Porto Alegre, quarta-feira, 26 de agosto de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 26 de agosto de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Tecnologia

- Publicada em 03h00min, 25/08/2020. Atualizada em 15h52min, 26/08/2020.

Varejistas precisam repensar a estratégia on-line

Compras pela internet tiveram grande incremento em função do isolamento social

Compras pela internet tiveram grande incremento em função do isolamento social


Mediamodifier/pixabay/divulgação/jc
Para repensar a estratégia on-line de forma cuidadosa e assertiva, tanto as marcas como os varejistas precisam atuar em conjunto, combinando o que a loja tradicional tem de melhor com as inovações viabilizadas pelo marketplace, sempre com uma perspectiva de longo prazo. Essa é a análise do sócio-líder de consumo e varejo da KPMG Brasil e América do Sul, Fernando Gambôa. Segundo ele, as marcas tradicionais precisam iniciar o gerenciamento de um canal on-line próprio totalmente integrado com as lojas físicas, enquanto o marketplace deve ser aproveitado frente ao potencial de vendas que tem em função do grande base de clientes que possui.
Para repensar a estratégia on-line de forma cuidadosa e assertiva, tanto as marcas como os varejistas precisam atuar em conjunto, combinando o que a loja tradicional tem de melhor com as inovações viabilizadas pelo marketplace, sempre com uma perspectiva de longo prazo. Essa é a análise do sócio-líder de consumo e varejo da KPMG Brasil e América do Sul, Fernando Gambôa. Segundo ele, as marcas tradicionais precisam iniciar o gerenciamento de um canal on-line próprio totalmente integrado com as lojas físicas, enquanto o marketplace deve ser aproveitado frente ao potencial de vendas que tem em função do grande base de clientes que possui.
"Canais digitais devem ser mais aproveitados porque é uma das principais opções para marcas e varejistas, e mostrou ainda mais relevante em tempos de Covid-19. Dessa forma, entendemos que há oportunidades de engajamento de clientes on-line com as marcas, capacidade de aproveitar a rede tradicional para a conquista de clientes fiéis e a capacidade de oferecer uma experiência unificada no modelo híbrido. Para o lado do marketplace, o principal ponto é Go-To-Market acelerado para marcas que entram por primeira vez no comércio digital, além contar com a oportunidade de testar e escalar os resultados rápidos do marketplace com o impulsionamento das visitas à página da marca", pondera.
Segundo Gambôa, há pontos de atenção para lojas de marcas e marketplace ficarem atentos. "Para as lojas tradicionais, precisa ser levado em conta o alto investimento em conteúdo digital de qualidade, SEO e mídias sociais para a conquista de clientes on-line, além de maior tempo decorrido e custo para adquirir e configurar a infraestrutura necessária para viabilizar a estratégia digital. No marketplace, a principal ação negativa é o alto investimento em iniciativa de visibilidade e marketing digital para obter o compartilhamento de categoria em banners e página da marca", complementa.
"Podemos citar como parâmetros a realização de investimentos para a conquista de clientes on-line, base de clientes tradicionais existente que pode ser aproveitada na migração para o modelo on-line, necessidade de uma experiência diferenciada e superlativa do cliente, capacidade existente do site e conteúdo, e por fim, a necessidade de aprimorar ou estabelecer recursos tecnológicos", explica.

Principais parâmetros para tomada de decisões estratégica

  • Grau de adoção de compra on-line da categoria pretendida
  • Marketplaces existentes que trabalham a categoria desejada.
  • Look and feel da solução utilizada na jornada de compra.
  • Lições aprendidas de concorrentes e marcas em situações similares.
  • Cadeia de suprimentos adequada para as necessidades on-line
  • Integração das lojas tradicionais para logística de última milha e de retorno.
FONTE: KPMG 

Atender ao prazo da entrega é essencial

Com a pandemia, a compra de itens essenciais tiveram aumento significativo. O prazo da entrega é um os principais pontos de atenção das empresas, pois é essencial para a satisfação do consumidor e para o atendimento de suas expectativas.
Em tempos de pandemia, em que uma parcela representativa da população permanece em quarentena, a entrega tem se tornado cada vez mais fundamental para a fidelização do cliente.
Por isso, o planejamento logístico de toda a operação, desde a armazenagem até a distribuição, é essencial para que não ocorram falhas neste processo. Com 19 anos de atuação e ampla expertise no assunto, a Intecom Logística representa um importante parceiro para empresas dos mais diversos segmentos, quando se trata de ter uma operação logística eficiente.
Neste momento, produtos essenciais não podem faltar nas gôndolas dos supermercados, assim como precisam ser entregues nos prazos nas compras no e-commerce, que aumentaram de forma significativa em 2020.
Hésio Ferreira, gerente comercial da Intecom, recomenda que prazo da entrega representa um dos principais pontos que influenciam na experiência dos clientes com a marca/empresa. "Por isso, é fundamental ter a logística como parte representativa da estratégia da empresa", afirma.
 

Confira as orientações para garantir qualidade no serviço

1. Planeje seu nível de estoque
Ter um estoque preparado para atender a demanda é fundamental. Por outro lado, ter uma quantidade elevada no estoque pode gerar custos desnecessários de armazenagem. Desta forma, o planejamento e a atualização do estoque de produtos, de acordo com as estimativas de vendas, são partes importantes para o sucesso do negócio.
2. Aposte em tecnologia de ponta
Toda empresa que precisa de segurança e eficiência em sua cadeia logística utiliza tecnologias para o acompanhamento dos processos internos do Centro de Distribuição, da carga em tempo real e para a gestão dos estoques. A tecnologia usada nas operações é um componente fundamental no bom desempenho. A Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) utilizada pela Intecom é indispensável para a promoção de uma logística inteligente. A empresa utiliza softwares TMS, WMS, TRACKING e ERP, sistemas robustos, porém flexíveis, customizáveis e de linguagem acessível a outras tecnologias de ponta. Entre essas soluções é possível o cliente acessar remotamente os estoques, pedidos em produção, o que foi expedido e entregue em todo o Brasil.
3. Foco no cliente
Entenda o negócio do seu cliente, suas peculiaridades e necessidades para atendê-lo em termos de disponibilidade de produtos nos pontos de vendas e de prazos de entregas. O processo dedistribuição deve ser todo pensado para garantir a satisfação do cliente.
4. Tenha indicadores de desempenho
Qual o seu nível de serviço, ou seja, a capacidade de entregar os produtos e cargas dentro do prazo? Esse dado e outros indicadores de performance (KPIs) das operações são fundamentais para medir a eficiência de toda a operação logística. Por isso, trabalhe para que o nível de serviço esteja sempre o mais alto possível, o que significa que o prazo de entrega foi efetivamente atendido.
FONTE: Intecom Logística
Comentários CORRIGIR TEXTO