Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 22 de agosto de 2018.
Dia do Folclore.

Jornal do Comércio

Colunas

CORRIGIR
Fernando Albrecht

Começo de Conversa

Edição impressa de 22/08/2018. Alterada em 22/08 às 13h04min

Perdendo terreno...

Com cerca de 4,3 milhões de habitantes a menos do que a população do Rio Grande do Sul, Santa Catarina está vendendo mais veículos (a maior parte automóveis) do que o Estado. No primeiro semestre deste ano, foram emplacadas 86,5 mil unidades 0 km em solo gaúcho. No estado vizinho, foram 87,2 mil, de janeiro a junho. "Isso é inédito. Fomos ultrapassados pela primeira vez", observa o presidente da Fenabrave-RS/Sincodiv, Fernando Esbroglio.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2018/08/21/206x137/1_0km-8444311.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5b7ca3d2aebf1', 'cd_midia':8444311, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2018/08/21/0km-8444311.jpg', 'ds_midia': 'Veículos 0 km', 'ds_midia_credi': 'Arte/JC', 'ds_midia_titlo': 'Veículos 0 km', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '346', 'cd_midia_h': '317', 'align': 'Left'}

...para a vizinhança

É mais uma comprovação do que sentimos empiricamente, que o estado vizinho deixou de ser "mané" há muito tempo, e hoje perigamos conquistar esse posto. As explicações são muitas, mas a razão fundamental é que Santa Catarina, para usar o jargão, fez o dever de casa, enquanto nós fomos ficando lamurientos, perdendo terreno e PIB. Novamente para usar o jargão, não fizemos o dever de casa.

Limpeza aérea


JOÃO AMÍLICAR/DIVULGAÇÃO/JC
As 76 empresas que compartilham estrutura da CEEE para passar seus cabos (telefonia, TV a cabo ou fibra óptica) têm até o fim deste mês para informar a concessionária sobre os pontos em que seus equipamentos estão instalados. Em setembro, a companhia de energia dá início a um projeto-piloto em que técnicos vão fazer a retirada dos fios inativos ou de ocupantes clandestinos (sem contrato) de seus postes. Boa iniciativa. Emaranhado de fios, como na Carlos Gomes, quase tapa a luz do sol.

Zeros à esquerda I

Se cortar zeros da moeda estancasse a hiperinflação, como fez a Venezuela, de Nicolás Maduro, o Brasil teria se livrado dessa chaga a partir de 13 de fevereiro de 1967, quando entrou em vigor o cruzeiro novo em substituição ao cruzeiro (1942). Em 1970, novo corte de zeros, e voltou a ser cruzeiro.
 

Zeros à esquerda II

Em 1986, no governo de Sir Ney, inventamos o cruzado e depois o cruzado novo. Só domamos o dragão com o Plano Real, no governo Itamar Franco, em 1994. O Brasil já teve nove moedas desde 1822, a começar pelo réis. De certa forma, é uma amostra da nossa instabilidade monetária ao longo do tempo.

Enche o tanque

O Querosene de Aviação (QAV) atingiu o maior valor desde 2002, o equivalente a R$ 3,30 o litro - combustíveis usados na aviação são medidos por peso, 1 kg equivale a 1,18 litro. Parece normal em relação ao custo da gasolina, mas convém não esquecer que, para encher os tanques de 737-800, precisa de 21 toneladas, o equivalente a 27 mil litros. E o QAV é o que mais pesa no custo de operação de uma aeronave.

Porta de entrada

O grupo japonês Sojitz anuncia, no dia 29, sua entrada no mercado automotivo adquirindo as concessionárias Audi no Estado. Trata-se de um conglomerado centenário, com 436 subsidiárias ao redor do mundo, aproximadamente 18 mil funcionários e US$ 38 bilhões de faturamento anual. No Brasil, o Sojitz está presente em investimentos nos setores petrolífero, petroquímico, de mineração e do agronegócio.

Migrações eleitorais

A pesquisa da XP da semana passada mostrou o crescimento da candidatura de Fernando Haddad (PT), indicação de transferência de votos do eleitorado que não crê que Lula (PT) possa ser candidato. Nas entrelinhas, dava a entender que a migração não seria muito maior que os 15% indicados. Verdade ou não, o trabalho do Ibope mostra que 39% dos eleitores do ex-presidente não votariam em Haddad. A confirmar.

Engenharia corta-pneu

O angustiante não é apenas driblar os buracos das ruas da Capital. Pior é não ter esperanças de que eles serão eliminados, porque o prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) tem dito que não anuncia, que age. Entrementes, o mau tempo vai tornando as crateras cada vez mais fundas e com as paredes cada vez mais afiadas.

Miúdas

  • TEMPORADA de vacas gordas na hotelaria com dois eventos de porte, Expoagas e Expointer, na sequência.
  • SEMANA Farroupilha também pode atrair forasteiros. Haja guaiaca.
  • PAGAMENTO da primeira parcela do 13º dos aposentados significa R$ 2,3 bilhões no Rio Grande do Sul, sendo R$ 1,6 bilhão para consumo.
  •  PALESTRA de Paulo Vellinho na ACPA foi prestigiada pelo ex-governador Pedro Simon (MDB) e teve mensagem em vídeo enviada por Delfim Netto.
  • ELEIÇÃO afeta o emocional no preço do dólar e não cabe ao BC intervir (NGO Câmbio News).
  • LEITOR pondera que o custo de uma ciclovia é exorbitante se os ciclistas circularem fora delas. É verdade.

Finais

DERIVA Zero é o novo programa para promover a segurança e a eficiência na aplicação de agrotóxicos do Senar-RS em parceria com Secretaria da Agricultura/Crea-RS/Mapa. CAMPANHA do Agasalho da Unimed Porto Alegre arrecada mais de 21 mil itens. ESCRITÓRIO de arquitetura Stemmer Rodrigues está comemorando 31 anos com dois projetos escolhidos pela revista italiana Interini.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia