Porto Alegre, terça-feira, 16 de novembro de 2021.
Dia Internacional da Tolerância.
Porto Alegre,
terça-feira, 16 de novembro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Opinião

- Publicada em 16/11/2021 às 03h00min.

Curadoria de conteúdo: como se informar sobre investimentos diante de tanta oferta?

Pier Mattei, da Monte Bravo investimentos

Pier Mattei, da Monte Bravo investimentos


/monte bravo/divulgação/jc

Há pouco mais de 20 anos, os brasileiros contavam com poucas opções para administrar o patrimônio. O cenário de inflação e juros altos formou um padrão de investimentos que se dividia entre caderneta de poupança, imóveis e até linhas telefônicas em alguns momentos.

Há pouco mais de 20 anos, os brasileiros contavam com poucas opções para administrar o patrimônio. O cenário de inflação e juros altos formou um padrão de investimentos que se dividia entre caderneta de poupança, imóveis e até linhas telefônicas em alguns momentos.

O monopólio de clientes e produtos financeiros ficavam, então, nas mãos dos grandes bancos.

No início da minha carreira, há cerca de 15 anos, trabalhei em uma dessas instituições financeiras e pude constatar, de perto, como o cliente ficava em segundo plano. As indicações de investimentos não levavam em conta, na maioria dos casos, os objetivos e interesses de quem investia, mas sim do próprio banco.

Aliado a isso, percebi que muitos clientes, mesmo os de grande poder aquisitivo, tinham pouco tempo para aprender e, consequentemente, pouco conhecimento do mercado financeiro. Isso os levava a acreditar na orientação que vinha da instituição onde guardavam o patrimônio e, provocou em mim, uma enorme inquietude, motivando meu rumo profissional. Queria que meus clientes entendessem as opções e pudessem tomar decisões alinhadas ao perfil de investidor de cada um, independente do produto financeiro.

Foi assim que me tornei agente autônomo de investimentos e, posteriormente, empresário. Quando olhamos para o atual cenário, vemos que o número de investidores brasileiros cresceu mais de 40% somente no primeiro semestre de 2021, na comparação com o mesmo período de 2020, segundo dados da B3. E foi no último ano que, pela primeira vez, a poupança perdeu adeptos, enquanto todos os outros produtos financeiros foram mais utilizados, de acordo com a Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais).

Ou seja, as pessoas estão mais atentas às opções de investimento e zelando mais pelo patrimônio. Não à toa, vemos o exponencial crescimento de influenciadores falando de finanças e a promoção de cursos na área.

Para se ter uma ideia, os influenciadores de investimentos se comunicam com uma base de 74 milhões de seguidores no Twitter, Instagram, Facebook e YouTube, somente no Brasil, o equivalente a pouco mais de um terço da população brasileira, de 211 milhões de pessoas. Estes dados também são da Anbima. Além de tudo isso, também observamos o crescimento do número de aplicativos que permitem ao usuário acompanhar os investimentos e, até mesmo, investir por conta própria.

No entanto, com tanto acesso a produtos e conteúdos variados, a grande dificuldade hoje está na curadoria daquilo que melhor se enquadra na realidade do investidor. Isto pode até parecer uma tarefa simples, mas não é. Ajudar a planejar e organizar a vida financeira de uma estrutura familiar inteira requer especialização, cuidado e, sobretudo, o conhecimento sobre os planos, interesses e objetivos do cliente. Afinal, não existe uma fórmula única de investimentos, uma única carteira de sucesso. O que existe é um planejamento adequado ao perfil de cada um.

Por exemplo: estamos vivendo um período de alta dos juros e, com isso, alguns títulos de renda fixa podem entregar lucros maiores para quem escolhe a opção certa. Você vai encontrar informações e análises a respeito do tema em diversos lugares. Mas como fazer para ter mais segurança na hora de montar o seu portfólio de ativos? Aí entra a figura do(a) assessor(a) de investimentos.

Contar com ajuda qualificada faz toda a diferença para definir uma estratégia de diversificação equilibrada, que rentabilize e que esteja dentro das possibilidades de risco de quem investe. É preciso compreender o momento da economia doméstica e mundial, o comportamento dos ativos em períodos distintos, e por aí vai.

E mais importante do que indicar quais aplicações farão parte da sua carteira, o acompanhamento próximo e ativo de um especialista ao longo do tempo é o que fará você ganhar o campeonato no longo prazo.

Claro, confiança é um fator fundamental. Você precisa encontrar um(a) profissional que entenda seus planos e seja seu(a) grande aliado(a) na realização deles. Alguém que vai te ajudar no dia a dia a definir, com transparência, as melhores estratégias de investimentos.

Quando se trata do que você construiu ou vem construindo, estamos falando de presente e de futuro. Planejá-lo com cuidado e protegê-lo são as melhores formas de garantir a realização dos seus objetivos e planos. Afinal, por trás de cada patrimônio, há uma história única que merece ser preservada.

Pier Mattei
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO