Porto Alegre, segunda-feira, 20 de setembro de 2021.
Feriado no RS - Revolução Farroupilha.
Porto Alegre,
segunda-feira, 20 de setembro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Reportagem especial

- Publicada em 09h58min, 20/09/2021. Atualizada em 21h16min, 20/09/2021.

Dois Irmãos e Ivoti: municípios se destacam no desenvolvimento regional

Com diversas empresas na holding, Herval emprega diretamente 7 mil colaboradores

Com diversas empresas na holding, Herval emprega diretamente 7 mil colaboradores


HERVAL/DIVULGAÇÃO/JC
 
 

Felipe Faleiro*, de Novo Hamburgo
Municípios com tradição empreendedora, Dois Irmãos e Ivoti têm diversos fatores em comum. São vizinhos, integrantes do Vale do Sinos, do Vale Germânico, da região Metropolitana de Porto Alegre e da Rota Romântica. Celeiros de grandes indústrias, ambos têm, em seu DNA, a vocação para o turismo, a agricultura familiar, a criação e manutenção de empregos. Não são poucas as empresas que nasceram nestas localidades, e ao longo das décadas, cresceram em seus ramos de atuação, se tornando, em muitos dos casos, referência em caráter regional, estadual e nacional.
A reportagem conversou com cinco delas, três de Ivoti e duas de Dois Irmãos. Buscou compreender seus modos de operação, suas relações com a comunidade, e especialmente, suas expectativas para o futuro. Em um momento de relativa recuperação econômica, porém em que há ainda incertezas sobre como a economia irá se comportar a curto e médio prazo, estes relatos podem inspirar outros empreendedores a vislumbrar como o caminho se apresenta à frente. Em sua maioria de caráter familiar, estas companhias têm, também, lições a ensinar, independente se estão como matrizes ou filiais de outras empresas com presença na região.
Dados da prefeitura apontam que, das cinco empresas que mais geram arrecadação de ICMS em Ivoti, quatro são do ramo alimentício, fazendo com que o segmento seja destacado na cidade. A Hercosul, adquirida em junho deste ano pela BRF Pet, braço da multinacional BRF, lidera o ranking; é seguida pela Fröhlich; A. Büller, que é do segmento do couro; Marmitt, distribuidora de bebidas, entre elas a Coca-Cola; e a Sucos Petry. Em Dois Irmãos, o Grupo Herval aparece na primeira colocação, com a indústria de móveis Herval, e na vice-liderança, com a Global. Depois, estão citadas a H.Kuntzler, Usaflex e Henrich, todas calçadistas, e a seguir as Malhas Daiane.
Ambos os municípios implantaram, nos últimos anos, leis da Liberdade Econômica, com o objetivo de desburocratizar a abertura de novas companhias, solidificando o desenvolvimento local. Os frutos estão presentes. Dois Irmãos, por exemplo, figurou, neste ano, na 2ª colocação no Rio Grande do Sul em um ranking do Ministério da Economia referente às cidades mais empreendedoras do Brasil. O município também é um dos únicos nove no RS que já encaminharam normas específicas de classificação de baixo risco junto ao governo federal.
O tempo médio para se abrir uma empresa no Brasil é de dois dias e 16 horas, e no Rio Grande do Sul, três dias e 11 horas. Em Dois Irmãos, contudo, este tempo é maior: quatro dias e 15 horas. Em Ivoti, menor: um dia e 11 horas.
Dois Irmãos tinha, em julho, 3.481 empresas ativas, sendo 3.333 matrizes e 148 filiais. Do total de companhias, 2.939 eram microempresas, outras 324 eram de pequeno porte e 218 de outros tipos. E, em Ivoti, havia 2.837 empresas em julho, e destas, 2.711 eram matrizes e 126 eram filiais. 2.312 eram microempresas, 263 de pequeno porte e 262 de outros tipos. Os dados são do Painel Mapa de Empresas, também do Ministério da Economia, a partir das informações dos CNPJs existentes.

Legislações municipais buscam impulsionar as empresas

Ivoti consolidou, em 2010, por meio de decreto da então prefeita Maria de Lourdes Bauermann, uma legislação que concede benefícios fiscais às empresas instaladas ou em vias de ampliação em seu território. Entre eles, estão a isenção do pagamento de taxas de vistoria ou licenças, ajuda financeira na aquisição de maquinário imprescindível para o projeto empresarial, quando necessário, e até a redução ou quitação de impostos municipais por até dez anos. Para isto, é preciso cumprir determinados requisitos, como apresentar estimativa de empregos a serem gerados e de faturamentos atuais e futuros.

Em 2011, o Índice de Participação dos Municípios (IPM) Definitivo, ou seja, o percentual de rateio de 25% do ICMS estadual, era de 0,157499, e para 2021, subiu para 0,165229. O PIB de Ivoti mais que dobrou. O valor, que era de R$ 403,8 milhões em 2008, saltou mais de 150% em dez anos, para pouco mais de R$ 1 bilhão em 2018 - ano mais recente de referência, conforme o Departamento de Economia e Estatística (DEE).

Já em Dois Irmãos, o IPM Definitivo, medido pela Secretaria Estadual da Fazenda, era de 0,206215 em 2011 e 0,252451 para 2021, aumento de 22,4% em uma década. O PIB também teve excelente desempenho, passando de R$ 633 milhões no ano de 2008 para pouco mais de R$ 2 bilhões em 2018 - crescimento de 216%. O Valor Adicionado Fiscal (VAF) das empresas situadas em Dois Irmãos cresceu de R$ 285,1 milhões em 2009 para R$ 717,5 milhões em 2019 ( 151%). Em Ivoti, passou de R$ 211,91 milhões no ano de 2009 para R$ 497,4 milhões no ano de 2019, crescendo, portanto, 134% no período.

Corredores industriais são bem planejados nas duas cidades

Prefeito Meneghetti, de Dois Irmãos, destaca as microempresas
Prefeito Jerri Meneghetti, de Dois Irmãos, destaca fomento do município às microempresas
PREFEITURA/DIVULGAÇÃO/JC
Os grandes corredores industriais, por assim dizer, dos dois municípios, são acessíveis e bem planejados: em Dois Irmãos, pode-se citar a BR-116 e as avenidas São Miguel e Dez de Setembro, que cortam a área central da cidade paralelamente uma à outra. Em Ivoti, estão situados principalmente na avenida Bom Jardim, via de três quilômetros que liga a BR-116 aos bairros; a avenida Capivara, que conecta ao município vizinho de Lindolfo Collor; e a Rua Vale das Palmeiras, caminho alternativo entre o Centro, a Colônia Japonesa e a 116, e que também passa pelo Loteamento Industrial.
Até um passado não muito distante, corria entre a população, especialmente entre os habitantes há mais tempo, a anedota de que Ivoti era uma "cidade-dormitório", onde os moradores saíam para trabalhar em outras localidades e retornavam apenas para dormir. Dado este crescimento populacional visível nos últimos anos, e as novas construções que são vistas por todas as partes no município, assim como o desenvolvimento da economia de uma forma geral, fica bastante claro que a pecha foi plenamente superada.
Dois Irmãos também desenvolveu um pacote de auxílio às microempresas e microempreendedores individuais. Entre os benefícios concedidos pela Administração Municipal, estão o empréstimo de até R$ 20 mil e uma taxa de 0,49% ao mês, auxílio-aluguel para as empresas, prorrogação do pagamento do IPTU, além de cursos de qualificação sobre marketing digital para até 100 empresas. "Estamos com duas iniciativas de apoio para qualificação de mão de obra em andamento, sendo uma para a área do turismo e outra para a área da inovação e tecnologia. Na sequência, outras atividades serão contempladas", diz o prefeito de Dois Irmãos, Jerri Meneghetti, do PP.
O resultado na geração de empregos formais em ambos os municípios tem sido positivo. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), Dois Irmãos gerou, de janeiro a julho deste ano, 933 novos postos de trabalho, e Ivoti, 540. No caso de Dois Irmãos, os ganhos ainda não são suficientes para reverter as perdas do ano passado, quando foram encerradas 1.108 vagas com carteira assinada, também em razão da pandemia. Já em Ivoti, o tombo foi menor: saldo negativo de "apenas" 71 vagas.
 

O projeto que planeja Ivoti para os anos 2060

Ideia é chegar no ano do centenário de criação da cidade com diretrizes para áreas como segurança e educação
Ideia é chegar no ano do centenário de criação da cidade com diretrizes para áreas como segurança e educação
PREFEITURA de ivoti/DIVULGAÇÃO/JC

Em Ivoti, está em andamento uma interessante proposta que visa pensar o futuro a longo prazo do município. Ela é chamada de Ivoti100, e é desenvolvida pela iniciativa privada, membros da comunidade e entidades locais. A intenção primordial do projeto é construir soluções que possam ser aplicadas já a partir de agora, a fim de preparar o município para os descendentes dos atuais moradores. O nome da iniciativa tem relação com o centenário de Ivoti, que será celebrado apenas em 2064. O Ivoti100 não tem vínculos partidários ou diretamente com a Administração Municipal, embora seja apoiado pela prefeitura.

Não há recursos públicos envolvidos no Ivoti100, gerenciado pela empresa SG Urbanismo Inteligente, de Gramado e Canela, e que assina também a metodologia do mesmo. "O projeto está avançando bem", informa o argentino Daniel Capolare, sócio-diretor da SG. Pelo contrato, assinado em julho, a empresa se compromete a realizar oficinas com a participação da comunidade, e inclusive de representantes das grandes empresas do município. Esta etapa leva por volta de oito meses. Algumas delas, em formato de brainstorm, já foram realizadas, e tiveram boa adesão. Nelas, são debatidas ideias para as mais diversas áreas, e que geram relatórios.

O primeiro destes documentos já foi consolidado na semana passada, de acordo com Capolare. Espera-se, no final do período da consultoria, que haja diretrizes norteadoras para as áreas do desenvolvimento urbano, rural, bem como Saúde, Educação, Segurança Pública, Cultura, Esporte e Lazer, Saneamento, além de outros, o que o diferencia de um plano diretor ou código de edificações. Contudo, estão previstas reavaliações e mudanças a cada período de tempo conforme as mudanças sociais e demográficas. O Ivoti100, que funciona como uma bússola permanente para os gestores e a comunidade, tem inclusive manifesto, vídeo institucional e perfis no Facebook e Instagram. Entre seus preceitos, busca evitar o crescimento desenfreado do município, manter as boas relações comunitárias e preservar a qualidade de vida, que é uma das grandes marcas de Ivoti desde sempre.

O contexto econômico dos municípios permite inferir que a situação de ambos está estável, ainda que o coronavírus inspire cuidados. Dois Irmãos e Ivoti são cidades de referência regional no Vale do Sinos, tanto quando considerados de maneira individual, quanto de maneira conjunta. Destaca-se, nas duas cidades, o turismo, que, por meio da Rota Romântica e do mais recente Vale Germânico, ambos fomentados pela iniciativa privada e pelo poder público, acaba por trazer mais oportunidades de negócios para as localidades.

Favorece, neste ponto, sua localização geográfica, a fácil ligação com grandes centros urbanos relativamente próximos, como Novo Hamburgo e Caxias do Sul, e ainda sua vocação já dita empreendedora de sua população. Ivoti, a Cidade das Flores, está a 54 km de Porto Alegre e Dois Irmãos, o Doce de Cidade, a 60 km da capital. Apesar de todos estes fatores, não são poucas as grandes empresas que têm histórias de enfrentamento e superação constante de desafios, mas que levam para o mundo os nomes de Ivoti e Dois Irmãos.

Uma nova etapa nos negócios do Grupo Hercosul, agora com a gigante BRF

Hercosul, de Ivoti, foi adquirida recentemente pela gigante BRF
Na atualidade, o grupo tem 700 colaboradores diretos, 590 deles no Brasil e 110 no Paraguai
HERCOSUL ALIMENTOS/DIVULGAÇÃO/JC
O Grupo Hercosul iniciou pelas mãos do empresário Paulo Konzen. Ele criou, em 1995, uma loja de ferragens, que também comercializava alimentos para animais de grande porte. Dois anos depois, a empresa já havia se desenvolvido de forma substancial, atuando como distribuidora na comercialização de rações para animais domésticos, e inaugurando marca própria com produção terceirizada. Em 2000, iniciou a linha produtiva própria. No ano seguinte, a Hercosul foi fundada. Na atualidade, o grupo tem 700 colaboradores diretos, 590 deles no Brasil e 110 no Paraguai. No Rio Grande do Sul, são 490 funcionários, sendo 220 na sede, no bairro Morada do Sol, em Ivoti.
Na atualidade, Hercosul vive um novo momento, com potencial ainda mais promissor e que fixa Ivoti definitivamente no mapa das multinacionais. A empresa foi adquirida em junho deste ano pela BRF, assim como a Mogiana Alimentos, sediada em Campinas/SP. O valor da compra de ambas as operações alcançou R$ 1,35 bilhão, fazendo com que a BRF tenha cerca de 10% de participação no mercado nacional de pet food. "A BRF prevê a união de forças e a expansão do negócio a partir da plataforma da Hercosul, um importante passo para atingir a meta de ser a segunda maior empresa do segmento no país até 2025", diz Vladmir Maganhoto, diretor de Pet da BRF.
Maganhoto diz ainda ter se surpreendido com o negócio. "A BRF foi positivamente impressionada com a qualidade das pessoas, a força das marcas e a qualidade dos produtos da Hercosul. A presença da marca na comunidade também se dá de diferentes formas, apoiando projetos importantes e ações que beneficiam a população. Na jornada de sustentabilidade do Grupo Hercosul, são separados 100% dos resíduos e 90% são reciclados", comentou ele. A intenção da BRF é ainda "fomentar o crescimento das vendas, focando na excelência de gestão de ambas as empresas, em um ótimo desempenho".
 

Fröhlich: orgulho de suas origens em Ivoti

Lauro Fröhlich destaca que setor de alimentos, junto com o agronegócio, ajudou a reduzir prejuízos da pandemia
Lauro Fröhlich destaca que setor de alimentos, junto com o agronegócio, ajudou a reduzir prejuízos da pandemia
FROHLICH/DIVULGAÇÃO/JC
Situada exatamente junto à principal entrada de Ivoti, junto ao pórtico do município em estilo enxaimel que dá boas-vindas aos visitantes, a sede da Fröhlich, com 12,2 mil m² construídos, é outro grande destaque do município. Uma das principais distribuidoras e atacadistas da região, a empresa sediada no bairro Cidade Nova orgulha-se de suas origens, e conta hoje com uma média de 14,5 mil clientes ativos, segundo o diretor-presidente da marca desde 1965, Lauro Carlos Fröhlich. São 1,9 mil itens das marcas próprias Fritz & Frida, Frily e Frilar, respectivamente, alimentos, produtos de limpeza e utilidades para o lar. Na ocasião da entrevista, a Fröhlich contava com 494 colaboradores, 176 deles moradores de Ivoti, ou 35,6% do total.
"Entendemos que além da geração direta de empregos, também temos responsabilidade social em torno da nossa atividade. Somos uma das maiores empresas da cidade e isso impacta muito em todos os sentidos, seja para o município, com arrecadação de impostos, seja no social, com renda e fomento à economia local", afirma Lauro. Fundada em janeiro de 1955 por Alfredo Nicolau Fröhlich, a empresa afirma que um dos muitos segredos da solidez ao longo dos mais de 65 anos é aliar tradicionalismo e inovação, assim como projetos contínuos de crescimento e expansão.
Em seu mais recente balanço social, referente aos anos de 2018 e 2019, a Fröhlich diz movimentar 600 toneladas de mercadorias diariamente, entre recebimento e expedição, e atender 324 municípios gaúchos com uma frota de 84 caminhões refrigerados. "A indústria alimentícia na nossa região está ligada ao suprimento de necessidades básicas de consumo, ainda mais em períodos de pandemia como o que passamos e ainda enfrentamos. Muitas atividades foram prejudicadas e o segmento de alimentos sustentou a base da economia, juntamente com o agronegócio", observa o diretor-presidente da companhia.

Grupo Herval, de Dois Irmãos, tem sólida experiência em inovação

Conglomerado é dono da iPlace, com mais de 140 lojas e o título de maior revenda Apple da América do Sul
Conglomerado é dono da iPlace, com mais de 140 lojas e o título de maior revenda Apple da América do Sul
iPlace/Divulgação/JC
Com frequência, o Grupo Herval aparece entre as maiores empresas do País no segmento do varejo. Neste ano, o ranking da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) trouxe a empresa cuja sede fica na BR-116, bairro Portal da Serra, em Dois Irmãos, na posição de número 94. As vendas totais em 2020 foram de R$ 1,542 bilhão. Números que orgulham a companhia, que emprega diretamente quase 7 mil pessoas, segundo o CEO, Agnelo Seger. Mais de 30% deles são de Dois Irmãos. "Como somos conhecidos na região, temos um grupo de colaboradores bastante capacitados e uma direção aberta para a inovação, tornando nossos negócios qualificados", diz ele.
Hoje, o Grupo Herval tem, em seu portfólio, as lojas TaQi, com 86 unidades no Rio Grande do Sul, a iPlace, com mais de 140 lojas e o título de maior revenda Apple da América do Sul, Herval Móveis e Colchões, e a HS Consórcios, diversas vezes - inclusive neste ano - vencedora do Prêmio Marcas de quem Decide, promovido pelo Jornal do Comércio, além de outros negócios. Só em 2020, os ativos administrados pela empresa de consórcios corresponderam a R$ 289 bilhões. A HS afirma ainda contemplar mil clientes por mês e já ter entregue mais de 85 mil bens, como imóveis e veículos.
Curiosamente, a relação do grupo com Dois Irmãos não é somente pelo fato de a empresa ser a maior em arrecadação de ICMS do município na atualidade, mas vem de ações feitas desde logo no início das operações. "Dois Irmãos foi criado em 10 de setembro de 1959, e a Herval foi fundada em 1º de outubro do mesmo ano, inclusive com a participação de membros da então comissão emancipadora", comenta Seger.
O embrião do Grupo Herval foi a Madeireira Herval, cujos fundadores foram Felippe Seger Sobrinho e seus familiares. Felippe, inclusive, hoje nomeia o largo no Centro onde ocorrem algumas das principais atrações do Natal dos Anjos, um dos maiores eventos do município, e onde está a chamada árvore-símbolo do Natal gaúcho, com mais de 35 metros de altura.

Fabricante de tratores Mahindra mantém em Dois Irmãos única fábrica no Brasil

Unidade está habilitada para atender à demanda crescente prevista
Unidade está habilitada para atender à demanda crescente prevista
MAHINDRA/DIVULGAÇÃO/JC
A operação brasileira da multinacional indiana Mahindra chegou a Dois Irmãos por meio da distribuidora Bramont. A atual e única fábrica de tratores da marca no país, localizada no bairro União, era antigamente a sede fabril de uma indústria de sapatos. Em 2016, a Mahindra, maior fabricante deste meio de transporte no mundo, assumiu a operação própria no País. Atualmente, a unidade tem 40 funcionários diretos, com a maioria deles moradores do município e localidades vizinhas.
"A planta está habilitada para atender à demanda crescente pela marca, pelo menos para os próximos dois anos", afirma a Mahindra, em nota. E há confiança no futuro por parte da empresa. O ano fiscal 2020/2021 encerrou com crescimento de 40% nas vendas em relação ao período anterior.
"A estimativa para o próximo período, de abril de 2021 a março de 2022, é continuar fortalecendo a marca em território brasileiro". Desde o começo de suas operações, a Mahindra aumentou seu portfólio de produtos. Eram dois em 2017, e neste ano, são 11 modelos de tratores à venda, especialmente de 25 cv a 110 cv de potência. Sete deles são nacionalizados.
Um dos segredos para o alegado sucesso é que a fabricante soube estabelecer seu lugar entre os agricultores familiares, segmento econômico no qual a Encosta da Serra é destacada há gerações, desde o período da imigração germânica, em fins do século XIX.
No ano passado, a companhia indiana afirmou ter feito investimentos em sua sede de Dois Irmãos, a fim de proporcionar ergonomia, segurança e melhorar sua capacidade produtiva. E salienta que tem uma "excelente relação com o município, entidades de classe, governo e sociedade", o que significa que há espaço para um crescimento ainda mais robusto. Recentemente, era possível avistar, no pátio da empresa, novos tratores recém-produzidos
 

Iagla Alimentos: Ivoti como ponto estratégico

Iagla alimentos, de Ivoti
Portfólio de produtos distribuídos inclui desde laticínios até pães, cervejas e sucos
iagla/divulgação/jc
A Iagla Alimentos, situada no bairro 25 de Julho, em Ivoti, foi fundada em 1990 por Luiz Paulo Raimundo, e atua no ramo de representação comercial, transporte e armazenagem de alimentos para terceiros. "Consideramos a localização do município um ponto estratégico para o nosso negócio, visto que atendemos todo o estado e Ivoti fica próximo aos principais mercados consumidores e com maior concentração de pessoas", afirma Glauco Raimundo, filho de Luiz Paulo e sócio-administrador da empresa, junto com o próprio pai. A empresa tem 40 colaboradores diretos e outros 38 indiretos.
Embora não seja um dos maiores arrecadadores de impostos do município, é um bom exemplo de negócio alicerçado no setor alimentício, onde hoje Ivoti é, conforme dito, uma referência inquestionável. Na visão de Glauco, Ivoti pode ter sido inserida no mapa do segmento pela razão de haver outras empresas maiores no passado, como a Laticínios Ivoti. "Muitos ex-funcionários do laticínio acabaram abrindo seu próprio negócio, mas se mantendo no mesmo ramo", observa ele.
É o caso, como ele mesmo cita, da própria Iagla, cujo fundador, Luiz Paulo, deixou a antiga empresa para abrir a nova. De lá para cá, a distribuidora ivotiense teve crescimento significativo: o site da Iagla aponta que a área atendida por seus representantes comerciais abrange praticamente todo o Rio Grande do Sul, desde a Região Metropolitana, Vales, Serra, litorais Sul e Norte, Centro-Oeste e Planalto Médio. Seu portfólio de produtos distribuídos varia desde laticínios até pães, cervejas e sucos.
 

