Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 22 de agosto de 2018.
Dia do Folclore.

Jornal do Comércio

JC Contabilidade

COMENTAR | CORRIGIR

Contas públicas

Edição impressa de 22/08/2018. Alterada em 22/08 às 01h00min

Questões fiscais pautam plataformas de candidatos

Principal proposta para o incremento de receitas do Estado passa pelo ressarcimento da lei Kandir

Principal proposta para o incremento de receitas do Estado passa pelo ressarcimento da lei Kandir


MARCELLO CASAL JR./ABR/JC
Nos planos de governo dos principais candidatos a governador do Rio Grande do Sul constam propostas de soluções que necessitam de uma boa vontade da União. Em alguns casos, "terceirizam" para o governo federal a solução para o problema. Os candidatos mais bem colocados nas pesquisas, por exemplo, têm como principal proposta para o incremento de receitas do Estado o ressarcimento da Lei Kandir.
Aprovada em 1996, a lei regulamentou o ICMS e isentou de cobrança produtos destinados à exportação, garantindo compensação às perdas. Atualmente, contudo, não há valor fixo para isso, fazendo com que os Estados tenham que cobrar anualmente o repasse.
Com uma dívida na casa dos R$ 76 bilhões, o Rio Grande do Sul tem problemas fiscais históricos. Nos últimos 47 anos, o Estado fechou 40 exercícios fiscais em déficit. Em 2017, as despesas foram R$ 1,67 bilhão maior do que a receita, segundo a Secretaria da Fazenda. Atualmente, só a dívida com a União representa 89% das obrigações.
"Uma das iniciativas importantes na área da recuperação fiscal será a retomada das negociações sobre Lei Kandir", diz o plano do governador José Ivo Sartori (MDB), que concorre à reeleição. Ele também aponta a adesão ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF) - que permite ajuda federal ao Estado -, a privatização ou federalização de empresas estatais e a suspensão do pagamento da dívida com a União.
Com discurso semelhante em relação à Lei Kandir, o candidato do PT, Miguel Rossetto, afirmou que também pretende renegociar a dívida com o governo federal e rever o pacto federativo. O candidato do PDT, Jairo Jorge, disse que irá buscar "soluções estruturais com outros estados para gerar alternativas às perdas do pacto federativo, da Lei Kandir" e negociar a dívida do Estado. Eduardo Leite (PSDB) propõe "retomar a renegociação em condições mais justas".
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia