Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 08 de julho de 2019.
Dia do Padeiro.

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

COMENTAR | CORRIGIR

Responsabilidade Social

Edição impressa de 08/07/2019. Alterada em 08/07 às 03h00min

Um modelo lucrativo de impacto social em Porto Alegre

Daniel Mattos é fundador da Smile Flame, com sede em Porto Alegre

Daniel Mattos é fundador da Smile Flame, com sede em Porto Alegre


/LUIZA PRADO/JC
Pedro Carrizo
Você já ouviu falar no Setor 2.5? Ele está bem no meio entre o Segundo e o Terceiro Setor. Enquanto ONGs e instituições filantrópicas, que formam o Terceiro Setor, atuam em prol do bem comum, e as empresas e corporações, que formam o Segundo Setor, trabalham para o bem privado, o Setor 2.5 fica no meio, propondo ações sociais, mas também lucrando com isso. Em Porto Alegre, a Smile Flame é um exemplo perfeito desse modelo lucrativo de impacto social.
Você já ouviu falar no Setor 2.5? Ele está bem no meio entre o Segundo e o Terceiro Setor. Enquanto ONGs e instituições filantrópicas, que formam o Terceiro Setor, atuam em prol do bem comum, e as empresas e corporações, que formam o Segundo Setor, trabalham para o bem privado, o Setor 2.5 fica no meio, propondo ações sociais, mas também lucrando com isso. Em Porto Alegre, a Smile Flame é um exemplo perfeito desse modelo lucrativo de impacto social.
"Buscamos soluções para os problemas da sociedade, que é a mesma meta do Terceiro Setor. Porém temos uma sustentabilidade financeira maior, sem depender de doações ou repasses, o que nos permite focar mais nos projetos", diz Daniel Mattos, cofundador da empresa.
Nascida em 2013, a Smile Flame trabalha criando e vendendo ações de impacto social para empresas privadas interessadas em se aproximar do consumidor final de forma humanizada. Ela surfa na onda do empoderamento do consumidor.
Já faz algum tempo que o consumidor é parte ativa no processo de comunicação das empresas: eles contestam, respondem e interferem em campanhas publicitárias. E, na maioria das vezes, prezam por ações ecológicas e de ganho social. "Este movimento de protagonismo do consumidor tem gerado uma pressão positiva para as marcas executarem ações que busquem o bem comum como forma de publicidade", salienta Mattos, que também é publicitário.
É aí que entra a Smile Flame, trazendo ações de impacto social que buscam melhorar a vida em sociedade e dar prestígio para quem as banca. Com o calendário cheio de projetos previstos ainda para este ano, a empresa demonstra com resultados palpáveis como é positivo para as marcas quando elas agem em prol do bem comum.
São dois caminhos possíveis para tirar as ações de impacto social da Smile Flame do papel. No primeiro, a equipe da Smile cria o projeto e depois busca empresas interessadas em bancá-lo. No segundo, a criação é customizada de acordo com os interesses e motivações do cliente, como um projeto publicitário em que o resultado positivo não se mede em conversões. O "Skate no Asilo" foi o projeto nº 1 da empresa, desenvolvido internamente e depois vendido.
O "Skate no Asilo", que acontece todos os anos desde 2013 no Asilo Padre Cacique, é um campeonato de skate descontraído, com músicas de época e vários quitutes, no qual os idosos são jurados e os jovens são os skatistas. A ideia, segundo o cofundador da Smile Flame, é criar uma conexão entre gerações de uma forma divertida e trazer alegria para um lugar tido como triste.
Para ele, nesse caso, o impacto social vem de dois lados. "O asilo costuma ser local de muita solidão, mas, no dia do campeonato, os idosos do Padre Cacique viram celebridades, tiram selfie, dão autógrafos. Então é um trabalho de reconstrução de autoestima muito relevante", ressalta Mattos.
Outro impacto social, segundo indicadores do próprio Padre Cacique, é que, após o evento, crescem doações de insumos e doações financeiras para o asilo, além de aumentar consideravelmente o número de visitas. Após a primeira edição, a Smile Flames vendeu o projeto para uma marca de skates.
Além dessa, outras duas iniciativas desenvolvidas pela Smile acontecem anualmente: a "Corrida Maluca de Cadeirantes" e a "Bota do Gol". A primeira é destinada para crianças cadeirantes, que participam de um dia atividades recreativas tendo seus "veículos" customizados por estudantes de Design. O evento, que acontece desde 2013, já teve apoio de Unisinos, Lebes, Vivo, Sicredi, 99 Táxis e Philips.
Já a ação "Bota do Gol" promove o encontro de crianças com deficiências e seus ídolos do futebol, proporcionando para elas a experiência do primeiro gol. O evento acontece em Porto Alegre, na Arena do Grêmio e no Beira-Rio, e já contou com participação dos jogadores e ex-jogadores Tinga, Dunga e Neymar. Na "Bota do Gol", cada criança representa um país e conta com a ajuda de um jogador.
Com a alta demanda de ações de impacto social, a Smile Flame está criando a Smile Academy, evento de capacitação para quem está interessado em criar ações de impacto social e ser remunerado para isso. "Muita gente tem me procurado querendo fazer parte da equipe, e nossa estrutura já não está comportando a quantidade de projetos", explica Mattos.
De acordo com o cofundador da empresa, a ideia é criar um rede de pessoas capacitadas em pensar em ações de impacto social nos padrões da Smile Flame e, assim, expandir a rede de atuação. "Acreditamos que, primeiro de tudo, é incrível ajudar o mundo. E, já que as empresas precisam se comunicar de algum forma, por que não ser através do impacto social?", reflete Mattos.
 
leia mais notícias de Empresas & Negócios
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia