Porto Alegre, quarta-feira, 23 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 23 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Tributos

- Publicada em 10h25min, 17/08/2020.

Incentivômetro registra mais de R$ 7 bilhões em incentivos fiscais no RS

Indústria tem capacidade de produção de 1,4 milhão de toneladas/ano

Indústria tem capacidade de produção de 1,4 milhão de toneladas/ano


JOÃO CARLOS LAZAROTTO/DIVULGAÇÃO/JC
Nos últimos sete meses, mais de R$ 7 bilhões deixaram de ser arrecadados no Estado devido aos incentivos fiscais. Os números são contabilizados pelo Incentivômetro, uma iniciativa da Associação dos Auditores-Fiscais da Receita Estadual (Afisvec/RS) que busca estimular o debate sobre os valores que deixam de ser arrecadados aos cofres públicos através de benefícios e isenções
Nos últimos sete meses, mais de R$ 7 bilhões deixaram de ser arrecadados no Estado devido aos incentivos fiscais. Os números são contabilizados pelo Incentivômetro, uma iniciativa da Associação dos Auditores-Fiscais da Receita Estadual (Afisvec/RS) que busca estimular o debate sobre os valores que deixam de ser arrecadados aos cofres públicos através de benefícios e isenções
De acordo com a Afisvec, é como se praticamente R$ 1 bi fossem investidos todo mês na iniciativa privada via incentivos fiscais. Os valores são medidos por segundo, através de um contador, e podem ser conferidos através do site do Incentivômetro.
A iniciativa é inédita no País. Para ampliar a visibilidade da ferramenta, um painel físico com o contador de incentivos deve ser instalado em um ponto estratégico de Porto Alegre ainda a definir, nos moldes do Impostômetro, situado no prédio da Fecomércio/RS na Capital.
Recentemente, o Governo do Estado enviou um pacote à Assembleia Legislativa com a proposta de reforma tributária que prevê a revisão de incentivos fiscais. As mudanças precisam ser aprovadas pela Assembleia e sancionadas pelo governador até 30 de setembro para entrarem em vigor ainda no ano que vem.
Comentários CORRIGIR TEXTO