Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 26 de agosto de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 26 de agosto de 2020.
Notícia da edição impressa de 26/08/2020.
Alterada em 25/08 às 21h37min

Quase tudo...

FERNANDO ALBRECHT/ESPECIAL/JC
Está no seu normal. Com o fundo azul da banca, um artista de rua canta seus recados enquanto os camelôs expõem seus produtos no calçadão da Rua da Praia. A bem da verdade, mesmo no período mais duro, os vendedores não estiveram ausentes. Mas o melhor sintoma de fluxo de gente é artista de rua. Ninguém gosta de cantar para ninguém.
Está no seu normal. Com o fundo azul da banca, um artista de rua canta seus recados enquanto os camelôs expõem seus produtos no calçadão da Rua da Praia. A bem da verdade, mesmo no período mais duro, os vendedores não estiveram ausentes. Mas o melhor sintoma de fluxo de gente é artista de rua. Ninguém gosta de cantar para ninguém.

Por falar em fluxo...

...a segunda-feira deve ter sido a mais movimentada desde o início da pandemia. Ou foi um dia atípico, porque a área central regurgitava de gente. Em alguns pontos da cidade, houve até congestionamento. E se vale a observaço do colunista, rostos já mostravam leves traços de alegria.

Querida encolhi...

...as candidaturas. Dos 18 postulantes à prefeitura de Porto Alegre, parte já desistiu por razões de partido, como foi o caso da vereadora Comandante Nádia (DEM). Poderia dar um nome interessante. Ela faz um eficiente relato da sua atividade parlamentar, um ponto descuidado por muitos vereadores. Usar redes sociais requer prática e habilidade.

Dito pelo não dito

É um festival de remarcações Rio Grande do Sul afora, de nova volta às aulas. Não tanto pela permanência no platô, mas pela informação de que crianças assintomáticas podem pegar o vírus e levá-lo para casa. Neste caso, o perigo é a casa.

O novo 'anormal'

A expressão 'novo normal', já um tanto gasta, subentende que, mesmo pós-pandemia, todo evento se dará de forma virtual através de lives e processos semelhantes. É cedo dizer que todos serão assim, mas é fora de qualquer dúvida que o temor de contágio será uma neura por looongo tempo. Então, evento físico será o novo 'anormal'.

O tamanho do olho

Tudo ficou mais caro. Com a paulatina volta ao 'quase normal', os preços vão subindo. A queixa é de quem vai às compras e de comerciantes que ficam arrepiados com os fornecedores. Não será surpresa se a inflação de agosto repetir os 1,63% de julho. Para piorar, o custo de vida tende a ser maior que o indicador oficial. Parte é olho grande.

Prêmio Press

Vai ter a edição 2020, seu Júlio Ribeiro se virou nos 30. A votação começa dia 14 de setembro e se estende até 1º de novembro. A cerimônia de premiação será feita em um programa de tevê, com todos os finalistas participando on-line. Para tanto, a revista Press firmou parceria com a RDC TV.

Orquestra Jovem

Crianças e adolescentes da Orquestra Jovem do RS prepararam o seu concerto de encerramento da etapa do projeto Evolução Sinfônica à distância. Com apoio da Braskem, o projeto atende a 110 crianças e jovens dos 10 aos 24 anos de baixa renda. O vídeo está disponível no Facebook da instituição.

Livres e importantes

Comemorou- se o Dia Do Feirante, efeméride que lembra as feiras livres de Porto Alegre, uma tradição na cidade. Mas não só de feira física se vive. Desde meados de abril, agroindústrias e agricultores familiares, participantes ou não de feiras, passaram a contar com um canal próprio para se conectarem a seus consumidores, a Feira Virtual da Agricultura, que já conta com mais de 90 mil visualizações e 900 empreendimentos cadastrados.

Maçã dá dinheiro

As duas. A maçã fruta e a maçã símbolo da Apple. As ações da gigante americana estão valendo mais de US$ 500, e subindo. A avaliação da empresa bateu em US$ 2 trilhões, 146% a mais que há um ano. O milagre atende pelo nome de iPhone 5G, estrela da companhia.

Freio no saque

Da série "não existe almoço grátis": depois da liberação de bilhões de reais nos últimos anos, o FGTS pensa em colocar um freio nas retiradas porque já está com dificuldades de caixa para atender à demanda.

Comentários CORRIGIR TEXTO
Fernando Albrecht
Fernando Albrecht
Informações exclusivas em notas curtas, objetivas e bem-humoradas. Bastidores da política, observações econômicas, causos do cotidiano e um olhar diferenciado sobre a vida urbana estão na coluna Começo de Conversa.