Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 23 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 23 de julho de 2020.

Empresas & Negócios

Compartilhar

Leitura

- Publicada em 03h00min, 06/01/2020. Atualizada em 03h00min, 06/01/2020.

Uber

Em junho de 2017, Travis Kalanick, CEO da Uber, foi deposto em uma reunião do seu próprio conselho diretor, em um golpe que levou a um ano brutal para a gigante do transporte. A Uber estava no topo do mundo da tecnologia, mas para muitos a empresa era justamente o símbolo do que havia de mais podre no Vale do Silício.
Em junho de 2017, Travis Kalanick, CEO da Uber, foi deposto em uma reunião do seu próprio conselho diretor, em um golpe que levou a um ano brutal para a gigante do transporte. A Uber estava no topo do mundo da tecnologia, mas para muitos a empresa era justamente o símbolo do que havia de mais podre no Vale do Silício.
Com base em centenas de entrevistas com funcionários atuais e antigos da companhia, além de documentos inéditos, "A guerra pela Uber", do jornalista do The New York Times Mike Isaac, é uma história de ambição e mentiras, riqueza obscena e mau comportamento que explora como a inovação tecnológica e financeira culminou em um dos períodos mais catastróficos da história corporativa americana. Apoiada por bilhões em dólares de capital de risco e liderada por um fundador impetuoso e ambicioso, a empresa prometeu revolucionar a maneira como pessoas e mercadorias se deslocam.
O que se seguiu se tornaria quase uma lição de moral sobre os perigos da cultura das startups e um exemplo vívido de como a adoração cega aos seus fundadores pode ser um grande equívoco. Isaac relata as batalhas da Uber com associações de taxistas, a cultura interna tóxica da empresa e as táticas para destruir qualquer obstáculo que estivesse impedindo o domínio do setor. Na obra, Isaac mostra como os capitalistas de risco afirmaram seu poder e assumiram o controle da startup, enquanto ela se esforçava para alcançar seu fatídico IPO.
A Guerra pela Uber; Mike Isaac; Intrínseca; 464 páginas; R$ 59,90; disponível em versão digital

Gestão

O livro "O novo código da cultura", escrito por José Salibi Neto e Sandro Magaldi, busca prospectar um futuro saudável dentro da realidade atual do empreendedorismo. Essa é questão que tem tirado o sono de muitos dos gestores que já perceberam a realidade imposta pelos novos modelos de negócios e precisam se reinventar para continuar existindo.
Por um lado, o principal vetor da transformação no mundo dos negócios é a tecnologia; por outro, na essência das mudanças estão as pessoas. Considerando que uma empresa é um agrupamento de pessoas reunidas em prol de um objetivo comum é a cultura organizacional que dá o tom unindo todo esse ecossistema. Afinal, em uma tradução sintética a cultura de uma empresa é o jeito que ela utiliza para "fazer as coisas acontecerem", como cita o autor.
Na obra, os autores auxiliam o empreendedor a começar a transformação do seu negócio segundo os conceitos explicados por eles no livro "Gestão do amanhã", e se aprofunda em outros temas. Ainda, a publicação se concentra em responder algumas perguntas, como: como enfrentar desafios da transformação da cultura organizacional na prática; quais os são os elementos de um projeto de transformação cultural; quais os caminhos para iniciar o processo de transformação cultural; qual é o papel dos princípios organizacionais na transformação de uma cultural; como garantir a força da cultura organizacional de aprendizado em uma expansão acelerada.
O novo código da cultura; José Salibi Neto e Sandro Magaldi; Editora Gente; 224 páginas; R$ 49,90

Atendimento

Customer success é uma nova estratégia para lidar com os modelos de negócios baseados em serviços, ao invés de produtos, e em uso, ao invés de propriedade. Ainda, tem a ver com a geração de receita através da criação de drivers de retenção ativa de clientes, de redução do churn, e estratégias de upselling para maximizar o valor de clientes ao longo do seu ciclo de vida, o LTV (Lifetime Value).
O livro "Customer Success: como as empresas inovadoras descobriram que a melhor forma de aumentar a receita é garantir o sucesso dos clientes", de Dan Steinman, Lincoln Murphy e Nick Mehta, traz a ideia de que o customer success vai além da satisfação dos clientes, mas saber que a sobrevivência da sua empresa depende do sucesso do negócio do seu cliente, e a partir daí, adequar estruturas e processos para crescer de forma rentável e contínua.
Ainda, a publicação busca auxiliar a compreender o contexto que levou ao início do movimento customer success, a construir uma estratégia de customer success comprovada pelas empresas mais competitivas do mundo e a implementar um plano de ação para estruturar a função customer success em sua empresa. Ao assegurar que os clientes obtenham valor com seus produtos ou serviços, o empreendedor está protegendo as receitas recorrentes e criando um cliente para toda a vida. Customer Success mostra como dar início à revolução centrada no cliente e a mantê-la no longo prazo.
Customer success; Dan Steinman, Lincoln Murphy e Nick Mehta; Autêntica Business; 272 páginas; R$ 59,80; disponível em versão digital
leia mais notícias de Empresas & Negócios
Comentários CORRIGIR TEXTO