Porto Alegre, terça-feira, 10 de maio de 2022.
Porto Alegre,
terça-feira, 10 de maio de 2022.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

- Publicada em 10/05/2022 às 03h00min.

Medida Provisória do Voo Simples pretende atualizar o setor aéreo

Avança no Senado Federal a Medida Provisória 1.089/21, que reduz a burocracia e atualiza normativos do setor aéreo. Durante audiência conjunta das comissões de Infraestrutura (CI) e de Assuntos Econômicos (CAE) da Casa, na semana passada, o secretário nacional de Aviação Civil, Ronei Glanzmann, explicou que, ao promover uma faxina regulatória, a chamada MP do Voo Simples aumenta a eficiência na prestação de serviços e no desenvolvimento da aviação civil no país, o que impulsonará novos investimentos.
Avança no Senado Federal a Medida Provisória 1.089/21, que reduz a burocracia e atualiza normativos do setor aéreo. Durante audiência conjunta das comissões de Infraestrutura (CI) e de Assuntos Econômicos (CAE) da Casa, na semana passada, o secretário nacional de Aviação Civil, Ronei Glanzmann, explicou que, ao promover uma faxina regulatória, a chamada MP do Voo Simples aumenta a eficiência na prestação de serviços e no desenvolvimento da aviação civil no país, o que impulsonará novos investimentos.
"São normas antigas e não mais aplicáveis, e a medida provisória é um modo de continuar atraindo investimentos estrangeiros para nossos aeroportos e companhias aéreas. O Brasil precisa se alinhar com as boas práticas internacionais", explicou. Para o secretário, vai na contramão desse objetivo emenda à proposta aprovada na Câmara, obrigando a volta da franquia gratuita da bagagem - o que na prática não existe, pois a cobrança pelo despacho de malas é diluída na tarifa de todos.
"O remédio aplicado [pelos deputados] ao problema do preço das tarifas está errado, porque traz duas consequências: reduz as competição e pressiona os custo das companhias para o alto", disse o diretor-presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Juliano Noman.
 
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO