Porto Alegre, sexta-feira, 08 de janeiro de 2021.
Dia Nacional do Fotógrafo.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 08 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Regulação

- Publicada em 03h00min, 05/01/2021. Atualizada em 11h05min, 08/01/2021.

Envolta em polêmica, ANTT publica relatório parcial

Ouvidoria da agência divulgou o relatório do primeiro semestre de 2020

Ouvidoria da agência divulgou o relatório do primeiro semestre de 2020


ANTT/DIVULGAÇÃO/JC
A Ouvidoria da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) divulgou o relatório do primeiro semestre de 2020. O objetivo da publicação semestral é disponibilizar as informações parciais relativas à atuação da unidade e apresentar os números mais relevantes segmentados por setor de transporte regulado. O ouvidor da ANTT, Caio Nogueira, considera o relatório fundamental para o aperfeiçoamento do trabalho do setor como intermediador de interesses e para promover a interligação entre a ANTT e a sociedade ou o setor regulado.
A Ouvidoria da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) divulgou o relatório do primeiro semestre de 2020. O objetivo da publicação semestral é disponibilizar as informações parciais relativas à atuação da unidade e apresentar os números mais relevantes segmentados por setor de transporte regulado. O ouvidor da ANTT, Caio Nogueira, considera o relatório fundamental para o aperfeiçoamento do trabalho do setor como intermediador de interesses e para promover a interligação entre a ANTT e a sociedade ou o setor regulado.
"O documento subsidia as demais unidades organizacionais desta Agência Reguladora para atuarem de forma mais estratégica no aprimoramento dos serviços de transportes terrestres, bem como para o público externo, haja vista que ele contribui para o exercício do controle interno, externo e social", afirma.
Dias depois de divulgar o relatório, a ANTT voltou à pauta em função da indicação nome de Arnaldo Silva Júnior, ex-deputado estadual e dirigente partidário para a diretoria da agência. Ao sugerir sua nomeação, o governo federal ignorou as restrições da Lei das Agências Reguladoras (13.848/2019), que proíbe que políticos assumam cargos de diretoria em órgãos reguladores.
Além de ministros, secretários estaduais e municipais e titulares de mandato no Legislativo, a legislação veda "dirigente estatutário de partido político" e "pessoa que tenha atuado, nos últimos 36 meses, como participante de estrutura decisória de partido político ou em trabalho vinculado a organização, estruturação e realização de campanha eleitoral".
Silva Júnior foi deputado estadual em Minas Gerais entre 2015 e 2019 e comanda o diretório municipal do DEM em Uberlândia (MG). Ele também é funcionário do gabinete do senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) - escolhido por Davi Alcolumbre (DEM-AP) para disputar a sucessão na Presidência do Senado e apoiado pelo governo Jair Bolsonaro. Pacheco é herdeiro de empresas de ônibus, o que também levantou questionamentos sobre a indicação.
Mesmo violando dois dispositivos da lei, o nome de Silva Junior passou pelo Ministério da Infraestrutura, formalmente responsável pela indicação, pela Secretaria-Geral da Presidência da República, a quem cabe fazer o escrutínio do nome antes da publicação no Diário Oficial da União e pela Comissão de Infraestrutura do Senado, que sabatina o candidato antes de submeter o nome ao plenário da Casa. As restrições impostas pela lei visam evitar que processos de caráter técnico possam ser contaminados por influência política. Na diretoria da ANTT, por exemplo, Silva Júnior terá a chance de analisar desde as taxas de pedágio em rodovias ao tabelamento do frete no País.

O que diz o documento

Principais demandas
  • O transporte rodoviário coletivo de passageiros foi o tema mais demandado, com 67.631 manifestações. "Passe livre" foi o assunto mais abordado (50,4%), devido à recente assunção das atribuições de emissão do documento pela ANTT (antes, a competência era do Ministério da Infraestrutura). No site da agência, estão disponíveis todas as informações sobre o programa.
  • Já a realização/cancelamento de viagens, especialmente no início da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), foi o terceiro maior questionamento (13,3%). O objetivo das ações da ANTT é de atenuar os efeitos da emergência de saúde pública para os usuários de transportes terrestres.
Canais de atendimento
  • De acordo com o documento, a Central de Atendimento Telefônico (166) ainda é o principal meio de comunicação pelo qual os usuários entram em contato com a ANTT (78% das demandas). A Central funciona ininterruptamente, sete dias por semana, 24 horas por dia. Esse canal possibilita o usuário realizar ligações telefônicas para o número 166, as quais podem ser originadas de telefones fixos ou móveis nacionais e são sempre gratuitas.
  • Em 2020, destaca-se a implementação de um novo canal de atendimento, por meio do aplicativo de mensagens WhatsApp (61 99688-4306). A intenção foi ampliar e facilitar a comunicação com a sociedade, com vistas às inovações tecnológicas e ao atendimento de anseio de uma grande parcela do público do setor regulado, como, por exemplo, os caminhoneiros.
  • Segundo o ouvidor da ANTT, "Todas as manifestações recebidas pela Ouvidoria, independentemente do canal utilizado, recebem tratamento criterioso: são cadastradas em banco de dados, protocoladas, analisadas e respondidas. Assim, a Ouvidoria busca aprimorar cada vez mais o contato e a resposta às demandas do usuário, com mais excelência, atenção e resolutividade.

Comentários CORRIGIR TEXTO