Porto Alegre, segunda-feira, 18 de janeiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 18 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Com a palavra

- Publicada em 03h00min, 18/01/2021.

Prestes a completar três anos, Altec Industrial quer dobrar faturamento em 2021

Maciel é CEO da Altec Industrial desde 2018, ano de fundação da empresa

Maciel é CEO da Altec Industrial desde 2018, ano de fundação da empresa


/Divulgação/Vini Dalla Rosa
Vinicius Appel
Completando quatro décadas neste ano (2021), o Grupo Altec Comercial Elétrica conta, desde 2018, com uma empresa que vem ganhando destaque no ramo de atuação. Após um convite feito pela Phoenix Contact, fabricante alemã do ramo de automação industrial, ao fundador do grupo Altec, Alceu Werner Inácio, foi criada a Altec Industrial.
Completando quatro décadas neste ano (2021), o Grupo Altec Comercial Elétrica conta, desde 2018, com uma empresa que vem ganhando destaque no ramo de atuação. Após um convite feito pela Phoenix Contact, fabricante alemã do ramo de automação industrial, ao fundador do grupo Altec, Alceu Werner Inácio, foi criada a Altec Industrial.
Fundada em março de 2018 para ser distribuidora exclusiva da Phoenix Contact, a Altec Industrial registrou, em 2019, o maior faturamento da Região Sul do Brasil entre as distribuidoras da fabricante alemã. Além disso, a empresa tem buscado fortalecer a presença no mercado industrial através de parcerias.
Foi assim que, em setembro de 2020, após algum tempo de negociação, a Mitsubishi Electric se tornou a nova parceira da empresa. A união se dedica à distribuição de materiais elétricos de baixa tensão, automação industrial e robótica.
Com a matriz estabelecida em Porto Alegre, a Altec Industrial, que possui uma filial na cidade de Palhoça, no estado de Santa Catarina, fechou, em 2020, um contrato de distribuição com a Petrobras para conceber materiais de fonte de alimentação elétrica da Phoenix Contact. A parceria tem um prazo de três anos com a possibilidade de prorrogar por mais dois.
Com a pandemia, a Altec Industrial chegou a registrar uma queda de 70% no faturamento, mas conseguiu se adaptar rapidamente ao novo cenário. De acordo com o CEO da empresa, Moisés Maciel, os sistemas já estavam preparados para home-office. Tudo foi organizado rapidamente, deixando o momento mais tranquilo.
Empresas & Negócios - Como foi o ano de 2020 para a Altec Industrial?
Moisés Maciel - Foi um ano que começou superbem. No nosso planejamento para 2020, identificamos dois cenários. Um cenário otimista e um cenário pessimista. Estávamos olhando alguns gráficos, algumas movimentações de mercado e vimos que, entre o final de 2020 e o início de 2021, teríamos algum problema, alguma bolha financeira, não econômica, que poderia estourar em algum mercado mais maduro, na Europa ou Estados Unidos. Então, no final de 2019, escolhemos trabalhar em 2020 com um cenário mais pessimista e nos preparamos para o pior, para que acontecesse alguma coisa ruim no segundo semestre de 2020. Fomos surpreendidos pelo coronavírus. Tivemos uma quebradeira. Em março e abril, tivemos quedas significativas no faturamento. Mas, a partir de maio, começou a voltar em linha e nosso planejamento foi cumprido em 2020. Conseguimos fechar o ano de acordo com o que tínhamos programado. E 2021 vai ser um ano excelente para toda a indústria. Finalizamos nossos estudos há pouco e encontramos dois cenários novamente. Um cenário muito otimista e um cenário mais pessimista, mas, mesmo no cenário mais pessimista, o crescimento da economia pode chegar a 23%. Então temos certeza que 2021 vai ser um grande ano para todo mundo que conseguiu passar pelo ano de 2020.
E&N - Em relação ao faturamento de 2019, o que essa conquista representa na história de uma empresa que tem menos de três anos de fundação?
Maciel - Para nós representa a consolidação de duas coisas. A primeira, a significância e a importância da marca junto ao mercado. Acreditamos que o fato de ser o nome Altec, do Grupo Altec, contribuiu muito. Abriu muitas portas dentro da indústria para que entrássemos e fizéssemos o nosso trabalho. E o segundo, obviamente, eu tenho que atribuir a gestão da empresa. As pessoas que estão a frente do negócio, que estão trabalhando dia a dia, que são pessoas atualizadas, pessoas que estão fazendo o negócio acontecer na ponta.
E&N - Como a Altec Industrial recebeu a parceria para representar a Mitsubishi Electric na Região Sul do país?
Maciel - Na primeira parte do nosso planejamento estratégico, mapeamos de trabalhar com alguns fabricantes-chave, entre eles a Mitsubishi. Tivemos o approach, estabelecemos todas as tratativas, mesmo durante a pandemia, e assinamos com eles em setembro de 2020. Os japoneses estão muito alinhados com a nossa filosofia de trabalho aqui em Porto Alegre. Nós trabalhamos muito rápido. Temos o objetivo de fazer as nossas entregas muito rápido. Temos um tempo rápido para responder aos clientes. Sem contar que os produtos deles são altamente tecnológicos. A Mitsubishi hoje atende a SpaceX, atende a Nasa, atende uma série de empresas de nível mundial que estão praticamente fazendo a exploração do Universo. É uma das grandes provedoras de tecnologia e de produtos para estas empresas. Então acreditamos que iremos surfar uma onda muito boa de produtos para a indústria no Brasil através dessa parceria com a Mitsubishi Electric. Estamos trazendo robôs aqui para o estado, para trabalhar em final de linha de produção, para trabalhar na linha de produção, principalmente, de alimentos e bebidas e de manufaturas. São robôs extremamente tecnológicos, precisos, econômicos, com uma vida útil e uma carga de trabalho que chega a ser dez, quinze vezes maior do que o segundo colocado. Com um preço extremamente competitivo porque os japoneses fazem questão de trabalhar o custo. Então vamos oferecer isso para o mercado e para a indústria brasileira através dessa parceria.
E&N - Como ocorreu a parceria com a Petrobras?
Maciel - Foi um processo longo porque, depois do escândalo da Lava-Jato, a Petrobras dobrou os cuidados nas contratações e nas licitações. Começamos o ano de 2020 participando desta licitação e fomos assinar com eles no final de agosto, início de setembro. Depois de passar por todas as fases de documentação, provar que a empresa é idônea, provar que tem condição de honrar o contrato, uma série de garantias que os comitês de ética da Petrobras exigem. E mais os concorrentes tentando achar uma vírgula que tu colocou errado na tua documentação para te derrubar. E aí acabou que fechamos um contrato inicial com eles de fornecimento e, para nós, foi muito bom porque esse projeto estava andando à margem do nosso planejamento. A licitação não depende da sua habilidade comercial, não depende só de ti, depende de uma série de coisas e também de tu ser melhor do que todos os seus concorrentes. Para a Petrobras, é só mais um contrato. Nós, em 40 anos de atividade, nunca vimos um único contrato daquele tamanho. Então estamos muito felizes. Vai dar um suporte muito bom para o nosso crescimento. Não estou contabilizando ele para dobrar o tamanho da empresa. Se eu for colocar esse contrato para dentro do planejamento, a minha empresa vai crescer dez vezes em um ano. Só atendendo a Petrobras.
E&N - Quantas empresas passaram por essa concorrência pela Petrobras?
Maciel - Foram 12 fabricantes e, dos 12 fabricantes, foram mais ou menos uns 15 distribuidores. Entre eles, nós. Então nós concorremos com, mais ou menos, 500 empresas.
E&N - Quais são as expectativas da Altec Industrial para o ano de 2021?
Maciel - São muito boas. Nós vamos duplicar o faturamento da nossa empresa em 2021. Estamos muito em linha com o nosso planejamento estratégico 2020-2025, que é dobrar o faturamento a cada ano. De novo escolhemos o nosso cenário mais pessimista para desenvolver as nossas ações e estamos crescendo bastante. Nós temos hoje abertas 20 vagas de emprego e para 2021 estão previstas mais 30 vagas para dar suporte ao nosso crescimento e à nossa atividade.
Comentários CORRIGIR TEXTO