Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 13 de agosto de 2018.
Dia do Economista .

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

COMENTAR | CORRIGIR

Responsabilidade Social

Edição impressa de 13/08/2018. Alterada em 13/08 às 01h00min

Sementes da transformação social

FREEPIK.COM/DIVULGAÇÃO/JC
Eduardo Lesina
O Buriti é uma árvore da qual tudo se aproveita: casca, folha e fruto. Rica em vitaminas A, B e C, a palmeira está espalhada em vários estados do Brasil. Suas características de reaproveitamento e sua presença expressiva no território nacional inspiraram uma instituição que pretende servir de ponte entre os frutos sociais espalhados pelo País. A Associação Buriti de Arte, Cultura e Esporte (Abace) é uma Organização Não Governamental (ONG) que busca apoiar projetos voltados à transformação social.
"Identificando projetos sociais que busquem descobrir e trabalhar com o melhor do outro, enxergando as suas reais necessidades e desafios, contribuindo com o seu desenvolvimento." O objetivo, que ilustra o significado da Abace, transborda dos limites "físicos" da instituição e vai ao encontro das organizações junto a quem eles exercem seu papel. "A Abace identifica e cria a oportunidade de transformar, principalmente na área da criança e da adolescência, dando visibilidade e servindo como uma ponte entre investidores e a organização", explica Lorena Braga, coordenadora executiva da associação. Parceiros desde a sua fundação, a Inverno Produções e o ator Fábio Porchat, embaixador da Abace, fazem parte dos ramos de ação da entidade.
Nesse objetivo de servir como um propagador de outras instituições, a Abace atua em três frentes: diretamente com os projetos sociais, por meio da própria instituição e diretamente com as empresas e possíveis investidores. Criada em 2015, a associação tem como principal atividade o apoio prestado, por exemplo, em trabalhos de divulgação e auxílio na construção da identidades de projetos sociais, e também com repasse de doações feitas pelas empresas investidoras.
Lorena ressalta a importância de manter a independência das organizações que fazem parceria com a Abace. "Buscamos gerar transformação, mas não queremos criar uma dependência ou codependência com os projetos auxiliados", comenta. "O objetivo é fortalecer um trabalho que é feito respeitando os saberes dos projetos já existentes", completa. Da sua fundação até hoje, a Abace apoiou atletas e instituições, beneficiando mais de 1,5 mil pessoas diretamente.
No trabalho com as empresas, a logística de funcionamento da Abace se divide em dois pontos principais. O primeiro consiste no direcionamento das doações adquiridas pela associação. A estimativa, até o momento, é de que a instituição movimentou, nesses três anos de existência, mais de R$ 300 mil em benefício de campanhas e ONGs no Brasil.
Além disso, a Abace presta assessoria com foco corporativo, visando estreitar o laço entre empresariado e entidades sociais do País. "Somos a ponte que conecta iniciativas a pessoas e empresas interessadas em fortalecer a transformação social", comenta Lorena.
A Abace atua, principalmente, nas áreas de artes, cultura e esportes. Dentro do campo das artes, apoia projetos que envolvem artesanato, dança, teatro, pintura, música e produção musical, escrita e exposições. Uma das iniciativas beneficiadas é a Vidançar, que oferece aulas de balé e hip-hop para a comunidade no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro.
Os apoios na área cultural se reservam a ações que incentivam a leitura, estruturam acervos tecnológicos e de livros e filmes, preservam o patrimônio cultural, promovem educação para cidadania, incentivam a gastronomia, estimulam o estudo de Filosofia ou Sociologia, ou projetos que promovem o enfrentamento ao racismo, ao feminicídio, entre outros, a partir de perspectivas históricas.
Como exemplo de auxílio na questão cultural, a Abace realizou apoio ao projeto Vaga Lume, que funciona em 23 municípios na região da Amazônia Legal e na cidade de São Paulo, local de sua sede. Vaga Lume é uma associação sem fins lucrativos que visa empoderar pessoas e comunidades a partir da promoção da leitura e da gestão de bibliotecas comunitárias.
Na área de apoio a projetos envolvidos com o esporte, a Abace realizou auxílio financeiro e promocional, em parceria com a ONG África do Coração, organizadora da Copa dos Refugiados. O evento, que reúne imigrantes e refugiados, pretende integrar socialmente os novos habitantes do País através do futebol e da representação de suas origens. "Em 2017, apoiamos financeiramente o projeto, envolvendo 110 atletas na Copa dos Refugiados", avalia Lorena. Neste ano, as etapas de Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo resultarão na final que será jogada no estádio Pacaembu, em 29 e 30 de setembro.

Charity Day 2018

Com as ações concluídas até aqui, a Abace tornou-se finalista no Charity Day 2018. O evento beneficente em memória das vítimas do ataque ao World Trade Center, em 2001, foi criado em 2005 e já arrecadou, globalmente, US$ 147 milhões.
Como critérios para selecionar as entidades beneficiadas, estão a idoneidade da organização, o impacto do trabalho na vida das pessoas e a execução de projetos nas cidades onde a BGC, empresa de serviços financeiros, uma das organizadoras, tem sede. Todo o dinheiro arrecadado no evento é dividido e distribuído em 50% para as famílias das vítimas e 50% para as ONGs auxiliadas.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Carlos Alves 13/08/2018 14h45min
Sim, a ABACE presta RELEVANTE apoio nas áreas da Arte, Cultura e Esporte. Conta com um grupo competente e profissionais de alto nível.nPrestam trabalho de mais alta relevância. nParabéns a todos os envolvidos.