Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 12 de junho de 2019.
Dia dos Namorados.

Jornal do Comércio

JC Contabilidade

CORRIGIR

Fala Profissional

Edição impressa de 12/06/2019. Alterada em 12/06 às 03h00min

Inteligência Artificial vem se tornando a principal aliada dos contadores

Por ser novo, o eSocial ainda não é tão intuitivo, afirma Ayerza

Por ser novo, o eSocial ainda não é tão intuitivo, afirma Ayerza


/Thomson Reuters/Divulgação/JC
Roberta Mello
O uso da Inteligência Artificial (IA) e outras tecnologias inovadoras é fundamental para o desenvolvimento constante dos profissionais de contabilidade. A modernização da profissão sempre esteve atrelada aos avanços tecnológicos, e com a IA isso não é diferente.
Segundo o líder do segmento de Tax Professionals da Thomson Reuters na América Latina, Santiago Ayerza, ao proporcionar auxilio para soluções de dúvidas de maneira rápida e eficaz, a Inteligência Artificial "ajuda os contadores a ganhar tempo com atividades repetitivas do cotidiano e, consequentemente, a ser mais eficiente".
Para resolver dúvidas de maneira rápida, precisa e a qualquer hora, a multinacional de soluções em tecnologia lançou recentemente a TRIA (Thomson Reuters Inteligência Artificial). Trata-se de um chatbot treinado por especialistas, que atua como um assistente virtual do eSocial, disponível no software contábil. A solução foi 100% desenvolvida no Brasil.
Ainda conforme Ayerza, o Brasil está bem cotado internacionalmente quando são avaliadas as tecnologias criadas no País. "A complexidade contábil e tributária brasileira cria um ambiente de grande desafio para que as empresas possam obter uma gestão eficiente, com inteligência e compliance. Esse cenário, de fato, é favorável para o desenvolvimento de soluções que utilizem inovações tecnológicas", diz Ayerza.
JC Contabilidade - Na sua opinião, tem como dar conta do trabalho de contador sem usar as novas tecnologias?
Santiago Ayerza - O desenvolvimento e modernização da profissão do contador está totalmente relacionada com a aplicação de inovações tecnológicas. Até porque a própria Receita Federal, entre outros órgãos, já está empregando esse recurso na arrecadação das obrigações tributárias. O contador, ao adotar essa solução, passa a contar com inúmeros benefícios, que vão desde a automação de processos, digitalização e armazenamento de documentos, análise inteligente de dados, solução de problemas e dúvidas, obtenção de informação estratégica, conformidade legal, etc. Sem o uso de todas as tecnologias disponíveis e sem adotar as novidades que estão sendo lançadas e ainda serão disponibilizadas no futuro próximo, é impossível para o contador desenvolver um trabalho rápido, eficaz, preciso e estratégico que o mercado já demanda e irá demandar ainda mais nos próximos anos. Sem falar que esse já é e um diferencial competitivo para esses profissionais.
Contabilidade - A Thomson Reuters também realiza pesquisas. Vocês percebem um aumento no interesse por essas novidades?
Ayerza - Sim. A Thomson Reuters desenvolveu uma pesquisa recente em parceria com a Live University com mais de 300 profissionais em cargos de liderança no país. Os resultados demonstram um grande interesse das empresas por novas tecnologias. A implementação de inovações é vista como positiva e traz benefícios na opinião de 90% dos entrevistados. Entre os motivos para a adoção das novas tecnologias, 25% afirmam que o foco está na redução de custos operacionais, seguido de melhoria da governança corporativa e mitigação de riscos, com 21% cada, além de ganhos de competitividade, destacado por 16% dos participantes, e melhoria de produtividade, apontada por 14% dos decisores. Segundo o estudo, 80% dos entrevistados acreditam que será impossível se manter competitivo nos próximos três anos nas áreas em que atuam sem a adoção das tendências tecnológicas. Outro dado importante é que 63% dos respondentes estão investindo em capacitação de seus colaboradores para as grandes mudanças que serão impulsionadas pelas novas tecnologias.
Contabilidade - E quais as soluções mais procuradas e adotadas por contadores?
Ayerza - Fizemos um levantamento que perguntou também quais as tecnologias que lhes eram mais atraentes, permitindo a múltipla escolha. A Internet Das Coisas foi lembrada por 31,3% dos entrevistados, seguida por Blockchain (30,9%), Data Science (29,8%) e Inteligência Artificial/Machine Learning (29,2%). Dentre os principais motivos para adotar uma destas inovações, as razões mais apontadas foram aumento da eficiência do trabalho (27%), melhoraria na governança e Compliance (20%), padronização de processos (19%), redução do risco de fraudes (18%) e aumento da competitividade (15%). Em relação às tecnologias inovadoras, 40% dos entrevistados apontaram que ou já usam em sua plenitude as ferramentas disponíveis ao seu setor de atuação, ou usam em algumas áreas e pretendem ampliar a adoção. Outros 15% ainda não as adotaram, mas possuem projetos de curto prazo para implantá-las. Apenas 3% afirmaram que não usam e nem pretendem utilizar.
Contabilidade - O Brasil pode ser um importante produtor de novas tecnologias na área contábil e tributária devido à complexidade dos tributos no País?
Ayerza - A complexidade contábil e tributária brasileira cria um ambiente de grande desafio para que as empresas possam obter uma gestão eficiente, com inteligência e compliance. Esse cenário, de fato, é favorável para o desenvolvimento de soluções que utilizem inovações tecnológicas. Apenas com este tipo de tecnologia inovadora é possível garantir que as entregas contábeis sejam mais rápidas, precisas, cumpridas dentro do prazo e respeitando as diferentes esferas legais. Algumas das soluções e inovações desenvolvidas pela Thomson Reuters no Brasil são referências globais dentro da companhia e, em alguns casos, adotada em outros países, justamente pela necessidade de atender uma demanda significativamente maior do que outros mercados que possuem políticas contábeis e fiscais de menor complexidade.
Contabilidade - Como você avalia o cenário da contabilidade em relação ao uso de tecnologias modernas e disruptivas em outros países?
Ayerza - No Estados Unidos, principal mercado de referência em tecnologia contábil no exterior, os escritórios e profissionais liberais estão sendo pressionados a ampliar a rentabilidade, por meio de um serviço mais consultivo. Neste cenário, a incorporação de tecnologias inovadoras nas soluções contábeis ajuda a agilizar o trabalho cotidiano e liberar os profissionais para esta atuação mais estratégica. Nós estamos trocando experiências com colegas dos Estados Unidos e, em muitos casos, eles enxergam a nossa solução como bastante evoluída em nível internacional e buscam entender como as funcionalidades que dispomos podem ser aplicadas por lá. As soluções da Thomson Reuters estão todas integradas ao ONVIO, plataforma global em nuvem da companhia para o segmento de contabilidade. A ferramenta já conta com funcionalidades de Inteligência Artificial e outras tecnologias inovadoras. Nós contribuímos para o desenvolvimento da ferramenta com o que oferecemos no Brasil e, ao mesmo tempo, aproveitamos os recursos globais. Com essa iniciativa, temos a possibilidade de elevar rapidamente o Brasil para o mais alto nível mundial em SaaS (Software como serviço) para o mercado contábil.
Contabilidade - O eSocial é hoje, no Brasil, a obrigação contábil que requer mais cuidado e o uso de tecnologias para evitar erros? Tem outras que a Thomson Reuters vem observando e buscando soluções?
Ayerza - Por ser uma obrigação relativamente nova (começou a ser implantado em janeiro de 2018), o eSocial ainda não é tão intuitivo para os profissionais de contabilidade, gerando um grande volume de dúvidas. Vimos isso em nossos canais de atendimento, seja telefônico ou digital. No entanto, a maior parte das questões eram simples, operacionais. Por conta disso, a melhor tecnologia para solucionar esse tipo de perguntas é o chatbot, que tem a capacidade de solucionar estas dúvidas de maneira rápida e eficiente. Na Thomson Reuters estamos desenvolvendo chatbots para outros informativos legais que o governo exige, no sentido de ajudar o contador a cumprir os prazos e ter respostas precisas. Já lançamos a TRIA para o Reinf e, em breve, lançaremos outros assistentes virtuais.
Contabilidade - Como funciona a TRIA? O que é chatbot e por que se optou por esse formato de serviço?
Ayerza - A TRIA é um chatbot que atua como uma ãssistente virtual do eSocial, disponível no software Contábil, uma das Soluções Domínio da Thomson Reuters para contadores e escritórios contábeis. A TRIA responde dúvidas sobre eSocial e EFD-Reinf usando recursos de inteligência artificial. Chatbot é um programa que utiliza inteligência artificial para estabelecer conversas com usuários de plataformas, sites e aplicativos. No caso da TRIA, a ferramenta responde mais de 1,2 mil perguntas sobre as entregas de eSocial e EFD-Reinf, trazendo explicações, exemplos e direcionando o usuário para materiais de apoio, quando necessário. A Thomson Reuters escolheu esse formato, pois ele é mais fácil, prático e rápido para auxiliar os contadores a solucionarem suas dúvidas sobre estes temas. Com o uso do chatbot e a obtenção mais eficaz de respostas, os profissionais conseguem informações mais precisas e dedicam mais tempo para o trabalho estratégico de contabilidade.
leia mais notícias de Contabilidade
CORRIGIR