As visões das prefeituras sobre suas economias

O poder público tem firme confiança nas capacidades de seus municípios de gestão como potenciais locais para a economia seguir crescendo de forma consistente. A secretária Municipal de Desenvolvimento de Ivoti, Denise Rodrigues da Silva, afirma que o município é bastante procurado para a instalação de indústrias, nos mais diversos segmentos. "Sofremos, é claro, com a crise econômica, assim como em todos os outros municípios, mas justamente pela diversificação, os impactos estão sendo superados e a economia está voltando a crescer", diz ela. Na visão de Denise, as grandes empresas urbanas e rurais ajudam a sustentar, de certa forma, os investimentos que Ivoti realiza em todas as áreas.
O município tem um Loteamento Industrial, próximo à área histórica da Colônia Japonesa, e no final do ano passado, vendeu 16 lotes para a instalação de empresas. Por enquanto, há uma companhia operando no local, uma fabricante de portas e divisórias de vidro e alumínio, que ali se estabeleceu em janeiro de 2020 e cuja sede atual é o dobro da anterior, também localizada em Ivoti. Conforme Denise, outras estão com projetos em fase de aprovação. "Também estamos regularizando uma segunda área industrial para atração de novos empreendimentos ao município", afirma ela. A secretária também salienta que o caráter sustentável das companhias, sem abrir mão da tecnologia, é algo que chama a atenção, e, na visão dela, há ações constantes envolvendo indústria e comunidade. "Uma delas ocorre na Feira do Livro, quando são oferecidos e apresentados diversos serviços da indústria e comércio local".
Em Dois Irmãos, o Distrito Industrial, localizado no bairro Travessão, às margens da BR-116, tem atualmente quatro empresas já instaladas. Outros seis lotes já foram comercializados, e devem ser ocupados, brevemente, por companhias de diversos segmentos. Há, ainda, mais dois em licitação, com manifestação de interesse de empreendedores junto à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico. "O município está passando por uma forte retomada econômica. Melhor que isso, estamos em franco crescimento", afirma, jubiloso, o prefeito Jerri Meneghetti. Em breve, segundo ele, o local receberá um novo acesso em parceria com o DNIT, o que deve facilitar ainda mais o escoamento dos produtos.
Ainda no aspecto econômico, Jerri destaca, por exemplo, o primeiro lugar alcançado por Dois Irmãos em 44 cidades do Rio Grande do Sul, e o 57º lugar de 770 municípios no Brasil, no Índice de Desenvolvimento Sustentável das Cidades (IDSC-BR), medido pelo Instituto Cidades Sustentáveis (ICS). Ivoti não está muito atrás: ficou em 2º lugar no RS e o 97º no país. "Temos grandes e consolidadas empresas no município. Muito além do incremento na receita, elas têm um papel muito importante no desenvolvimento social da comunidade. Procuramos fazer nossa parte para que tenhamos, no futuro, a consolidação destas indústrias como referência em seus segmentos, promovendo um pleno e sustentável desenvolvimento econômico e social", diz o chefe do Executivo de Dois Irmãos. O município completou 62 anos de emancipação há poucos dias. Ivoti completa 57 anos em outubro.
A reportagem questionou os representantes sobre a importância desta parceria entre ambos os municípios, firmemente conectados pela história em comum e pelo desenvolvimento mútuo. "Ivoti e Dois Irmãos têm boa integração em diversos aspectos, na área industrial não é diferente, pois pela logística e localização, as atividades se complementam", pontua a secretária Denise. O prefeito Jerri, de Dois Irmãos, afirma que as iniciativas do município são reconhecidas não apenas por Ivoti. "Recebemos prefeitos e representantes de diversos municípios do Estado e até de fora, os quais procuram conhecer nossas iniciativas. Da mesma forma, procuramos inspiração nos bons exemplos de outros [municípios] para aperfeiçoar nossas ações e criar novas soluções. Entendemos que essa troca faz com que todos saiam ganhando", encerra ele.

*Felipe Faleiro é jornalista formado pela Universidade Feevale, de Novo Hamburgo. Nascido e criado no Vale do Sinos, trabalha desde 2016 como repórter em veículos da região.
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário