Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 10 de junho de 2019.
Dia da Língua Portuguesa.

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

CORRIGIR

Leitura

Edição impressa de 10/06/2019. Alterada em 10/06 às 03h00min

INOVAÇÃO

O livro "Uma pergunta mais bonita", de Warren Berger, procura definir um sistema prático de questionamento, um processo inovador que ajude a alcançar respostas imaginativas e poderosas. Para isso, leva o leitor para empresas como Google, Netflix, IDEO e Airbnb, pioneiras em suas áreas de atuação e grandes líderes do mercado atual, e mostra como o questionamento faz parte do DNA organizacional desses conglomerados formadores de tendências. Berger, jornalista e especialista em inovação, também procura compartilhar as mais diversas histórias de vida e de carreira, contadas por artistas, professores, empresários e ativistas sociais, pessoas que encabeçaram mudanças começando com uma pergunta bem-feita.
"A arte de fazer perguntas está no cerne das descobertas da ciência, da filosofia e da medicina - então, por que não estendemos esse poder a todas as demais áreas de nossa vida? As criteriosas e provocativas perguntas que Warren Berger elabora neste livro são, de fato, o tipo de 'belas perguntas' que podem nos ajudar a identificar problemas e, a partir deles, gerar soluções criativas", diz Daniel Pink, autor de Drive, best-seller do The New York Times.
"Antigamente, o que importava era ter respostas. Mas, na nossa atual economia é muito mais importante fazer as perguntas certas. Uma pergunta mais bonita trata de como fazer perguntas que levem a novas oportunidades e crescimento, e de como respondê-las", convida à leitura Eric Ries, autor de A Startup Enxuta.
Uma pergunta mais bonita; Warren Berger; Editora Aleph; 312 páginas; R$ 39,92.
 

ECONOMIA

O livro "Outra economia é possível: Cultura e economia em tempos de crise", de Manuel Castells, faz uma análise sobre a economia compartilhada e os reflexos dela para a sociedade. Esse livro analisa casos reais de economia compartilhada, uma alternativa ao futuro padronizado do capitalismo financeiro, segundo o sociólogo catalão Manuel Castells. A obra, organizada pelo sociólogo, reúne artigos sobre iniciativas como redes de troca, cooperativas, moedas comunitárias, criptomoedas, bancos de tempo e bancos para pessoas de baixa renda, compartilhamento de bens, entre outros.
"A crise financeira mundial que eclodiu em 2008 obrigou estados a intervirem para evitar uma quebradeira dos bancos, deixando claro que a autorregulação dos mercados é um mito." A crise teve também consequências terríveis para milhões de pessoas - perda de emprego e moradia, cortes de despesas públicas com educação, saúde e benefícios sociais -, que tiveram de reinventar suas práticas econômicas e sociais.
A obra, ao longo da leitura, desenvolve dois argumentos teóricos importantes para o entendimento do conteúdo: a economia, sendo uma prática humana, é moldada pela cultura, e a diversidade de culturas implica a possibilidade de diferentes economias - como se revela em tempos de crise.
Professor da Universidade do Sul da Califórnia, Los Angeles, Castells tem mais de 25 livros publicados, entre eles "Redes de indignação e esperança" e "A galáxia da internet"
Outra economia é possível: Cultura e economia em tempos de crise; Manuel Castells; Editora Zahar; R$ 55,90.
 

PRODUTIVIDADE

Você é daqueles que, no trabalho, tem a impressão de que quanto mais se esforça, menos rende? Nunca consegue sair na hora e sempre acorda preocupado com as inúmeras tarefas a fazer? Você não consegue aproveitar as horas de lazer? Não entende como aquele seu colega consegue entregar bem seus projetos, arrancar elogios do chefe e ainda sair no horário a tempo para jantar com a família? Ele tem talento ou sorte? O livro "Sucesso no trabalho", de Morten T. Hansen, incide, justamente, sobre a produtividade no local de trabalho.
Segundo o escritor, o colega que consegue entregar bem seus projetos pode não nem sorte ou talento, mas sim estar dentro daquele grupo de pessoas que consegue trabalhar de forma inteligente, maximizando a produção por hora de trabalho. Em outras palavras, rendendo mais trabalhando menos. Para Hansen, trabalhar assim não somente é possível, como é mais fácil do que parece. Ele mostra o passo a passo em sua nova obra. O livro é resultado de um estudo sobre desempenho individual que o acadêmico realizou a partir de uma pesquisa com cinco mil gerentes e funcionários de várias empresas, em 2011. A partir dos resultados das análises, Hansen estruturou sete práticas de trabalho inteligente ligadas ao alto desempenho.
As sete práticas, que podem ser aplicadas sem grandes investimentos e também sem muito esforço, estão elencadas de maneira objetiva.
Sucesso no trabalho - Como os melhores gestores e funcionários trabalham menos e rendem mais; Morten T. Hansen; Editora Rocco; 320 páginas; R$ 53,00.
 
leia mais notícias de Empresas & Negócios
CORRIGIR