Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 22 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 22 de julho de 2020.
Notícia da edição impressa de 24/01/2020.
Alterada em 23/01 às 22h47min

De volta ao passado

/ACERVO GILBERTO WERNER/DIVULGAÇÃO/JC
Era uma cena de não se esquecer jamais, a procissão fluvial de Nossa Senhora dos Navegantes, com barcos de todos os tamanhos e modelos singrando as águas do Guaíba. A imagem é do início dos anos 1960. Nos anos 1980, ela teria sido proibida pela Capitania dos Portos, o que se revelou falso. A Marinha apenas aumentou o rigor na segurança, como boias para todos a bordo e limitação no número de passageiros. Consta que a procissão passou a ser terrestre por conta de uma promessa feita por um dos organizadores do evento, então usaram a Marinha como desculpa.
Era uma cena de não se esquecer jamais, a procissão fluvial de Nossa Senhora dos Navegantes, com barcos de todos os tamanhos e modelos singrando as águas do Guaíba. A imagem é do início dos anos 1960. Nos anos 1980, ela teria sido proibida pela Capitania dos Portos, o que se revelou falso. A Marinha apenas aumentou o rigor na segurança, como boias para todos a bordo e limitação no número de passageiros. Consta que a procissão passou a ser terrestre por conta de uma promessa feita por um dos organizadores do evento, então usaram a Marinha como desculpa.

Cabelos brancosa

Há, sim, uma relação entre o estresse e os cabelos brancos não relacionadas com a velhice. Trabalho divulgado pela revista Nature mostra que, nessas situações, há interferência no processo de produção das células responsáveis pela pigmentação dos cabelos. Sem elas, eles nascem brancos.

E Jesus criou a Sapa I

Uma larga faixa da classe média está mudando a cultura do "ir à praia" nos fins de semana, principalmente casais mais maduros. Questão de custo-benefício. Para a gurizada pode ser bom, mas, para quem demanda o Litoral há décadas, é um porre. Sai da cidade que começa a esvaziar e vai para a praia que começa a encher e vice-versa, tudo caro e qualidade duvidosa, gente que não acaba mais.

E Jesus criou a Sapa II

O pioneiro a criar um movimento de curtir Porto Alegre nos meses de veraneio foi o publicitário Jesus Iglésias, já falecido. Ele criou uma sociedade sem estatutos, diretoria, mensalidade e sede chamada Sociedade Amigos de Porto Alegre (Sapa). Jesus sustentava que nos meses de verão é que a Capital ficava interessante, sem congestionamentos e aglomerações em bares e restaurantes.

Não governa, mas assina

O pânico criado pelos casos do coronavírus teve uma resposta objetiva da OMS: ainda é cedo para declarar emergência internacional. Entrementes, os mercados mundiais estão nervosos, mas não só pelo perigo do contágio coletivo com as festas do Ano-Novo lunar chinês. A saída do Reino Unido da UE ainda está gerando fortes tremores secundários na Europa. A liturgia do cargo obriga a Rainha Elizabeth a chancelar o divórcio.

Boa notícia

Do ponto de vista dos pedestres, o fim das operações das empresas de patinetes em Porto Alegre foi uma boa notícia. Já chega driblar ciclistas, entregadores de lanches e camelôs com seus badulaques no passeio público.

Promoção

O atual gerente de marketing da Unimed Porto Alegre, Gerson Luis da Silva, assume a nova Gerência Executiva de Relações Institucionais, respondendo diretamente à presidência da instituição.

Historinha de sexta

É conhecida a dificuldade dos descendentes de alemães nas colônias gaúchas de falar sem sotaque, pronunciar "ão" (assim como os castelhanos) e trocar o "P" pelo "B" e vice-versa. Há os que ficam embaraçados e os que aceitam essa condição. Para os que se divertem com isso, seria oportuno perguntar-lhes se podem falar uma só palavra em alemão sem torturar a língua de Goethe. Um empresário que tinha essa limitação, que foi um dos primeiros a descobrir as praias de Santa Catarina, contou entusiasmado das belezas de Bombinhas em uma roda.

- Pombinhas é que é praia, não como as nossas...

A mulher o cortou.

- Não é Pombinhas, é Bombinhas!

O alemão deu de ombros.

- Mas o que foi que eu falei, mulher? Pombinhas, uma veiz.

Também teve o caso de um subprefeito de cidade no Vale do Caí que era incorrigível. Falava o baixo alemão hunsrik perfeitamente misturado com vocábulos portugueses, eventualmente assassinando os dois. Certa vez, o motorista do caminhão da prefeitura precisou manobrar em um trecho apertado da estrada e pediu sua ajuda porque tinha visão limitada na marcha à ré. Deixa comigo, falou o subprefeito.

- Garantia cem por cento - sublinhou.

Confiante, o motorista engrenou a ré. O sub foi orientando oral e gestualmente.

- E vem... vem... vem...

- Tudo limpo, chefe?

- Clarro. Só tem um bosta.

Brincadeira numa hora dessas, pensou o funcionário. Segundos depois, a carroceria esbarrou em algo sólido, que caiu com forte estrondo.

Era um poste de luz.

Procura-se sócios

A Associação Sanatório Belém, proprietária do hospital de mesmo nome, procura parceiros da iniciativa privada e pública. O presidente da ASB, Luiz Augusto Pereira, informa que a instituição que havia arrendado o hospital não cumpriu o contrato. Pereira aduz que está movendo ação contra a prefeitura no valor aproximado de R$ 30 milhões.

Miúdas

DE NOVO, uma argentina foi esquecida em posto da BR-285. Epidemia. Amnésia coletiva. Não tem vacina.
DESTA vez, a Oi se superou. Cliente recebeu duas ligações ao mesmo tempo, um homem e uma mulher. Linha cruzada digital é dose.
DE novo os jogadores da dupla Grenal vão se esfalfar com cinco campeonatos distintos. Isso é permitido pela Convenção de Genebra?
VIGARISTAS que utilizavam o e-mail e depois o Face para aplicar golpes agora migraram para o WhatsApp.
SE Jesus fez o milagre da multiplicação dos pães e peixes, nossos restaurantes fizeram o milagre da diminuição das porções. 
Comentários CORRIGIR TEXTO
Fernando Albrecht
Fernando Albrecht
Informações exclusivas em notas curtas, objetivas e bem-humoradas. Bastidores da política, observações econômicas, causos do cotidiano e um olhar diferenciado sobre a vida urbana estão na coluna Começo de Conversa.