Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 22 de agosto de 2018.
Dia do Folclore.

Jornal do Comércio

JC Contabilidade

COMENTAR | CORRIGIR

Negócios

Edição impressa de 22/08/2018. Alterada em 22/08 às 01h00min

Convênio quer desburocratizar a abertura de negócios

Acordo promove a transformação digital de processos de registro e legalização de novas empresas

Acordo promove a transformação digital de processos de registro e legalização de novas empresas


/MARCELO G. RIBEIRO/JC
A Junta Comercial, Industrial e Serviços do Rio Grande do Sul (Jucis-RS) e mais sete órgãos de registro do País assinaram, na semana passada, em Brasília, o convênio da RedeSimples Digital. A meta é desburocratizar a abertura de novos negócios e garantir mais celeridade e legalidade, por meio da automatização dos processos de registro e legalização de empresas. Atualmente, o período necessário para colocar uma empresa em funcionamento no Brasil pode chegar até 102 dias. Com a alteração no sistema de registro, isso passa a ocorrer em questão de minutos.
Segundo nota da Jucis-RS, as juntas de Minas Gerais, Ceará, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Acre, Roraima, Distrito Federal e Rio Grande do Sul já operam com uma plataforma que faz o registro digital, o que reduziu grande volume de documentos para a abertura de um pequeno negócio. Conforme o presidente da Jucis-RS, Itacir Amauri Flores, com o processo de modernização da autarquia foi possível desburocratizar a abertura de empresas.
O acordo prevê que os tipos jurídicos Empresa Individual de Responsabilidade Ltda. - Eireli -, Sociedade Ltda. e Empresário sejam abertos quase que de forma instantânea, sem a necessidade da análise técnica humana, fazendo tudo pelo sistema digital desde que dentro dos modelos disponíveis no Portal de Serviços da Jucis-RS.
Para o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, a assinatura do convênio é mais um passo para acabar com a burocracia que atrapalha os pequenos negócios. Afif explicou que com a digitalização das juntas comerciais, quem ganha são os empreendedores, que têm seu processo desburocratizado de abertura de empresas de micro e pequeno porte, gerando mais emprego e renda no País.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia