Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 02 de janeiro de 2019.

Jornal do Comércio

JC Contabilidade

COMENTAR | CORRIGIR

Opinião

Edição impressa de 02/01/2019. Alterada em 02/01 às 01h00min

A Contabilidade não é mais a mesma - e essa é uma boa notícia!

/THOMSON REUTERS BRASIL/DIVULGAÇÃO/JC
Marcondes Borba
Com o rápido avanço das tecnologias, a nossa rotina tem se transformado com frequência. Hoje, nós temos os mais diversos serviços em poucos minutos. Na área profissional não é diferente. Se mantém no mercado a empresa ou o especialista que for eficiente e souber usar a tecnologia a seu favor. Por estes e outros motivos, o perfil dos escritórios e profissionais contábeis não são os mesmos de antes.
Responsável pelas questões financeiras, tributárias, econômicas e patrimoniais, o contador é peça fundamental em qualquer empresa, seja ela grande ou pequena. A profissão existe de forma regular no Brasil há 73 anos. E para atuar nesse mercado é preciso ser bacharelado ou técnico, e possuir registro no Conselho Regional de Contabilidade do estado de formação.
A figura do guarda-livros, como eram conhecidos os profissionais da área na década de 1950, ganha nova roupagem, e atualmente, a profissão é uma das mais procuradas por jovens brasileiros. Segundo dados do Inep (Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), de 2017, o curso de Ciências Contábeis é a quarta graduação mais quista por estudantes brasileiros, atrás apenas de Direito, Administração e Pedagogia. Já o número de profissionais, o Conselho Federal dos Contadores (CFC), indica que, atualmente, o Brasil supera 349 mil contadores ativos, sendo 160.911 mulheres e 188.260 homens. Portanto, segundo esta pesquisa, os contadores do sexo masculino são a maioria. Mas a participação das mulheres vem crescendo.
O CFC também aponta o número de escritórios contábeis ativos no Brasil chega a 61.864. Já o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), indica que os contadores empregados e atuantes na área de formação, avançou de 127.925 para 193.422, que corresponde ao crescimento de 51,2% entre 2008 e 2013. No mesmo período, o Ipea afirma que os profissionais de administração de empresas (que inclui administradores, contadores, entre outros) foram a segunda categoria que mais gerou contratações, atrás apenas de professores das educações infantil e fundamental.
Já o site “Quero Bolsa”, com base nos dados do Ministério do Trabalho, aponta que a contabilidade foi a quarta área que mais gerou vagas formais nos quatro primeiros meses deste ano, com quase 14 mil postos de trabalho, atrás apenas de enfermeiros, analistas de sistemas e farmacêuticos.
Conforme pesquisa feita pela Thomson Reuters, provedora líder mundial de soluções para empresas e profissionais dos segmentos contábeis, até 2018, a rotina dos contadores será mais eficiente com o uso das tecnologias. O mesmo estudo relata que 78% dos 300 especialistas entrevistados estimam que tarefas críticas como a escrituração fiscal e a coleta de dados serão automatizadas por completo até 2028. Por isso, o contador tem de estar a par das novidades que poderão facilitar o seu trabalho. Nesse sentido, não faltam ferramentas. Empresas de tecnologias têm apresentado diversas soluções que vão desde o envio de guias, balanços, folhas de pagamentos via internet e já calculadas, ao armazenamento de arquivos fiscais na nuvem, onde o cliente, através do celular, tem esses dados ao alcance e a qualquer momento.
Esse é o caso da Domínio, companhia que faz parte do portfólio da Thomson Reuters, e tem criado inovações para melhorar o dia a dia dos contadores. A empresa oferece produtos que automatizam, e gerenciam todos os processos contábeis, fornecendo respostas confiáveis, que levam em conta as constantes mudanças das tributações brasileiras, além de armazenar e coordenar todas as atividades fiscais na nuvem, sem esquecer de treinar os profissionais no formato digital.
É certo que a rotina do contador não será a mesma, na medida em que ele perceber o quão lucrativo pode ser o seu negócio através da tecnologia. E essa é uma boa notícia!
Diretor da Unidade de Negócios de Impostos e Contabilidade para Profissionais da Thomson Reuters Brasil 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia