Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 04 de novembro de 2019.
Dia do Inventor.

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

COMENTAR | CORRIGIR

Turismo

Edição impressa de 04/11/2019. Alterada em 03/11 às 21h54min

Sustentabilidade e gastronomia local atraem visitantes a Canela

Da agroindústria da família Chaulet para o cardápio da Ponto.Com Pizza, sabores valorizam a produção local

Da agroindústria da família Chaulet para o cardápio da Ponto.Com Pizza, sabores valorizam a produção local


/CRISTINE PIRES/ESPECIAL/JC
Cristine Pires
Escolher o roteiro e levar em conta questões de sustentabilidade não quer dizer gastar mais para fazer a viagem. É esse o recado que o município gaúcho de Canela, na Região das Hortênsias, quer passar para os turistas. Assim, é possível atrair cada vez mais pessoas que se preocupem com questões ambientais e preservação dos recursos naturais, valorizem a cultura e a economia local, e promovam a integridade das comunidades visitadas. "Na verdade, o que ocorre é um processo inverso: ações sustentáveis reduzem custos a partir do momento que se gasta menos água e se reduz o consumo de energia, só para citar alguns exemplos", justifica Mauro Salles, presidente do Sindicato Patronal da Hotelaria, Restaurantes, Bares, Parques, Museus e Similares da Região das Hortênsias (SindTur), que comprovou o resultado eficaz em sua própria pousada, a Encantos da Terra.
Escolher o roteiro e levar em conta questões de sustentabilidade não quer dizer gastar mais para fazer a viagem. É esse o recado que o município gaúcho de Canela, na Região das Hortênsias, quer passar para os turistas. Assim, é possível atrair cada vez mais pessoas que se preocupem com questões ambientais e preservação dos recursos naturais, valorizem a cultura e a economia local, e promovam a integridade das comunidades visitadas. "Na verdade, o que ocorre é um processo inverso: ações sustentáveis reduzem custos a partir do momento que se gasta menos água e se reduz o consumo de energia, só para citar alguns exemplos", justifica Mauro Salles, presidente do Sindicato Patronal da Hotelaria, Restaurantes, Bares, Parques, Museus e Similares da Região das Hortênsias (SindTur), que comprovou o resultado eficaz em sua própria pousada, a Encantos da Terra.
Para levar a mensagem ao público, a cidade adotou uma estratégia que envolve um de seus principais eventos: o Sabores de Canela. Até o ano passado, bares e restaurantes locais eram desafiados a criar pratos com a especiaria que dá nome ao município. A estratégia mudou na 10ª edição, realizada em setembro deste ano. Em vez de usar canela nos pratos, chefs e cozinheiros foram provocados a desenvolver receitas com alimentos fornecidos por produtores locais.
Notícias sobre negócios são importantes para você?
Mas, afinal, o que isso tem a ver com sustentabilidade? "Tudo", resume Salles. A economia local, junto com aspectos ambientais e sociais, formam o conceito de turismo sustentável. Ao priorizar a produção da região, passa-se a estimular toda a economia - não apenas a rede hoteleira e gastronômica -, o que resulta na geração de renda para a cidade visitada. O Ministério do Turismo (MTur) tem batido nessa tecla e entende que, quanto mais se espalhar o conhecimento sobre o tema, mais turistas se tornarão agentes multiplicadores de práticas que beneficiem o meio ambiente, as comunidades locais e o próprio destino.
No que depender de Canela, informações não irão faltar, muito menos criatividade. Além de priorizar produtos locais, os nomes dados aos novos pratos também chamam a atenção de quem visita a cidade. É o caso do American Bagual Burger, criado pela GIF Burgers And Beef, que usa as verduras plantadas na região, assim como ovos, leite e queijo de criadores com propriedades nas Hortênsias.
Embora o Sabores de Canela ocorra durante o mês de setembro, seu legado reflete o ano inteiro. Quem for à cidade conferir o Sonho de Natal - um dos principais marcos do calendário de eventos - poderá encontrar, ainda, no menu de diferentes locais, as receitas preparadas para o evento gastronômico. Na Ponto.com Pizza, o sucesso da Pizza Serrana, que escolheu como insumo a linguiça colonial defumada preparada pela Família Chaulet, fez com que o sabor permanecesse no cardápio. "A combinação da linguiça com muçarela, catupiri e amendoim caiu no paladar dos clientes", comemora a sócia-proprietária Jerusa Souza da Silva.
"Nossos produtos são todos artesanais e receitas de família. O que vendemos ao consumidor é o mesmo alimento que vai para a nossa mesa", orgulha-se Flávio Chaulet, que é fornecedor da Ponto.com Pizza há tanto tempo, como ele mesmo diz, que até perdeu as contas. "Para o Sabores, fizemos um produto original, que é a linguiça colonial legítima, para um prato específico", explica. 
E a engrenagem que move a economia da cidade segue com a família Chaulet. Queijos, pães e cucas são fornecidos por famílias da vizinhança. Todos os temperos típicos usados nos alimentos são produção local, alguns deles encontrados apenas na Região das Hortênsias. "O que oferecemos aqui é exclusivo, não se encontra fora de Canela", garante o empreendedor, com um largo sorriso de satisfação - o mesmo que mantém no rosto quando atende cada cliente que entra na loja e ouve a história da família. A agroindústria oferece mais de 15 tipos de embutidos, todos criação própria dos Chaulet. A meta, agora, é abrir um café, junto à loja, onde o turista possa degustar todas as receitas da família. O preço será acessível, garante o empresário. "Queremos explorar o turismo, não o turista", arremata Chaulet, dizendo que o "café da roça", como está sendo chamado, fará de tudo para que o visitante se sinta como se estivesse em sua própria casa - com o diferencial dos produtos locais, é claro.

Turistas também devem fazer a sua parte

Muita gente associa as ações de turismo sustentável a questões relacionadas ao meio ambiente ou então vinculadas a políticas públicas. Na verdade, o turista também tem papel fundamental na sustentabilidade. A Upis - Faculdades Integradas preparou algumas dicas que devem ser levadas na mala na hora de pegar a estrada. Confira!
  • Sempre que possível, escolha se deslocar a pé ou de bicicleta. Para distâncias maiores, opte pelo transporte público
  • Nada de desperdiçar comida. Alimente-se somente do necessário para matar a sua fome
  • Muitos hotéis ainda têm o hábito de lavar as toalhas todos os dias. Não compactue com essa medida. Deixe claro que você não deseja seguir esse protocolo
  • Prefira viajar na baixa temporada. Assim, você não sobrecarrega o destino de sua escolha
  • Respeite a política local. Sempre pergunte se pode tirar fotos ou interagir com alguma atração turística
  • Opte por consumir produtos típicos da região em que está. Escolha as frutas da estação e peça sugestões da culinária local
  • Incentive o comércio local. Na hora de levar uma lembrancinha, escolha peças de artesanatos de produtores da região
  • Contrate os serviços de guias locais e, se for ao exterior, tente aprender algumas palavras do idioma nativo. São formas de valorizar a cultura da região e criar vínculos
  • Apoie empresas que tenham a responsabilidade social como valor de sua cultura organizacional
  • Utilize caminhos já demarcados em trilhas e passeios na natureza. Nada de sair desbravando por aí
  • Não polua e, se possível, recolha o lixo dos outros
  • Controle o consumo de plástico. Tenha sempre uma garrafa de água retornável consigo
  • Economize na bagagem. Quanto mais leve ela for, menos combustível é gasto
  • Escolha voos diretos e reduza sua emissão de carbono
  • Evite passeios que prometam a interação com animais selvagens. Normalmente, os bichos são dopados para parecerem mais dóceis
Fonte: Upis - Faculdades Integradas

Pousada Encantos da Terra segue preceitos e conquista Certificação em Gestão Sustentável

Na cozinha ou no restaurante, colaboradoras ajudam a implantar medidas na prática

Na cozinha ou no restaurante, colaboradoras ajudam a implantar medidas na prática


/CRISTINE PIRES/ESPECIAL/JC
A equipe que pilota a cozinha da pousada Encantos da Terra, em Canela, não apenas adota à risca as ações sustentáveis que norteiam o empreendimento, como também repassa os conhecimentos aos hóspedes. Apesar da correria para dar conta de manter o café da manhã completo no salão, sempre sobra tempo e simpatia para explicar como tudo funciona. Não é por acaso que a Encantos da Terra está entre os 12 melhores atendimentos do Brasil e o melhor de Canela e Gramado, prêmio conferido pela Travellers Choice, da Tripadvisor, tudo sob a batuta de Tânia Pereira e Mauro Salles, que idealizaram o empreendimento e, com o tempo, foram colocando as ideias do papel em prática.
A paixão que uniu a gaúcha e o mineiro é a mesma que o casal demonstra ao falar sobre as premiações e as iniciativas que são os diferenciais da pousada. São desde medidas simples - como uma torneira com água potável à disposição 24 horas por dia no restaurante para que os visitantes possam encher suas garrafinhas e, desta forma, diminuam o descarte de embalagens PET - a ações bem mais complexas, caso do sistema de aquecimento solar de última geração com tubo a vácuo, que ajudou a reduzir em mais de 60% o consumo de diesel. "Embora sejam iniciativas mais caras, a economia que elas geram faz com que os investimentos se paguem muito rapidamente", afirma Salles.
A política de sustentabilidade da Encantos da Terra é ampla. As práticas adotadas buscam reduzir impactos ambientais, estimulam e apoiam ações de geração de trabalho e renda e de qualificação profissional com foco no desenvolvimento econômico e social local. Para que tudo isso ocorra, o empreendimento trabalha de forma a garantir a permanente redução de consumo de energia, qualidade da água e seu uso sem desperdícios, e dar o destino correto para os resíduos gerados. Mas as ações não ficam apenas entre as paredes da pousada. O trabalho também tem ações para contribuir com a solução de problemas locais, para divulgar a cultura e a história do município e estimular a economia da região.
A galeria de prêmios demonstra que o esforço vale a pena. Outra conquista é a certificação de gestão sustentável NBR 15.401, obtida em 2012. A Encantos da Terra de Canela foi a primeira a receber o certificado de Gestão Sustentável no Sul do Brasil e a quarta em todo o Brasil. A Norma NBR 15.401 estabelece requisitos para meios de hospedagem que possibilitem planejar e operar as atividades de acordo com os princípios estabelecidos para o turismo sustentável, tendo sido redigida de forma a aplicar-se a todos os tipos e portes de organizações e para adequar-se a diferentes condições geográficas, culturais e sociais, mas com atenção particular à realidade e à aplicabilidade às pequenas e médias empresas.
 

Por dentro dos conceitos

  • SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL Assegura a compatibilidade do desenvolvimento com a manutenção dos processos ecológicos essenciais à diversidade dos recursos naturais.
  • SUSTENTABILIDADE SOCIOCULTURAL Assegura que o desenvolvimento preserve a cultura local e os valores morais da população, fortaleça a identidade da comunidade, e contribua para o seu desenvolvimento.
  • SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA Assegura que o desenvolvimento seja economicamente eficaz, garanta a equidade na distribuição dos benefícios advindos desse desenvolvimento e gere os recursos de modo que possam suportar as necessidades das gerações futuras.
  • SUSTENTABILIDADE POLÍTICO-INSTITUCIONAL Assegura a solidez e continuidade das parcerias e compromissos estabelecidos entre os diversos agentes e agências governamentais dos três níveis de governo e nas três esferas de poder, além dos atores situados no âmbito da sociedade civil.
Fonte: Ministério do Turismo (MTur)

Cervejaria Farol mantém tradição alemã artesanal centenária

Eliandro (e) e equipe repassam aos clientes a história da região

Eliandro (e) e equipe repassam aos clientes a história da região


CRISTINE PIRES/ESPECIAL/JC
É a água pura que verte na serra gaúcha a matéria-prima de excelência usada para a produção das cervejas artesanais da Cervejaria Farol. São seis estilos de cerveja da casa, uma delas com toques de canela, todas criadas e produzidas no local. Os equipamentos modernos usados na fabricação são importados da Alemanha, onde a história da Farol começou, há mais de 250 anos. A família Bausch, que se dedicava à arte cervejeira desde 1793, chegou a Canela atraída justamente pela pureza da água, fundamental para dar continuidade à tradicional produção alemã.
O projeto tomou corpo em 2003, quando a família colocou em prática o sonho de abrir a fábrica e o restaurante, que logo viraram ponto turístico da cidade. De herança, ficou a forma artesanal de produzir a cerveja, que segue a Lei da Pureza Alemã, também conhecida como Decreto de Pureza da Baviera, que data de 1516.
Na prática, significa que a bebida é composta apenas por água, levedura, malte e lúpulo, sem adição de corantes ou qualquer outra substância. No cardápio da culinária típica alemã estão as criações do chef de cozinha Juarez Colmannm, que, sempre que pode, opta por insumos locais no preparo dos pratos.
O farol de 32 metros de altura e a construção em pedra basalto chamam a atenção dos visitantes, que também encontram refúgio nos jardins para descansar do passeio e apreciar a natureza. Quem opta por subir os 137 degraus para chegar ao topo do farol tem uma vista privilegiada da região. "É possível enxergar as cidades de Gramado, Caxias do Sul e São Francisco de Paula", destaca o gerente da cervejaria, Eliandro Valin.
 
leia mais notícias de Empresas & Negócios
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia