Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 02 de dezembro de 2019.
Dia Nacional do Astrônomo. Dia do Samba. Dia Pan-Americano da Saúde.

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

COMENTAR | CORRIGIR

Consumo

Edição impressa de 02/12/2019. Alterada em 02/12 às 03h00min

Varejistas querem atrair público jovem

Consumidores querem diversificação de canais on-line, na loja e por voz e embalagens que não poluam

Consumidores querem diversificação de canais on-line, na loja e por voz e embalagens que não poluam


/RAWPIXEL.COM/FREEPIK.COM/DIVULGAÇÃO/JC
A nova pesquisa da Capgemini: Festive shopping Trends mostra que 40% das pessoas entre 18 e 34 anos devem gastar mais em suas compras de final de ano em 2019 do que no ano passado, em comparação com uma média geral de 28% para todas as faixas etárias. Embora qualidade, custo e conveniência continuem a impulsionar a maioria das decisões de compra, os varejistas estão sob crescente pressão para adotar novas estratégias que consigam atrair compradores mais jovens.
A nova pesquisa da Capgemini: Festive shopping Trends mostra que 40% das pessoas entre 18 e 34 anos devem gastar mais em suas compras de final de ano em 2019 do que no ano passado, em comparação com uma média geral de 28% para todas as faixas etárias. Embora qualidade, custo e conveniência continuem a impulsionar a maioria das decisões de compra, os varejistas estão sob crescente pressão para adotar novas estratégias que consigam atrair compradores mais jovens.
A pesquisa descobriu que as principais estratégias para atrair compradores mais jovens incluem a diversificação de canais on-line, na loja e por voz; investimento em tornar os produtos e embalagens mais ecológicos; e utilizar a tecnologia para melhorar a experiência de compra e o delivery.
O estudo on-line explora os planos de gastos, prioridades de compras e expectativas de mais de 6,7 mil consumidores na Alemanha, Espanha, Estados Unidos, França e Reino Unido antes da temporada das festas e das compras deste ano, que começa com a Black Friday em 29 de novembro de 2019. A sustentabilidade ambiental é uma prioridade aumentada, mas acertar o básico ainda é fundamental
Os consumidores ainda consideram a variedade/alcance de estoque disponível (34%) e a conveniência da localização de uma loja (21%) como os principais fatores para escolher comprar com um varejista em detrimento de outro, quando o preço não é um fator preponderante. Da mesma forma, quando solicitados a escolher os três principais fatores que os influenciam ao comprar presentes para familiares e amigos, os entrevistados priorizaram a qualidade dos produtos e as opções de economia de custos - por exemplo, reduções, vendas e descontos - igualmente em 54%, enquanto a variedade de produtos oferecidos (50%) foi o terceiro fator mais popular.
Quando perguntados sobre onde eles mais gostariam de ver os varejistas investirem nesta temporada, manter ou reduzir os níveis atuais dos preços dos itens (33%) foi a resposta mais popular. No entanto, talvez refletindo uma maior conscientização sobre questões de sustentabilidade este ano, a seleção de produtos/embalagens ambientalmente amigáveis foi uma consideração importante para 21% de todos os entrevistados e um pouco mais para aqueles entre 18 e 24 anos (24%). Em todos os países, os entrevistados no Reino Unido foram os mais focados em embalagens sustentáveis (29%), seguidos pela Alemanha (21%) e França (19%), com Estados Unidos e Espanha (14% cada).
As pessoas entre 18 e 34 anos mostraram várias diferenças importantes em suas prioridades de compras, em comparação com os compradores com 35 anos ou mais. A população de 18 a 34 anos teve menos probabilidade de usar lojas físicas para as compras do final deste ano e optar por varejistas que oferecem acesso a várias marcas; 29% disseram que gastariam mais dinheiro na loja, enquanto 37% disseram que gastariam mais dinheiro com um varejista com acesso a várias marcas. Isso se compara a 39% e 32%, respectivamente, para a média da faixa etária.
Além disso, as pessoas de 18 a 34 anos têm mais probabilidade de usar novas tecnologias para melhorar sua experiência de compra. Eles tinham uma preferência maior por tecnologias como caixas automáticas (23% vs 16% em média), pagamentos de carteira móvel (21% vs 12% em média), tecnologias nas lojas, como espelhos de realidade virtual (22% vs 15% em média) e novos métodos de entrega - ou seja, drones ou entrega por carro (16% em comparação com 10% em média).
As lojas físicas ainda estão montadas para receber a maior parte dos gastos com as férias, com 39% dos consumidores planejando fazer a maior parte de suas compras nas lojas durante o período de festas. Os varejistas online que oferecem acesso a várias marcas diferentes também devem receber parcelas consideráveis dos orçamentos de final do ano deste ano, com 32% planejando gastar a maior parte de seu dinheiro nesses sites.
Para os varejistas que buscam capitalizar as oportunidades de compras baseadas em voz, os consumidores provavelmente usarão essas plataformas se acharem que a experiência será segura (25%), se receberem descontos exclusivos por voz (23%) e se eles estavam confiantes de que seria uma experiência direta (20%). Isso é particularmente importante para os varejistas que têm como alvo os compradores mais jovens (entre 18 e 24 anos), onde as porcentagens subiram para 29%, 33% e 27%, respectivamente.
leia mais notícias de Empresas & Negócios
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia