Porto Alegre, segunda-feira, 08 de fevereiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 08 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Leitura

- Publicada em 03h00min, 08/02/2021.

Economia

Confira as resenhas da semana

Confira as resenhas da semana


/reprodução/jc
Escrito por um grupo de economistas, professores, jornalistas e analistas financeiros, "O Livro da Economia" apresenta as bases do pensamento que serviu como pauta para a evolução e para as diversas teorias da economia em todo o mundo. Buscando trazer uma leitura mais ágil, o livro aborda a história de como a humanidade criou e entendeu o dinheiro, o comércio, a especulação e as crises econômicas a partir dos principais nomes desta ciência.
Escrito por um grupo de economistas, professores, jornalistas e analistas financeiros, "O Livro da Economia" apresenta as bases do pensamento que serviu como pauta para a evolução e para as diversas teorias da economia em todo o mundo. Buscando trazer uma leitura mais ágil, o livro aborda a história de como a humanidade criou e entendeu o dinheiro, o comércio, a especulação e as crises econômicas a partir dos principais nomes desta ciência.
Com um grande número de ilustrações, a obra está dividida em seis partes. Começando em "Iniciem o comércio", que resume o período de 400 a.C. até o ano de 1770, passa ainda por "A Era da Razão (1770-1820)", "Revoluções industrial e econômica (1820-1929)", "Guerra e depressões (1929-1945)", "Economia no pós-guerra (1945-1970)" e "Economia contemporânea (1970-presente)".
Cada uma delas destaca as teorias econômicas dos mais renomados pensadores, de Aristóteles a John Maynard Keynes, passando por Max Weber, John Stuart Mill, Vilfredo Pareto, Joseph Schumpeter e Paul Krugman.
Com o livro é possível saber mais a respeito do surgimento do primeiro banco, das primeiras cédulas impressas e da criação do FMI, além do impacto do vapor e dos computadores em importantes revoluções na história econômica humana. A obra traz um glossário de termos específicos e apêndice com informações sobre outros economistas e suas contribuições ao estudo dessa área do conhecimento.
O Livro da Economia; Diversos autores; Editora Globo; 352 páginas; R$ 39,90.
 

Estatísticas

Estatística: O que é, para que serve, como funciona; Charles Wheelan; Editora Zahar
Estatística: O que é, para que serve, como funciona; Charles Wheelan; Editora Zahar
/Reprodução/JC
O livro "Estatística: O que é, para que serve, como funciona" nos faz entender os números por trás dos fatos e apreciar a força dos dados em diversos aspectos do cotidiano. A estatística é uma ciência que está em toda parte, muito embora seja considerada desinteressante e inacessível por envolver números e dados muitas vezes complexos.
Útil, quando usada de forma correta, mas com o potencial de se tornar um desastre em mãos erradas, sua aplicação no mundo real é cada vez mais requisitada, seja em relatórios médicos, no resultado de campeonatos esportivos ou em pesquisas eleitorais. O economista, professor de políticas públicas e economia no Dartmouth College e correspondente da Economist em Chicago, Charles Wheelan, mostra que com os dados certos e as ferramentas estatísticas adequadas podemos responder muitas perguntas, tais como: Quais substâncias ou comportamentos causam câncer? O que está provocando o aumento da incidência de autismo? Como a Netflix sabe quais filmes você gosta?
Sem usar muita matemática, equações e gráficos, esse livro ajuda a compreender conceitos estatísticos importantes para a vida cotidiana, como: inferência, correlação, análise de dados, etc. Ao falar das ideias mais importantes da disciplina sem entrar em detalhes técnicos, o autor torna a estatística palatável não só para aqueles que a estudam em salas de aula, mas para quem quer compreender melhor os desafios do mundo em que vivedmos.
Estatística: O que é, para que serve, como funciona; Charles Wheelan; Editora Zahar; 328 páginas; R$ 79,90; Disponível em versão digital.
 

Consumo

Economia do desejo: A farsa da tese neoliberal; Eduardo Moreira; Editora Civilização Brasileira
Economia do desejo: A farsa da tese neoliberal; Eduardo Moreira; Editora Civilização Brasileira
/Reprodução/JC
No livro "Economia do desejo: A farsa da tese neoliberal", o autor Eduardo Moreira, que foi eleito pela revista Época Negócios um dos quarenta brasileiros de maior sucesso com menos de 40 anos e pela revista Investidor Institucional um dos três melhores economistas do Brasil, revela por que é insustentável economicamente a ideia de que o Estado deve se preocupar mais com a economia do que com o atendimento das necessidades básicas dos cidadãos. Para isso, ele, que estudou economia na Universidade da Califórnia, em San Diego, conceitua o que é a economia do desejo.
O autor explica que a economia do desejo é aquela que trabalha com a falta incessante, que inclusive é responsável pelo alto consumo de supérfluos por determinada parcela da sociedade, enquanto outra parcela ainda está em situação de pobreza ou na linha abaixo da pobreza. Na obra, Moreira também busca explicar sua visão de que o neoliberalismo não levará a uma sociedade mais justa.
O autor dos best-sellers Encantadores de vidas, Desigualdade e O que os donos do poder não querem que você saiba, acredita que, para o Brasil se tornar um país sem pobreza, é necessário haver um passo em direção à economia da necessidade. Assim, as necessidades básicas de todos serão atendidas e a economia se tornará mais forte. O livro conta ainda com um texto de orelha escrito por Frei Betto e com prefácio de autoria de Luiz Gonzaga Belluzzo.
Economia do desejo: A farsa da tese neoliberal; Eduardo Moreira; Editora Civilização Brasileira; 96 páginas; R$ 34,90; Disponível em versão digital.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO