Porto Alegre, terça-feira, 04 de janeiro de 2022.
Porto Alegre,
terça-feira, 04 de janeiro de 2022.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Comércio Exterior

- Publicada em 04/01/2022 às 03h00min.

Exportação de móveis tem alta de 50% em 2021 no Tecon Rio Grande

Embarque de móveis com destino ao exterior é feito semanalmente no terminal gaúcho

Embarque de móveis com destino ao exterior é feito semanalmente no terminal gaúcho


/Jorgito Santos/divulgação/jc

Uma das principais transformações provocadas pela pandemia foi a relação das pessoas com suas casas. A notícia é especialmente positiva para a indústria de móveis: a operação da Wilson Sons no Tecon Rio Grande registrou, em 2021, aumento de mais de 50% na exportação de cargas do segmento em relação ao ano anterior. Foram movimentados 9.568 TEU (unidade equivalente a um contêiner de 20 pés), o correspondente a 88,6 toneladas. O resultado é o maior volume contabilizado pelo terminal em 13 anos.

Uma das principais transformações provocadas pela pandemia foi a relação das pessoas com suas casas. A notícia é especialmente positiva para a indústria de móveis: a operação da Wilson Sons no Tecon Rio Grande registrou, em 2021, aumento de mais de 50% na exportação de cargas do segmento em relação ao ano anterior. Foram movimentados 9.568 TEU (unidade equivalente a um contêiner de 20 pés), o correspondente a 88,6 toneladas. O resultado é o maior volume contabilizado pelo terminal em 13 anos.

"O Rio Grande do Sul é um dos maiores polos da indústria moveleira no Brasil e o segundo maior exportador de cargas do setor do País. O Porto do Rio Grande é, assim, um ponto estratégico de escoamento dessa produção. Operamos no terminal de contêineres com as principais linhas marítimas do mundo, que escalam portos de todos os continentes", destaca Paulo Bertinetti, diretor presidente do Tecon Rio Grande.

O Grupo K1, maior fabricante de móveis da América Latina, com sede no município de Tupandi, é uma das empresas que escolheu o terminal para exportar sua produção. "O Tecon Rio Grande nos dá a possibilidade de enviar os produtos até o porto tanto por via rodoviária como pelas barcaças, a partir do Tecon Santa Clara. Além disso, temos a facilidade da armazenagem da carga até o embarque", ressalta Lucas Giollo, coordenador de Comércio Exterior do Grupo K1.

As exportações de cargas do setor moveleiro nacional aumentaram mais de 55% este ano: de US$ 487,6 milhões, entre janeiro e outubro de 2020, para US$ 757,3 milhões no mesmo período de 2021, de acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério da Economia. O Rio Grande do Sul é responsável por 29,6% do total de exportações.

A produção total também cresceu em 2021. Estudo da IEMI - Inteligência de Mercado para a Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário (Abimóvel) revelou alta de 6,5% de janeiro a novembro de 2021, em relação ao mesmo período de 2020. A pesquisa mostrou ainda que empresários do setor vêm investindo em infraestrutura das fábricas e na contratação de mão de obra, o que reflete um otimismo do setor.

O embarque de móveis no Tecon Rio Grande é feito semanalmente. Os principais destinos são as cidades de Londres (Reino Unido), Houston (Texas), Cartagena (Colômbia) e o Porto de Callao (Peru). "O terminal está totalmente estruturado para receber e escoar a produção de móveis para outros países e também para outros estados brasileiros", ressalta Paulo Bertinetti.

O Tecon Rio Grande é o terminal de contêineres mais automatizado do Brasil e opera as principais linhas marítimas que ligam a Região Sul do Brasil ao mundo. Com nove guindastes de cais STS (Ship-to-Shore) e 22 guindastes de pátio RTG (Rubber-Tyred Gantry), o terminal tem capacidade para operar os maiores cargueiros que navegam no mundo e integra os modais hidroviário, rodoviário e ferroviário.

Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO