 99,99% concluída. Falta apenas que o governo Xi Jinping bata o martelo para que seja aberta ao tráfego de carros, ônibus e caminhões de carga, dando vida ao novo corredor econômico chinês.

A megaponte e seus números

  • Para erguer a ponte de 55 quilômetros sobre o mar, foi necessário criar duas ilhas artificiais no meio do caminho para a sustentação da obra.
  • Parte da ponte é submersa, e o trajeto é feito por túneis que ficam sob a água em cerca de sete quilômetros para não interferir no fluxo de navios de carga na baia formada pelas três cidades – uma grande zona portuária.
  • A obra teve seus custos divididos entre Governo Central e as três províncias, e possui um valor estimado em cerca de 15 bilhões de yuanes (cerca de US$ 2,3 bilhões), segundo dados disponíveis no site oficial do projeto.
  • O projeto e sua preparação começaram em 2003 e duraram seis anos até o início da construção, entre 2009 e 2010, e mais oito anos de obras.
Fonte: Província de Guangdong e site oficial das autoridades responsáveis pela obra (www.hzmb.org)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia

Thiago Copetti

A convite do Centro Internacional de Imprensa da China, o repórter está participando de um intercâmbio no gigante asiático. No blog Conexão China, apresentará, além de informações econômicas e políticas da segunda maior economia do mundo, também curiosidades culturais e gastronômicas, dicas de turismo e como é o cotidiano da vida em Pequim.