Porto Alegre, segunda-feira, 21 de dezembro de 2020.
Dia do Atleta. Início do Verão.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 21 de dezembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Responsabilidade Social

- Publicada em 03h00min, 21/12/2020.

Lar Santo Antonio necessita de doações

Donativos podem ser depositados em uma caixa colocada junto ao portão de entrada da instituição

Donativos podem ser depositados em uma caixa colocada junto ao portão de entrada da instituição


/Divulgação/Lar Santo Antonio dos Excepcionais
Vinicius Appel
Proporcionar qualidade de vida, com assistência médica e alimentar especializada, além de uma boa higiene. Assim se revelam os três principais pilares para o funcionamento do Lar Santo Antonio dos Excepcionais, que está em atuação há mais de 40 anos em Porto Alegre.
Proporcionar qualidade de vida, com assistência médica e alimentar especializada, além de uma boa higiene. Assim se revelam os três principais pilares para o funcionamento do Lar Santo Antonio dos Excepcionais, que está em atuação há mais de 40 anos em Porto Alegre.
O local abriga pessoas com necessidades especiais e proporciona a elas cuidados nutricionais, odontológicos, fisioterápicos, fonoaudiológicos (quando necessário), terapia ocupacional e assistência social. Mas, para garantir esse atendimento, a casa precisa de ajuda. Itens de uso diário, como fraldas geriátricas, gêneros alimentícios e itens de higiene pessoal e limpeza são sempre bem-vindos - e necessários.
Ainda que o trabalho da instituição esteja diretamente ligado às doações, por conta da pandemia os portões permanecem fechados. No entanto, isso não é empecilho para receber os donativos, Na entrada do portão, está colocada uma caixa que acondiciona tudo que chega. Um funcionário fica responsável por receber as pessoas seguindo todos os protocolos de higiene.
Com capacidade para 60 abrigados, a instituição acolhe 48, que estão permanentemente sob os cuidados de uma equipe que conta com atendentes e enfermeiras. Uma supervisora geral e um médico especialista no atendimento de pacientes com lesão cerebral grave ou severa, característica comum aos acolhidos, completam o grupo.
Ex-procurador de justiça do Ministério Público do Rio Grande do Sul e também ex-professor universitário, o presidente do Lar Santo Antonio, Edison Pontes Magalhães afirma que, aos 82 anos, leva uma vida dedicada ao local de trabalho. Segundo ele, a grande felicidade que carrega é poder dar a assistência necessária, fundamental para que os abrigados possam ter uma vida feliz.
Com a chegada da pandemia, a instituição precisou passar por algumas mudanças, que vieram através de uma resolução emitida pelo gestor do Lar. A presença de familiares e voluntários não é mais permitida e os funcionários precisam passar por um rigoroso protocolo de higienização para ingressarem no local.
"Entram pela porta da frente, higienizam os calçados em um tapete, depois secam em outro tapete, lavam bem as mãos com sabão em um banheiro e, antes de entrarem no salão, passam álcool gel", explica Edison Magalhães ao falar sobre o protocolo. Oito pontos com álcool gel estão distribuídos pelo salão à disposição dos funcionários, que precisam, obrigatoriamente, fazer o uso do produto antes e depois do contato com cada abrigado.
Visando atender as medidas emitidas pelos órgãos sanitários, foi estabelecido que apenas funcionários devem ingressar no local. O presidente afirma que o momento é de extremo cuidado, e que a precaução deve ser mantida até que as pessoas sejam vacinadas contra a covid-19. Magalhães informa que o Lar não registrou nenhum caso da doença e espera que continue assim.
"O Lar Santo Antonio existe por obra e benevolência das pessoas que têm um coração generoso", afirma Magalhães, em tom de alegria e satisfação. Ele comenta que há muitas pessoas que doam de forma anônima e que, este tipo de ajuda, permite dar continuidade ao trabalho que é realizado. Quando os valores ficam um pouco acima do habitual, o presidente afirma que busca saber de quem partiu a doação, mas raramente obtêm êxito.
Com o primeiro depósito sendo feito no mês de março de cada ano, um fiel doador costuma ajudar depositando um determinado valor na conta da instituição. A prática já ocorre há anos. A cada três meses a doação se repete e, sempre que possível, o valor aumenta. Nunca diminui. A origem da doação não pôde ser revelada pelo Lar.
A respeito do ingresso de novos abrigados na instituição, o presidente explica que ocorre através do Juizado da Infância e da Juventude, provocado pelo Ministério Público e pela Promotoria da Infância e da Juventude. Preenchendo alguns requisitos considerados fundamentais, principalmente em relação à enfermidade, os enfermos já estão aptos a ingressar no Lar.

Saiba como contribuir

Para mais informações, interessados em doar devem entrar em contato pelos seguintes canais:
Whatsapp: 9 8164.8998
Além de fraldas geriátricas descartáveis de tamanho GG, o local está precisando de doações de produtos do gênero alimentício, como açúcar, farinha de trigo, achocolatado, óleo de soja e leite integral líquido. Para a higiene, a necessidade é de shampoo neutro, desodorante roll on e aparelhos de barbear.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO