Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Dia Mundial dos Meios de Comunicação.

Jornal do Comércio

JC Contabilidade

COMENTAR | CORRIGIR

Leitura

Edição impressa de 24/04/2019. Alterada em 27/05 às 14h05min

Às urnas, cidadãos!

Em "Às urnas, cidadãos!", novo livro do economista francês Thomas Piketty, o autor faz uma analise de assuntos de extrema relevância para a economia mundial, como as dívidas nacionais, a redistribuição de recursos e a fragmentação do bloco europeu. Às portas da eleição presidencial francesa de 2017, Piketty faz ainda um minucioso balanço dos mandatos de Nicolas Sarkozy e François Hollande; propõe rever diversas políticas que debilitam programas e instituições de grande relevância social e critica a forma de aplicação das alíquotas, que em geral privilegia as grandes empresas e os indivíduos mais ricos, ampliando as já imensas desigualdades.
Porém, diante de países que pouco se importam com seus vizinhos, qual seria a solução? A moratória das dívidas? A formação de uma câmara orçamentária da zona do euro?
Para responder a essas e a outras perguntas, Piketty critica os egoísmos nacionais, lança um amplo olhar sobre a economia global e acompanha a escalada da desigualdade além da Europa, ao discutir a situação de Estados Unidos, África do Sul, Brasil, Índia, Oriente Médio e China. Nas mais de cinquenta crônicas que compõem "Às urnas, cidadãos!" o autor reafirma a ideia de que a economia diz respeito a toda a sociedade, e não a um pequeno grupo de especialistas.
O livro reúne crônicas do consagrado economista, publicadas entre janeiro de 2012 e junho de 2016, que debatem problemáticas de interesse internacional.
"Leitores de mente aberta com certeza se verão incapazes de ignorar as evidências e os argumentos que Thomas Piketty traz à tona", publicou o jornal inglês Financial Times.  "Piketty é um fenômeno político, midiático e editorial surpreendente", publicou o espanhol El País.
Piketty também autor da obra "O capital no século XXI", primeiro livro do autor publicado no Brasil, que acumula mais de 150 mil exemplares vendidos, listado entre os dez melhores livros de 2014 pela Veja. A obra é uma análise do autor sobre a fragmentação europeia, a desigualdade econômica e a crise política francesa.
Às urnas, cidadãos!, Thomas Piketty, Editora Intrínseca, 192 páginas, R$ 39,90. 
leia mais notícias de Contabilidade
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia