Porto Alegre, segunda-feira, 26 de outubro de 2020.
Dia do Trabalhador da Construção Civil. Dia da Democracia.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 26 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Opinião

- Publicada em 03h00min, 26/10/2020. Atualizada em 12h23min, 26/10/2020.

A importância do planejamento para IPO

Rafael Biedermann Mariante* e Marcelo Prado**
O cenário econômico brasileiro vem sofrendo uma série de impactos e mudanças desde que se deflagrou a pandemia da Covid-19, em março deste ano. As dificuldades operacionais e mercadológicas sentidas pelas empresas fizeram com que, para além dos problemas, os líderes brasileiros tivessem que buscar soluções. Passados os primeiros meses da crise, a abertura de capital na bolsa de valores mostrou-se uma opção atrativa neste cenário, motivando diversas empresas a protocolarem o pedido de IPO (Initial Public Offering ou "Oferta Pública Inicial").
O cenário econômico brasileiro vem sofrendo uma série de impactos e mudanças desde que se deflagrou a pandemia da Covid-19, em março deste ano. As dificuldades operacionais e mercadológicas sentidas pelas empresas fizeram com que, para além dos problemas, os líderes brasileiros tivessem que buscar soluções. Passados os primeiros meses da crise, a abertura de capital na bolsa de valores mostrou-se uma opção atrativa neste cenário, motivando diversas empresas a protocolarem o pedido de IPO (Initial Public Offering ou "Oferta Pública Inicial").
A alternativa de oferta pública vem se configurando há algum tempo no Brasil. Quando 2020 começou, o mercado financeiro acreditava que este seria o ano dos IPOs. Em março, 18 companhias estavam com o processo aberto para que suas ofertas fossem efetuadas, mas 16 delas adiaram sua listagem. A pandemia alterou os planos de diversas companhias de lançarem seus papéis no mercado. Agora, o processo foi retomado em peso, visto que se percebeu um reaquecimento no mês de maio e, desde então, algumas empresas já abriram seu capital. A lista de brasileiras que almejam abrir pela primeira vez seu capital por meio de ações na bolsa de valores já inclui uma extensa fila, a qual conta com companhias de diversos segmentos, como incorporação, varejo, farmacêutico, construção, logística, entre outros.
Há motivos para este movimento. Além de ser uma forma de as empresas se capitalizarem, abrir o capital mostra-se atualmente uma opção interessante se comprada com outras formas de obtenção de financiamento. Afora o exemplo de sucesso dos últimos IPOs, outro fator primordial na percepção dos empresários é a taxa de juros Selic em baixa, o que significa uma tendência cada vez maior de os investidores migrarem da renda fixa para a variável em busca de melhores retornos.
Porém é importante ressaltar que abrir o capital é uma das decisões mais importantes para qualquer empresa privada. Trata-se de um compromisso estratégico que muda para sempre a forma de governança da organização, seus controles internos e as exigências de transparência. Uma empresa de capital aberto conta com uma série de vantagens que não estão disponíveis para corporações privadas, como o acesso a fontes alternativas de financiamento no mercado de capitais e a de poder usar suas próprias ações como moeda para adquirir outras empresas. Mas o caminho para a abertura de capital impõe desafios que, se não forem devidamente planejados, podem resultar penosos. É importante que os líderes façam o questionamento: "minha empresa está pronta para se abrir ao mercado?"
Atender às novas exigências pode demandar um novo conjunto de habilidades por parte dos administradores e suas equipes para os quais nem todas as empresas estão preparadas. Por isso, planejar com antecedência como se cumprirão esses requisitos é essencial para ter sucesso no lançamento das ações e para reduzir problemas inesperados pós-IPO.
Faz-se necessário, portanto, buscar especialistas que ajudem tecnicamente a empresa no processo de oferta pública, desde o preparo das informações para o registro do IPO até solucionar questões de governança corporativa. O IPO é o início de uma nova fase na vida de uma empresa. Compreender esta mudança em seus diversos níveis é fundamental para o sucesso na entrada ao mercado de capitais, e saber gerenciá-los da forma correta decidirá o sucesso da organização caso opte por esse caminho.
*Sócio da PwC Brasil
**Diretor da PwC Brasil
Comentários CORRIGIR TEXTO