Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 28 de novembro de 2019.
Feriado nos EUA - Dia de Ação de Graças.

Jornal do Comércio

Panorama

COMENTAR | CORRIGIR
Edição impressa de 28/11/2019. Alterada em 28/11 às 03h00min

em foco

PAN Santa Maria Sesc Circo - aldeia indígena Foto Igor Natusch Especial JC

PAN Santa Maria Sesc Circo - aldeia indígena Foto Igor Natusch Especial JC


/IGOR NATUSCH/ESPECIAL/JC

A arte circense e a cultura Guarani se encontraram ontem, durante as atividades do

5° Santa Maria Sesc Circo.

Pela primeira vez, o evento levou espetáculos para escolas localizadas em aldeias indígenas. A EEEF Indígena Yvyra'Já Tenonde Vera Miri, que atende cerca de 50 alunos da etnia Guarani, recebeu o espetáculo 2 lunáticos, da Cia Re Tri Circo. Empolgadas, as crianças da comunidade riram e interagiram com os artistas circenses. "Para nós, é muito bom receber (atividades do tipo). É algo que vem para somar, aproximar, sem apagar a nossa cultura, que também tem muita brincadeira", diz o cacique Jonatas Benites Vhera Xunu. O evento, que promove a arte do circo até o próximo domingo, terá atividades em mais três escolas de Santa Maria, incluindo a EEEF Indígena Augusto Ope da Silva, que atende a etnia Kaingang. (Igor Natusch)

A exibição do conto musical Boy in the woods (imagem abaixo) marcará o lançamento do

Instituto Fábrica,

braço social da Fábrica do Futuro (Câncio Gomes, 609). A animação narra a história de um menino que se perde em uma floresta, uma analogia para falar sobre autismo. De autoria do musicista e CEO da Fábrica, Francisco Hauck, a iniciativa é a primeira do projeto Contos musicais, que busca retratar realidades distintas e sensibilizar para temas importantes. Serão duas sessões gratuitas e abertas ao público, às 21h e às 21h20min, com inscrições disponíveis no site Sympla.

A Cinemateca Capitólio Petrobras (Demétrio Ribeiro, 1.085) promove hoje, às 19h30min, uma sessão especial do documentário

Castanha,

comentada pelo ator retratado no filme, João Carlos Castanha, e pelo diretor, Davi Pretto. A bilheteria será destinada ao artista, que se recupera de uma doença pulmonar. Figura bastante conhecida no cenário cultural porto-alegrense, Castanha tem uma carreira marcada por performances nas casas noturnas voltadas ao público LGBT, onde também atua como transformista. Ingressos a partir de R$ 10,00 (meia-entrada) ou doações pelo site Sympla. Também haverá entradas à venda no hall do cinema antes da sessão.

Três noites para celebrar a arte e a gastronomia espanhola. Essa é a proposta do

6º Festival de Flamenco Tablado Andaluz,

que ocorre a partir de hoje no espaço que dá nome ao evento. Neste primeiro dia, as atrações são a banda Flamencura, o cantaor de Sevilha José Anillo Salazar e, no baile, o porto-alegrense Pedro Fernández. Amanhã, tem show com o Tablado Andaluz e a Escuela de Baile Flamenco Graziela Silveira. No sábado, o Tablado será acompanhado por Ana Cândida y Campana Flamenca e Andressa Porto y Zahara Flamenco. O Tablado Andaluz (Venâncio Aires, 556 A) abre às 19h30min, e as apresentações começam às 21h30min. Ingressos a partir de R$ 50,00.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia