Porto Alegre, segunda-feira, 23 de agosto de 2021.
Porto Alegre,
segunda-feira, 23 de agosto de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Distribuição

- Publicada em 16h30min, 23/08/2021.

Reiter Log investe R$ 2,5 milhões em veículos sustentáveis para atender a entregas da "última milha"

Empresa diz que soluções logísticas sustentáveis no Brasil são escassas

Empresa diz que soluções logísticas sustentáveis no Brasil são escassas


reiter log/divulgação/jc
A transportadora Reiter Log decidiu apostar também em veículos 100% elétricos. A empresa investiu R$ 2,5 milhões em cinco caminhões JAC Motors para sua operação de distribuição urbana - ou última milha, como é conhecida esta operação no mundo logístico.
A transportadora Reiter Log decidiu apostar também em veículos 100% elétricos. A empresa investiu R$ 2,5 milhões em cinco caminhões JAC Motors para sua operação de distribuição urbana - ou última milha, como é conhecida esta operação no mundo logístico.
Segundo Vanessa Pilz, diretora comercial e de ESG da Reiter Log, a aquisição destes veículos é um investimento alinhado ao compromisso da empresa baseado nos três pilares econômico, ambiental e social. "Acreditamos que, embora o Brasil ainda não esteja no mesmo ritmo dos países da Europa e Estados Unidos, que firmaram metas climáticas expressivas, essa realidade já começa a se criar por aqui. Principalmente para empresas como a nossa, que prestam serviços para multinacionais com metas já firmadas e exigidas globalmente", analisa.
O principal propósito com a compra dos veículos elétricos é zerar a emissão de CO², que é o principal responsável pelo efeito estufa proveniente da queima de combustíveis fósseis. A ideia é migrar gradativamente a operação para alternativas sustentáveis. Atualmente a empresa já opera com veículos híbridos GNV/Diesel, solução para cargas lotação e de longas distâncias, e agora os elétricos, que atuam na distribuição urbana com autonomia de 200km e capacidade para 4 toneladas de carga.
"As soluções logísticas sustentáveis ainda são escassas no Brasil e o custo de investimento de um caminhão elétrico é mais do que o dobro comparado a um veículo similar a diesel. Além disso, a Reiter sempre buscou ser a solução para seus clientes e agora também seremos a opção para que eles atinjam suas metas e compromissos globais", explica Vanessa.
As ações em sustentabilidade e ESG da Reiter Log não iniciaram apenas agora. Em 2014 a empresa já testava veículo 100% GNV e, a partir de 2015, iniciou uma operação dedicada para a distribuição de produtos Unilever com veículos a etanol. No mesmo ano, por sinal, a empresa aderiu ao Mercado Livre de energia. Neste ano, a aposta está no investimento em veículos híbridos GNV/Diesel e 100% GNV, além dos elétricos. Além disso, ainda neste ano serão apresentadas novidades em investimentos neste sentido.

Scania planeja produzir veículo elétrico no Brasil se tiver viabilidade

O presidente da Scania na América Latina, Christopher Podgorski, disse que a montadora tem planos de produzir veículos elétricos no Brasil, mas o passo só será dado quando a tecnologia tiver viabilidade econômica e financeira, algo que ainda levará algum tempo. Como países emergentes não têm a mesma capacidade de subsídios dos mercados que lideram a transição tecnológica - Europa e Estados Unidos -, a montadora de caminhões de origem sueca prevê um futuro que chama de "eclético".
Nele, motores alimentados por combustíveis de menor emissão - como a propulsão a gás desenvolvida pela fabricante - ou mesmo a diesel vão coexistir com os elétricos.
A expectativa é que em países sem subsídios, e onde o preço dos combustíveis é mais controlado pelo governo, o investimento na aquisição de veículos elétricos leve mais tempo para "se pagar".
Em outras palavras, demora mais para que a economia de combustível compense o preço alto pago pela tecnologia elétrica. Por isso, a mudança de tecnologia vai acontecer primeiro na Europa e nos Estados Unidos, além da China, que também tem política de eletrificação.
Podgorski disse que a introdução, bem como a adaptação industrial, de novas tecnologias faz parte dos investimentos da ordem de R$ 1,4 bilhão previstos para o Brasil até 2024. No momento, contudo, a montadora tem feito apenas testes com veículos elétricos.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário