Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 02 de dezembro de 2019.
Dia Nacional do Astrônomo. Dia do Samba. Dia Pan-Americano da Saúde.

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

COMENTAR | CORRIGIR

Opinião

Edição impressa de 02/12/2019. Alterada em 02/12 às 03h00min

Como evoluir para a Indústria 4.0?

Diego Imperio
Presidente e CEO da Ricoh Latin America
Presidente e CEO da Ricoh Latin America
Cerca de 88% das companhias incluídas na lista da Fortune 500 em 1955, já não existem ou estão fora deste ranking atualmente. Esse foi um dos impactos mais visíveis e tangíveis da revolução digital nos últimos 60 anos. Hoje, com a rápida incorporação de tecnologias 4.0 que conectam o mundo físico ao virtual, estamos, provavelmente, diante da quarta revolução industrial. Qual será o impacto dessa nova revolução agora? É difícil conseguir dimensioná-lo numericamente. No entanto, é claro que essa nova realidade obriga as empresas a maximizar sua adaptabilidade para garantir a sustentabilidade dos negócios.
O setor 4.0 faz com que as empresas tenham cada vez mais acesso a dados em tempo real, alterando drasticamente a tomada de decisões que afetam todo o processo de produção. A eficiência no uso da Internet das coisas, da inteligência artificial, da impressão 3D e da robótica para criar processos automatizados, rápidos e altamente personalizáveis estão mudando a maneira como trabalhamos hoje. E isso inclui todos os setores e mercados, sem distinção, envolvendo nosso time e, também, nossos clientes.
Diante dessa nova realidade, é importante começar com uma ampla avaliação dos negócios, a fim de identificar as principais áreas para melhorar o desempenho organizacional de nossos clientes. Essa proposição implica em capacitar os espaços de trabalho digitais, impactando positivamente a experiência dos colaboradores deles e de seus próprios clientes.
Com esse objetivo, o diagnóstico analítico deve se concentrar em entender o quanto os processos do ambiente de trabalho já se encontram "digitais" atualmente, bem como de que maneira eles podem ser otimizados e também automatizados. A chave é entender como esses processos podem contribuir para a geração de informações importantes para a empresa na tomada de decisões, em tempo real.
Como último passo no processo de transformação, os serviços e soluções tecnológicas devem se concentrar em apoiar os líderes da empresa no desenvolvimento e na conversão de suas estratégias em processos inteiramente digitais, considerando todas as informações úteis e agora disponíveis. A partir desse ponto, eles começam a avançar em direção a experiências excepcionais para funcionários e clientes, para que o crescimento sustentável da companhia seja promovido por meio das plataformas digitais.
Concluindo, diante de nosso cenário atual, é fundamental para que as companhias se mantenham competitivas que exista atenção à incorporação de novas soluções e tecnologias. Ainda, que sejam juntas integradas aos novos modelos de negócios e alinhadas às necessidades e expectativas da empresa. O resultado final é a conquista de processos mais eficientes, maior economia e melhores resultados operacionais. Em suma, uma companhia de acordo com a nova realidade da Indústria 4.0.
Como sua companhia pode evoluir para a nova realidade da Indústria 4.0?
 
leia mais notícias de Empresas & Negócios
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia