Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 12 de abril de 2019.
Dia do Obstetra.

Jornal do Comércio

Automotor

COMENTAR | CORRIGIR

Importados

Edição impressa de 12/04/2019. Alterada em 12/04 às 03h00min

BMW Z4 vem desfilar sua beleza no Brasil

Auxílio ao estacionamento 'lembra' dos últimos 50 metros percorridos para refazê-los em marcha a ré

Auxílio ao estacionamento 'lembra' dos últimos 50 metros percorridos para refazê-los em marcha a ré


BMW GROUP/DIVULGAÇÃO/JC
Apesar das características típicas de um roadster, como silhueta baixa e balanços dianteiro e traseiro curtos, o novíssimo BMW Z4 se distingue bastante de seu antecessor. Proporções revistas e a reinterpretação de elementos de design fundamentais contribuem para essa diferenciação.
Vitaminado, o conversível esportivo ficou 85 milímetros mais longo do que o anterior (4.324 mmm), 74 mm mais largo (1.864 mm) e 13 mm mais alto (1.304 mm). A exceção coube à distância entre eixos, 26 mm menor do que a do predecessor (2.470 mm).
O para-choques dianteiro esculpido e dotado grandes entradas de ar, a grade mais larga e rebaixada, e o capô alongado com vincos em forma de flecha conferem um aspecto imponente à dianteira do novo Z4. Um difusor de ar harmoniosamente integrado à tampa do porta-malas e as novas lanternas delgadas em "L", dispostas horizontalmente, deixam mais vigoroso o visual da traseira.
O teto retrátil de lona ostenta cor preta e é acionado eletricamente, podendo ser aberto ou fechado em 10 segundos, mesmo com o veículo em movimento, a velocidades de até 50 km/h. Internamente, o ambiente é de requinte, com detalhes em aço galvanizado, e a arquitetura se estrutura em torno do motorista.
Duas telas digitais, sendo uma de 12,3 polegadas e outra de 10,25 polegadas, ambas com interface personalizável e aptas a serem controladas por comandos de voz, combinam informações essenciais de condução (como velocidade, rotações do motor, quilometragem e nível de combustível) com dados gerais (como rotas, chamadas telefônicas, multimídia, entre outros).
Sob o capô do novo BMW Z4 vem um motor 2.0 TwinPower Turbo, de quatro cilindros, que produz 258 cv de potência (entre 5.000 e 6.500 rpm) e torque máximo de 400 Nm (de 1.550 a 4.400 giros). Seu sistema de injeção de alta precisão assegura uma dosagem de gasolina ideal, além de uma combustão particularmente limpa.
Junto com a transmissão Steptronic Sport, de oito marchas, otimizada para maior esportividade e eficiência nas trocas, esse propulsor acelera o roadster alemão da inércia aos 100 km/h em 5,4 segundos. E a tração traseira deixa a dirigibilidade ainda mais dinâmica e emocionante.
A tecnologia embarcada no BMW Z4 inclui o Driving Assistant, que informa o motorista, por meio de alertas visuais e sonoros, sobre situações de tráfego cruzado, riscos de colisão traseira, mudanças involuntárias de faixa de rolamento e controle de aproximação frontal, entre outras aplicações. O recurso agrega ainda o controle de cruzeiro adaptativo, o qual possibilita definir uma velocidade que será mantida constante, freando ou acelerando em reação ao veículo que vai à frente.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia