Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 14 de novembro de 2019.
Dia do Bandeirante.

Jornal do Comércio

JC Logística

COMENTAR | CORRIGIR

Aviação

Edição impressa de 14/11/2019. Alterada em 14/11 às 03h00min

Aeroportos têm a melhor avaliação em pesquisa

Aeroporto Hercílio Luz, de  Florianópolis, registrou 9% de evolução de um ano para o outro, uma das maiores altas da pesquisa

Aeroporto Hercílio Luz, de Florianópolis, registrou 9% de evolução de um ano para o outro, uma das maiores altas da pesquisa


/FELIPE CARNEIRO/DIVULGAÇÃO/JC
Os 20 principais aeroportos do País receberam dos passageiros, no terceiro trimestre de 2019, a maior nota da série histórica da pesquisa realizada pela Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC) do Ministério da Infraestrutura. Iniciada em 2013, a Pesquisa de Satisfação do Passageiro e de Desempenho Aeroportuário apontou, entre julho e setembro, uma nota média de 4,42 para o conjunto dos aeroportos, em uma escala de 1 a 5, na qual 1 é "muito ruim" e 5 é "muito bom". Isso significa que os aeroportos são considerados "bons" ou "muito bons" para 91% dos 25.461 passageiros entrevistados.
Os 20 principais aeroportos do País receberam dos passageiros, no terceiro trimestre de 2019, a maior nota da série histórica da pesquisa realizada pela Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC) do Ministério da Infraestrutura. Iniciada em 2013, a Pesquisa de Satisfação do Passageiro e de Desempenho Aeroportuário apontou, entre julho e setembro, uma nota média de 4,42 para o conjunto dos aeroportos, em uma escala de 1 a 5, na qual 1 é "muito ruim" e 5 é "muito bom". Isso significa que os aeroportos são considerados "bons" ou "muito bons" para 91% dos 25.461 passageiros entrevistados.
Em relação ao mesmo período do ano passado, a percepção geral de melhora sobre o conjunto dos 20 aeroportos cresceu 13,7%. A pesquisa avalia a experiência dos passageiros de voos domésticos e internacionais em diversos itens de infraestrutura aeroportuária, atendimento e serviços, e monitora o desempenho de diferentes processos, como check-in, inspeção de segurança e restituição de bagagens.
Dos 38 indicadores pesquisados, 79% (30) obtiveram média superior a 4 (bom), ficando dentro da meta estabelecida pela Comissão Nacional de Autoridades Aeroportuárias (Conaero). O levantamento serve como um referencial para a administração dos aeroportos. Seus resultados incentivam a competitividade entre eles, ao elevar os parâmetros de qualidade e explicitar o que precisa ser melhorado na prestação dos serviços.
O agrupamento "facilidades ao passageiro", que contempla a avaliação de oito itens (como estacionamento, lojas e lanchonetes), obteve a pior avaliação média: 3,56. Já a avaliação dos órgãos públicos nos aeroportos recebeu a maior nota média geral por agrupamento de indicadores: 4,57. Nesse quesito, os passageiros avaliaram cordialidade dos funcionários e tempo de espera nas filas de aduana, migração e imigração.
As companhias aéreas receberam a segunda melhor nota média geral: 4,52. Os itens pesquisados foram cordialidade e prestatividade dos funcionários, tempo de fila no check-in, restituição de bagagem e disponibilidade e qualidade das informações. A média percentual de evolução de todos os indicadores pesquisados, desde o início da série histórica em 2013, é de 14%. Os 20 aeroportos pesquisados são responsáveis por 87% do total de passageiros transportados no Brasil.
Os aeroportos que registraram melhora na avaliação geral, em relação ao terceiro trimestre do ano passado, foram os de Florianópolis, com evolução de 9%; Belém, 5,7%; e Fortaleza, com 4,7% de aumento da nota média dos usuários. Também registraram melhora os aeroportos de Goiânia ( 1,7%), Brasília ( 1,5%), Vitória ( 1,3%), Maceió ( 1%), Cuiabá ( 0,8%), Campinas ( 0,7%), Curitiba ( 0,7%), Manaus ( 0,5%), Porto Alegre ( 0,5%), Rio-Santos Dumont ( 0,4%) e São Paulo-Congonhas ( 0,1%).
Já os aeroportos com queda da nota média geral atribuída pelos passageiros, em relação a 2018, foram os de Salvador (-3,4%), Recife (-1,8%), Belo Horizonte (-1,3%), Natal (-1,3%), São Paulo-Guarulhos (-1,1%) e Rio-Galeão (-0,4%).

Satisfação geral (notas de 1 a 5)

  • 1º - Campinas - 4,77, melhor avaliação
  • 2º - Curitiba 4,75
  • 3º - Vitória 4,65
  • 4º - Maceió 4,56
  • 5º  - Confins 4,55
  • 6º - Goiânia 4,54
  • 7º - Manaus 4,53
  • 8º - Brasília 4,47
  • 9º - Santos Dumont (Rio) 4,44
  • 10º - Galeão 4,43
  • 11º - Fortaleza 4,41
  • 12º - Congonhas 4,36
  • 13º - Porto Alegre 4,35
  • 14º - Recife 4,34
  • 15º - Guarulhos 4,34
  • 16º - Natal 4,33
  • 17º - Cuiabá 4,27
  • 18º - Belém 4,23
  • 19º - Florianópolis 4,17
  • 20º - Salvador 4,12 pior avaliação

Principais resultados

  • Em relação ao terceiro trimestre de 2018, a média da satisfação geral do passageiro subiu de 4,36 para 4,42 no terceiro trimestre de 2019, alcançando a maior nota média da série histórica da Pesquisa de Satisfação do Passageiro e de Desempenho Aeroportuário;
  • Todos os 20 aeroportos ficaram com média de satisfação geral igual ou superior a 4 (bom) pela segunda vez na série histórica, repetindo o segundo trimestre de 2019;
  • Florianópolis teve a maior evolução percentual comparado ao terceiro trimestre do ano passado: 9%;
  • Belém teve a segunda maior evolução percentual comparado ao mesmo período do ano anterior: 5,7%;
  • 14 de 16 indicadores do agrupamento "infraestrutura aeroportuária" (87%) obtiveram avaliações acima de 4 (bom);
  • O indicador "qualidade da internet/Wi-Fi" teve sua maior média histórica (3,75) pelo segundo trimestre seguido;
  • Os indicadores "custo-benefício das lanchonetes e restaurantes" e
  • "custo-benefício dos produtos comerciais" tiveram suas maiores médias históricas neste trimestre (2,96 e 3,24, respectivamente) e foram os que mais evoluíram desde o início das pesquisas: 32% (ambos), entre todos os 38 indicadores pesquisados;
  • Todos os seis indicadores referentes a "companhias aéreas" se mantiveram acima de 4. Ambos os indicadores relacionados à restituição de bagagens (velocidade e integridade) tiveram sua maior média histórica: 4,52;
  • Todos os seis indicadores referentes aos órgãos públicos se mantiveram acima de 4;
  • O indicador "transporte público para o aeroporto" teve sua maior média histórica neste trimestre: 4,44;
  • Desde o início das pesquisas, os indicadores relativos a "facilidades aos passageiros" foram os que mais evoluíram: 20% em média;
  • Os viajantes que utilizaram os aeroportos de Congonhas e Santos Dumont, no terceiro trimestre de 2019, foram os que mais fizeram check-in exclusivamente pela internet, viajando apenas com a bagagem de mão - 70% e 65%, respectivamente. Já em Curitiba e Recife, apenas 25% dos entrevistados, em ambos os aeroportos, fizeram check-in pela internet, sem despachar bagagem;
  • Os aeroportos de Vitória e Cuiabá tiveram os passageiros que mais viajaram sozinhos entre todos os 20 aeroportos pesquisados: 85% e 83% dos entrevistados, respectivamente. Já os aeroportos com mais viajantes acompanhados, entre julho e setembro, foram os de Salvador (61%) e Porto Alegre (52%);
  • A utilização de aplicativos de transporte para chegar ao aeroporto esteve em alta em Congonhas e no Galeão, segundo 49,5% e 48,1% dos viajantes entrevistados, respectivamente;
  • A média percentual de evolução de todos os indicadores pesquisados desde o início da série histórica, em 2013, é de 14%.
leia mais notícias de Logística
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia