Porto Alegre, quarta-feira, 23 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 23 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Opinião

- Publicada em 03h00min, 02/09/2020.

Novo ciclo do Programa de Qualidade Contábil já se iniciou

Patricia Arruda, diretora do Sescon/RS, coordenadora do PQC

Patricia Arruda, diretora do Sescon/RS, coordenadora do PQC


/ALEX RAMIREZ/DIVULGAÇÃO/JC
Patricia Arruda
As empresas contábeis do Rio Grande do Sul contam, há três anos, com um programa de qualidade voltado ao setor: o PQC, Programa de Qualidade Contábil. No ano de 2017, o Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas do Estado do Rio Grande do Sul (Sescon-RS) e o Sescon Serra Gaúcha pensaram e desenvolveram um projeto que visa auxiliar o empresário contábil na gestão e no resultado, além de certificá-lo com o selo de qualidade. A iniciativa está embasada em critérios isentos e independentes, sendo norteado pelo Modelo de Excelência da Gestão (MEG), da Fundação Nacional da Qualidade, mas direcionado ao segmento contábil.
As empresas contábeis do Rio Grande do Sul contam, há três anos, com um programa de qualidade voltado ao setor: o PQC, Programa de Qualidade Contábil. No ano de 2017, o Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas do Estado do Rio Grande do Sul (Sescon-RS) e o Sescon Serra Gaúcha pensaram e desenvolveram um projeto que visa auxiliar o empresário contábil na gestão e no resultado, além de certificá-lo com o selo de qualidade. A iniciativa está embasada em critérios isentos e independentes, sendo norteado pelo Modelo de Excelência da Gestão (MEG), da Fundação Nacional da Qualidade, mas direcionado ao segmento contábil.
O PQC está estruturado para que as organizações contábeis possam participar independentemente do tamanho, do estágio da gestão e da localização. A novidade deste ano é a criação de um questionário de diagnóstico da gestão, em que, após o seu preenchimento, a empresa tem uma sugestão de quantas estrelas pode tentar alcançar.
Entre os benefícios do prêmio estão a possibilidade de identificar o nível de gestão, o incentivo à melhoria contínua, o reconhecimento externo do patamar de gestão e qualidade, trocas de experiências entre os participantes, além da análise de indicadores voltados totalmente para o mercado contábil. Neste caso, a empresa tem a oportunidade de se comparar com escritórios mesma região, com faturamentos e números de funcionários similares; o que é uma excelente ferramenta nos dias de hoje, com o mercado cada vez mais competitivo.
O Programa é norteado por sete pontos: liderança, estratégia e planos, clientes, sociedade, informações e conhecimento, pessoas, processos. A empresa que participa da atividade é obrigada a parar e pensar na sua gestão e tomar as medidas necessárias para melhorar os indicadores e atingir suas metas. Trata-se de um incentivo à evolução da gestão e o reconhecimento a cada estágio alcançado.
No projeto, há seis modalidades, desde a categoria Participante (para a organização que não tem a cultura de medir o desempenho, mas quer iniciar) até o reconhecimento de uma a cinco estrelas. Os concorrentes de uma a três estrelas participam respondendo o formulário de "Compromisso com a Excelência", e os de quatro e cinco estrelas completam o questionário "Rumo à Excelência". A partir de duas estrelas, além da autoavaliação, os candidatos recebem a visita de um avaliador externo. Ao final do processo, há ainda uma banca avaliadora, com a participação de membro da Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (Fenacon).
Este novo ciclo do Programa de Qualidade Contábil está com as inscrições abertas até o dia 20 de agosto. E, devido ao momento que estamos vivendo, conta com uma série de mudanças em relação à fase anterior, como a flexibilização de horas de treinamento, forma de capacitação, todos em EAD, e maneira da visita do avaliador externo.
Mais do que nunca, o momento é de pensar na gestão da empresa, no resultado da organização, em como gerir pessoas, ouvir o cliente e monitorar eventuais gargalos. É necessário estar bem informado e com os processos alinhados, preparados para as mudanças que já vieram e outras que ainda estão por vir. A gestão pela excelência é uma forma consistente de garantir a sustentabilidade das organizações.
Comentários CORRIGIR TEXTO