Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 16 de agosto de 2019.
Dia do Filósofo.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Fernando Albrecht

Começo de Conversa

Edição impressa de 16/08/2019. Alterada em 15/08 às 21h29min

Procura-se

FERNANDO ALBRECHT/ESPECIAL/JC
Duas curiosidades notáveis que afloram nestes tempos bicudos: fartura de imóveis para alugar mesmo em áreas nobres, como o bairro Moinhos de Vento, na rua 24 de Outubro, e estacionamentos fazendo promoções para atrair novos clientes.
Duas curiosidades notáveis que afloram nestes tempos bicudos: fartura de imóveis para alugar mesmo em áreas nobres, como o bairro Moinhos de Vento, na rua 24 de Outubro, e estacionamentos fazendo promoções para atrair novos clientes.
 

Entupiu geral

O trânsito estava infernal nesta quinta-feira de manhã em toda a avenida Independência e Mostardeiro. A pista da direita estava fechada por conta da requalificação asfáltica - que não estava assim tão ruim. Como os fiscais de trânsito estão em extinção, deu de tudo, inclusive lotação trafegando pela esquerda para, em seguida, interromper o fluxo para pegar ou largar passageiros.

Por falar em asfalto...

...tudo bem, a gente entende que a prefeitura quer como se diz requalificar o asfalto, mas, para o fechamento dos buracos, nada?

Os sacerdotes do não

O secretário especial da Desburocratização, Paulo Uebel, falará, nesta sexta-feira, às 12h30min, no Sinduscon. Foi escolhido para dar um jeito na burocracia que atravanca o progresso. Vai ser uma luta difícil. Nos anos 1980, Hélio Beltrão ganhou um ministério inteirinho para enquadrar os sacerdotes do não. O que conseguiu voltou a ser como antes em poucos anos.

Saco sem fundo

O TSE manteve as cassações dos diplomas dos vereadores de Rosário do Sul Jalusa Fernandes de Souza e Afrânio Vasconcelos da Vara, ambos do PP, por uso ilícito de verbas do fundo partidário. Que é um saco sem fundo. Não precisa nem um pente muito fino para capturar cobras e lagartos.

Me dá um dinheiro aí

Alguns sindicatos insistem no absurdo de exigir a presença física do sindicalizado para dizer expressamente que não quer contribuir com cota que substituiu o imposto sindical. E estipulam um prazo, o que não tem amparo legal.

Prateleira infinita

Interessante como algumas empresas utilizam figuras de retórica para atualizar antigos conceitos mercadológicos. A Calçados Bibi, de Parobé, criou o conceito de Prateleira Infinita, que disponibiliza o estoque do e-commerce como um apoio na operação das lojas físicas para ampliar as opções dos consumidores.

A curva do tempo

O jornalista Carlos Brickmann (chumbogordo.com.br) ouviu de um economista uma definição legal sobre os hermanos. Se você volta à Argentina 20 dias depois de ter saído, verá que tudo mudou; se voltar depois de 20 anos, constatará que nada mudou.

Historinha de sexta

O Moacir se chamava de Poeta Maldito. Versejava nas noites e madrugadas do Bar Leão da Rua da Praia no final dos anos 1960, acordando alguns espíritos zombeteiros e outros que o exasperavam. Brigava briga desigual com a vida, que nunca o tratou bem. Sim, era um perdedor, mas tinha grandeza. Brandia seus versos como se lanças fossem, um Dom Quixote do verbo. Que fique registrado em ata que Moacir nunca esmoreceu, nunca se deu por vencido.

Hoje amanheci com uma vontade louca de brigar com Deus!

Começava assim um soneto que escreveu numa madrugada gélida do Bar Leão, com o vento uivando pelas frestas do bar, como se o estivessem aplaudindo. Nas mesas vizinhas, companheiros de desgraça bebericavam o mortal "conhaque" de gengibre, que estraçalhou o fígado de gerações. Companheiros da mala suerte, faziam seu o lamento de Moacir. Era a desgraça com primeira e segunda vozes. Então o poeta maldito começou a recitar o verso número 2, bronca dirigida a uma cidade que já começava a perder sua alma.

Vocês não entendem nada de ternura humana...

Vinte anos depois, encontro o Moacir na avenida Independência, em cima do viaduto. Com o olhar perdido na nesga do Guaíba que se via, segurava uma aposta da Mega-Sena acumulada. O que ele faria se ganhasse? Durou uma eternidade para responder.

Vou surfar em Camboriú....

Se ele tinha mesmo intimidade com os ventos, eles providenciariam as ondas para o Moacir. Seria uma forma de compensá-lo.

Miúdas

  • PROJETO de Abuso de Poder não passa de mera retaliação dos deputados federais enrolados na Lava Jato.
  • ALELUIA! Justiça concede liminar que permite a continuação de obras da Fraport no aeroporto.
  • SEIS dias. Foi o tempo que Paulo Fona aguentou como secretário de Imprensa de Bolsonaro.
  • ERRATA: fecharam as quatro lojas de autopeças na Azenha, e não apenas duas.

Finais

  • CORRAM, GENTE, CORRAM: o Hospital Moinhos de Vento promove, domingo, a segunda etapa do Circuito Poa Day Run/9h/Parque Marinha do Brasil.
  • BEBA COM MODERAÇÃO, mas beba. Cervejarias artesanais Diefen Bros, Fil, Polvo Loco e Veterana seguem com estandes no Iguatemi.
  • à audiência pública da OAB-RS que debaterá os impactos na advocacia da reforma tributária dia 20/18h.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia